TANGO: BAILE DOS CORPOS DÓCEIS

Palavras-chave: Filosofia, Tango argentino, Dança, Arte

Resumo

Para mim é uma grande alegria escrever sobre um belo livro que tive o privilégio de ler com antecedência. Trata-se de um ensaio que acaba de sair do forno e que tem como foco um gênero musical muito importante para a cultura argentina e é um presente para a humanidade: o Tango. Gênero musical apresentado com muito cuidado por Rafael Leopoldo, através de sua escrita que se fundamente e perpassa a psicologia, a antropologia e, principalmente, a filosofia francesa. Além disso, do início ao fim encontramos a sua paixão pela cultura e pela arte da música. Sua exposição ensaística é rica em detalhes da história da Argentina do século XIX e XX e dos hibridismos ocorridos na história da música tangueira com toda sua força rizomática. Em um primeiro momento, por exemplo, é analisado todo um período erótico e político do tango nos prostíbulos e lugares periféricos. Destes lugares, ademais, foram reconhecidas outras artes no século XIX e XX, não por convencimento, mas por persuasão ganharam notoriedade após o seu nascimento.Tango; Baile dos Corpos Dóceis é um livro que muito tem a contribuir para a literatura filosófico-musical e em especial, a literatura tangueira.


 

Biografia do Autor

Felipe Marçal Anunciação, FAJE - Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia

Graduado em Música pela UEMG - Universidade do Estado de Minas Gerais, Mestrando em Filosofia pela FAJE - Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia. Professor de música, regente, compositor e multi-instrumentista. 

Publicado
23-12-2019
Como Citar
Anunciação, F. M. (2019). TANGO: BAILE DOS CORPOS DÓCEIS. Sapere Aude, 10(20), 856-861. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2019v10n20p856-861