Análise da concentração de fluoretos em águas minerais disponíveis no Rio de Janeiro

Pablo José Paixão, Walter Arthur Silva Valente, Paulo Roberto Nery Camuri Nunes, Tais Munhoz, Luciane Monte Alto de Seabra

Resumo


Nos últimos anos, pode-se notar um consumo de água mineral industrializada contínuo e crescente. Estes produtos apresentam fluoreto, podendo apresentar variações da sua concentração, fazendo com que os seus benefícios, possam resultar em consequências negativas, favorecendo o surgimento da fluorose dentária ou a carência de ingestão de fluoretos. O objetivo do presente estudo foi analisar a presença de fluoreto em águas minerais comercializadas na cidade do Rio de Janeiro e verificar se a quantidade de fluoreto presente corresponde aos valores informados nos rótulos fornecidos pelos fabricantes. A concentração de fluoreto foi medida com o uso de um eletrodo íon seletivo específico para fluoretos. Os resultados mostraram que a média da quantidade de fluoretos foi de 0,29 ppm F¯ com intervalo entre 0,10 e 0,74ppmF¯. Nenhum dos valores encontrados correspondeu à quantidade descrita no rótulo, com variações de -0,5% a 11%. Com exceção de uma das amostras, os resultados mostram que a quantidade de fluoreto encontrada está abaixo daquela ótima recomendada para contribuir para a prevenção da doença cárie.

Palavras-chave


Fluoretação. Água mineral. Controle de qualidade.

Texto completo:

PDF