EDUCAÇÃO INTEGRAL E A CONSTRUÇÃO DE TERRITÓRIO EDUCATIVO

  • Clodoaldo Teixeira Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUCC
  • Wilson Ribeiro dos Santos Junior
Palavras-chave: Educação Social. Educação Integral. Território Educativo.

Resumo

 

Ao longo do século XX a educação brasileira produziu experiências transformadoras com o propósito de fortalecer a formação social e coletiva do individuo, tanto no espaço tradicional da escola pública, ampliando a vocação para o desenvolvimento das habilidades cognitivas, psicoafetivas, filosóficas e participativas, enquanto práticas pedagógicas formais, como, na plena convivência em comunidade, incorporando a integração além-muro do edifício escolar, estabelecendo diálogos e conexões de processos de educação não formais com o território. Esse artigo, recorte da pesquisa de mestrado recém-concluída, financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), tem por objetivo discutir os conceitos de educação integral a partir da corrente de pensamento progressiva como principio de formação do individuo a partir da dinâmica da realidade social do território, reconhecendo sua capacidade experimental para as ações educadoras, de forma a ampliar os horizontes e a dimensão para a formação em sociedade e apresentar a experiência do Centro Integrado de Educação Pública – CEUs na cidade de São Paulo devido a sua importância conceitual que aproxima e agrupa as mais recentes e atuais metodologias de integração educacional e território educativo, com foco na formação integral da sociedade permitindo que se estabeleça uma relação entre a cidade, o espaço da escola pública e o território educativo. Para isso, o método utilizado foi a revisão bibliográfica baseada no estudo de casos. A pesquisa buscou uma ampliação do conhecimento conceitual e histórico dessas experiências, que, no campo do contemporâneo, permite estabelecer conexões que demostram a importância do resgate e o aprofundamento dessa corrente de pensamento, na relação entre educação e cidade enquanto território educativo.

Biografia do Autor

Clodoaldo Teixeira, Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUCC

Arquiteto e Urbanista pela Universidade de Alfenas - UNIFENAS, Especialização em Recursos Hídricos e Ecologia Aplicada CRHEA-USP campus São Carlos/SP, Mestre em Urbanismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUCC, Professor pela Faculdades Integradas Imaculada - FIMI, Coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo pela Faculdades Integradas Imaculada - FIMI.

Referências

AMBROGI, I. H. Os projetos arquitetônicos das escolas integradas do século XX no Brasil. Revista de Arquitectura – Dossiê Pensamento/Linguagem Trama Interdisciplinar. N. 2, 2011. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tint/article/view/4417/3387.

ANELLI, R. L. S. Centros Educacionais Unificados: arquitetura e educação em São Paulo. Arquitextos, Vitruvius, ano 5, 2004. Disponível em: http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/05.055/517.

ANDRADE JUNIOR, N. V., Nivandro V. de, As obras do plano de edificações escolares de Anísio Teixeira e a arquitetura moderna na Bahia (1947-1950) – 9º Seminário docomomo brasil, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20818?mode=full. Acesso em: 10 nov. 2017.

AZEVEDO, G. A. N. (Org.); RHEINGANTZ, P. A. (Org.); COSTA R. N. Educação Integral e Território Educativo: Diálogos Possíveis em Coletivo Complexo. In: AZEVEDO, G. A. N.; TÂNGARI, V. R.; RHEINGANTZ, P. A. (Org.) Do Espaço Escolar ao Território Educativo: O lugar da arquitetura na conversa da escola de educação integral com a cidade. Rio de Janeiro UFRJ/FAU/PROARQ, 2016.

AZEVEDO, G. A. N.; TÂNGARI, V. R.; RHEINGANTZ, P. A. (Org.) O Lugar do Pátio Escolar no Sistema de Espaços Livres. Rio de Janeiro UFRJ/FAU/PROARQ, 2017.

BELLATINI, C. SESC e CEU: duas histórias brasileiras de sucesso rumo a uma sociedade democrática e igualitária. 2013. Disponível em: http://www.equipamentospublicos.fau.usp.br/drupal/inicio/bauwelt_dez2013_traduzida.pdf.

