ANÁLISE DAS RESIDÊNCIAS PROJETADAS POR SYLVIO DE PODESTÁ

Palavras-chave: Arquitetura pós-moderna, Arquitetura brasileira, Casas, Sylvio de Podestá.

Resumo

Este artigo tem por objetivo divulgar os resultados de uma pesquisa que analisou projetos residenciais elaborados pelo arquiteto brasileiro Sylvio de Podestá entre 1979 e 1989. O propósito foi verificar as estratégias projetuais adotadas em seis projetos realizados nesse período, a partir de itens de análise. Para tanto, a metodologia adotada foi organizada a partir de leituras dos textos do próprio arquiteto, elaboração de redesenhos, construção de modelos digitais e diagramas analíticos. Os resultados verificaram recorrências nas estratégias projetuais adotadas, tais como: a importância conferida a elevação frontal; o uso de formas arquetípicas como o quadrado, o círculo e o triângulo; e a utilização do modelo de percurso “quadro a quadro”.

Biografia do Autor

Marcos de Oliveira Prado, Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS
Arquiteto Urbanista pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), mestre em Arquitetura, Tecnologia e Cidade pela FEC-UNICAMP. Professor do curso de Arquitetura e Urbanismo na Universidade José do Rosário Vellano (Unifenas).
Ana Tagliari, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP
Arquiteta Urbanista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, mestre pelo IA-UNICAMP, doutora em Arquitetura pela FAU-USP. Docente e pesquisadora da Unicamp, atuando na área de “Teoria e Projeto de Arquitetura”. Líder do grupo “Arquitetura. Projeto, representação e análise” (CNPQ/Unicamp).

Referências

ALTARELLI, Lucio et al. Forme della composizione. Roma: Edizioni Kappa, 1997.

BAKER, Geoffrey H. Analisis de la forma: urbanismo y arquitectura. México: Gustavo Gili, 1998.

BRAGA, Raquel Dias Vieira. Os riscos da arquitetura contemporânea em Minas Gerais. 2002. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo.

CAETANO, Anne Caroline Almeida. O processo criativo do arquiteto Gustavo Penna e sua relação com a obra de Amilcar de Castro. 2014. Dissertação (Mestrado em Artes Visuais) - Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

CHING, Francis D. K. Arquitetura - Forma, Espaço e Ordem. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

CLARK, Roger H.; PAUSE, Michael. Arquitectura: temas de composición. Barcelona: Gustavo Gili, 1997.

CREMASCO, Matteo Santi. Origens do movimento pós-moderno em Minas Gerais. Pós. Revista do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da FAUUSP, v. 21, n. 36, p. 70-83, 2014.

FLORIO, Wilson et al. Projeto Residencial Moderno e Contemporâneo: análise gráfica dos princípios de forma, ordem e espaço de exemplares da produção arquitetônica residencial. Volume I – residências nacionais. São Paulo: Editora MackPesquisa, 2002.

FRAMPTON, Kenneth. História crítica da arquitetura moderna. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

GHIRARDO, Diane Y. Arquitetura contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

GROSSI, Nara. Humberto Serpa: Arquitetura. 2013. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo.

HARAGUCHI, Hideaki. A Comparative Analysis of 20th Century Houses. London: Wiley-Academy, 1988.

JENCKS, Charles. El Lenguaje de la Arquitectura Posmoderna. Barcelona: Gustavo Gili, 1981.

LEUPEN, Bernard et al. Design and Analysis. New York: Van Nostrand Reinhold, 1997.

MONTANER, Josep Maria. Depois do movimento moderno: arquitetura da segunda metade do século XX. São Paulo: Gustavo Gili, 2014.

MOORE, Richard V. La costruzione del volume apparente. Analisi di alcuni edifici e di modi di comporre di quattro architetti del Movimento Moderno: Josef Hoffmann, Charles Edouard Janneret (Le Corbusier), Richard Meyer e Mario Botta. Roma: Officina, 1994.

NESBITT, Kate (Org.). Uma nova agenda para a arquitetura: antologia teórica (1965-1995). São Paulo: Cosac & Naify, 2008.

PODESTÁ, Sylvio. E. Casas. Belo Horizonte: AP Cultural, 2000.

PORTOGHESI, Paolo. Depois da arquitetura moderna. São Paulo: Edições 70, 1985.

PRADO, M. O.; FLORIO, A. M. T. Análise dos projetos residenciais do arquiteto Sylvio E. de Podestá. Ideários, projeto e prática. In: V ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO, 2018, Salvador. Arquitetura e Urbanismo no Brasil atual: crises, impasses e desafios.Salvador: FAUFBA, 2018. v. 01. p. 388-403.

______. Documentação e análise da arquitetura residencial de Sylvio Emrich de Podestá: Estudo de caso, a residência Hélio e Joana 1981/1982. In: 5º SEMINÁRIO IBERO-AMERICANO ARQUITETURA E DOCUMENTAÇÃO, 2017, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2018.

REIS, Antônio Carlos. Repertório, análise e síntese: uma introdução ao projeto arquitetônico. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

SANTA CECÍLIA, Bruno Luiz Coutinho. Complexidade e contradição na arquitetura brasileira: a obra de Éolo Maia. 2004. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) - Escola de Arquitetura, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

SEGRE, Roberto. Arquitetura em Belo Horizonte. Sylvio Emrich de Podestá, o “gambá” bem humorado. Arquitextos, São Paulo, ano 02, n. 020.00, Vitruvius, janeiro 2002. Disponível em: http://vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/02.020/810. Acesso em: 16 jan. 2018.

TAGLIARI, Ana. Modelos conceituais de percurso e circulação no projeto de arquitetura. Revista 5% Arquitetura + Arte, São Paulo, ano 13, volume 1, número 16, 2018. Disponível em: http://revista5.arquitetonica.com/index.php/uncategorised/modelos-conceituais-de-percurso-e-circulacao-no-projeto-de-arquitetura. Acesso em: 04 jan. 2019.

TAGLIARI, Ana Maria. Os projetos residenciais não-construídos de Vilanova Artigas em São Paulo. 2012. Tese (Doutorado em Projeto de Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo.

UNWIN, Simon. A análise da arquitetura. Porto Alegre: Bookman, 2013.

Publicado
27-12-2019
Seção
Artigos