GÊNERO, COTIDIANO E DIREITO À CIDADE: UMA REFLEXÃO PRÁTICA

  • Daniela Abritta Cota UFSJ
Palavras-chave: gênero, cotidiano, direito à cidade, mulheres, São João del Rei - MG

Resumo

Este trabalho objetiva refletir sobre a incorporação prática da perspectiva de gênero em planos e projetos urbanos através da aplicação de métodos que permitam incluir, de fato, as experiências cotidianas e as demandas da mulher em relação à cidade. Para isso utilizamos a metodologia desenvolvida por um coletivo especialista em Urbanismo feminista – o Col.lectiu Punt 6, de Barcelona. Buscaremos apresentar tal metodologia e aplicá-la em estudos urbanos no bairro Solar da Serra, em São João del Rei- MG para posteriormente refletir  sobre as possíveis contribuições destes métodos para o avanço da incorporação da temática de gênero nos estudos urbanos e, consequentemente para viabilizar o direito das mulheres à cidade.

Biografia do Autor

Daniela Abritta Cota, UFSJ

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999), mestrado e doutorado em Geografia (2002 e 2010 respectivamente) pela UFMG (Área: Organização do Espaço). Atuou na equipe de planejamento urbano da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, MG de 2005 a 2011. Tem experiência de docência e pesquisa nas áreas de Arquitetura e Urbanismo, Geografia Urbana e Análise Ambiental e Organização do Espaço, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento urbano e regional, política urbana e habitação, política urbana e patrimônio cultural, legislação urbana, produção de moradias e capital imobiliário, organização do espaço e atividade turística. Atualmente é professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFSJ. Recebeu o VII Prêmio Brasileiro Política e Planejamento Urbano e Regional (promovido pela ANPUR) na modalidade Tese de Doutorado pelo trabalho intitulado “A parceria público-privada na política urbana brasileira recente: reflexões a partir da análise das operações urbanas em Belo Horizonte”.

Publicado
31-07-2020