Análise da concentração de fluoretos em águas minerais disponíveis no Rio de Janeiro

Luciane Monte Alto Seabra

Resumo


Nos últimos anos, pode-se notar um consumo de água mineral industrializada contínuo e crescente. Estes produtos apresentam fluoreto, podendo apresentar variações da sua concentração, fazendo com que os seus benefícios, possam resultar em consequências negativas, favorecendo o surgimento da fluorose dentária ou a carência de ingestão de fluoretos. O objetivo do presente estudo foi analisar a presença de fluoreto em águas minerais comercializadas na cidade do Rio de Janeiro e verificar se a quantidade de fluoreto presente corresponde aos valores informados nos rótulos fornecidos pelos fabricantes. A concentração de fluoreto foi medida com o uso de um eletrodo íon seletivo específico para fluoretos. Os resultados mostraram que a média da quantidade de fluoretos foi de 0,29 ppm F¯ com intervalo entre 0,10 e 0,74ppmF¯. Nenhum dos valores encontrados correspondeu à quantidade descrita no rótulo, com variações de -0,5% a 11%. Com exceção de uma das amostras, os resultados mostram que a quantidade de fluoreto encontrada está abaixo daquela ótima recomendada para contribuir para a prevenção da doença cárie.