BRANDÃO, C. R. O que é Educação. São Paulo, Editora Brasiliense, 1986. 17ª edição

BUITONI, C. S. A Construção do Espaço para a Educação. 2009 apud MAYUMI W. S. L. “Algumas Reflexões sobre Construções Escolares”, documento interno da Superintendência de Planejamento da Conesp, setembro de 1983, pp.2-3. Grifos do próprio texto. Fonte: Acervo Mayumi Watanabe Souza Lima, caixa 24, 2009, Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=144062

CANGUSSÚ L. C. P. Centros Educacionais Unificados De São Paulo:

Implementação e Continuidade numa nova Gestão Política. Dissertação. Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo / SP., 2010. Disponível em: tede.metodista.br/jspui/bitstream/tede/1180/1/Lilian%20Cangussu.pdf

CARNEIRO R. Educação e Comunidades Humanas Revificadas – Uma visão da Escola Socializadora no Novo Século. In: DELORS, J. Educação um tesouro a descobrir. Relatório para UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Editora Cortez. 6ª Edição. 2001.)

CAVALIERE A. M. V. Educação Integral: Uma Nova Identidade para a Escola Brasileira? Educ. Soc., Campinas, vol. 23, n. 81, p. 247-270, 2002.

Disponível em: http://www.cedes.unicamp.br.

DELIJAICOV, A. Arquitetura do lugar. PISEAGRAMA, Belo Horizonte, N. 3, página 30 – 31, 2011. Disponível em: https://piseagrama.org/arquitetura-do-lugar.

DELORS, J. Educação um tesouro a descobrir. Relatório para UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. São Paulo: Editora Cortez. 6ª Edição. 2001.

ESCOLANO A; FRAGO A. Arquitetura como Programa, Espaço-Escola e Currículo. Currículo, Espaço e Subjetividade: a arquitetura como programa. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001. Disponível em: https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&ved=2ahUKEwiIm5qS157hAhW_IbkGHTSMD-gQFjAAegQIBBAC&url=http%3A%2F%2Fwww.edufrn.ufrn.br%2Fbitstream%2F123456789%2F130%2F41%2FARQUITETURA%2520COMO%2520PROGRAMA.%2520Curr%25C3%25ADculo%252C%2520espa%25C3%25A7o%2520e%2520subjetividade.%2520FRAGO%252C%2520Antonio.%2520ESCOLANO%252C%2520Aust%25C3%25ADn.%25202001..pdf&usg=AOvVaw2RPtCWsA-Q4CyfoyPwflq5.

FARIA, A. B. G. O Patio Escolar como Território [De passagem] entre a Escola e a Cidade. In: AZEVEDO, G. A. N.; RHEINGANTZ, P. A.; TÂNGARI, V. R. (Org.) O Lugar do Pátio Escolar no Sistema de Espaços Livres. 2. Ed. Rio de Janeiro UFRJ/FAU/PROARQ, 2017.

GEHL, J. Cidades para Pessoas. Tradução: Anita Di Marco. N.3, São Paulo, Editora Perspectiva, 2015.

GADOTTI, M. Educação Integral no Brasil: Inovações em Processo. São Paulo/SP, Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009.

GODOY, Madalena. Cidades Educadoras. Disponível em: https://cidadeseducadoras.org.br/metodologias/por-que-aprender-e-educar-no-territorio/

GOULART B. Centro SP: Uma sala de aula. São Paulo/SP. Editora Peirópolis, 2008.

GOMES, P. C. C. A condição urbana: ensaios de geopolítica da cidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

NÓVOA A. EDUCAÇÃO 2021: Para uma história do futuro. Educação, Sociedade & Culturas, nº 41, 2014, 171-185, 2014. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/670/1/21232_1681-5653_181-199.pdf.

MAKIUCHI, M. F. R. Alteridade. In: FERRARO JUNIOR, L. A. (Org.) Encontros e Caminhos: Formação de Educadoras(es) Ambientais e Coletivos Educadores Brasília: MMA, Diretoria de Educação Ambiental, 2005.

PMSP - Prefeitura Municipal de São Paulo - SMDU, 2015. Disponível em:<https://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/noticias/prefeitura-publica-livros-sobre-o-arco-do-futuro-rede-de-espacos-publicos-e-territorio-ceu/

PMSP - Prefeitura Municipal de São Paulo. Território Ceus: Rede de Equipamentos e Espaços Públicos. Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano – SMDU, Gestão 2013 – 2016. Disponível em: https://gestaourbana.prefeitura.sp.gov.br/noticias/prefeitura-publica-livros-sobre-o-arco-do-futuro-rede-de-espacos-publicos-e-territorio-ceu/

SINGER, H. Educação Integral e Territórios Educativos

II Colóquio Internacional do NUPSI: Construções de Felicidade. São Paulo, setembro de 2013.

TEIXEIRA, Anísio. Educação Progressiva. São Paulo, Companhia Editora Nacional. 2º Edição. 1934.

Publicado
27-12-2019
Seção
Artigos