LINGUAGEM, DISCURSO E DOMINAÇÃO EM LÉVINAS

  • Luiz Fernando Pires Dias PUC Minas
Palavras-chave: Discurso. Dominação. Ética. Lévinas. Linguagem.

Resumo

Este artigo examina a utilização do discurso como instrumento de poder, dominação e violência, através da perspectiva de Emanuel Lévinas, filósofo lituano, que buscou um novo sentido para o humano, fora dos domínios do ser, pensando a ética como Filosofia Primeira. O estudo está alicerçado nas análises que o filósofo da Alteridade desenvolveu em relação a dois fenômenos político-históricos: a gênese da ideologia hitlerista e a ambiguidade retórica ocorrida no processo de desestalinização da antiga União Soviética. Suas considerações constituem importantes subsídios à compreensão do cenário de intolerância, polarização de ideias e consequente ausência de diálogo que hoje vivenciamos. Refletimos, também, sobre a questão da linguagem em Lévinas, concepção desenvolvida através de uma crítica contundente à primazia da ontologia no pensamento ocidental, que privilegiou a síntese redutora e totalizante da realidade, suprimindo o espaço à alteridade. Lévinas procurou seus referenciais na ética, no encontro humano, na nudez do rosto que, como palavra vivente, investe o homem da responsabilidade pelo seu próximo.

Biografia do Autor

Luiz Fernando Pires Dias, PUC Minas

Mestre em Ciências da Religião - PUC Minas; Bacharel em Filosofia - PUC Minas; Pesquisador na área “Religião, Ética e Relativismo”

Publicado
22-12-2019
Como Citar
Pires Dias, L. F. (2019). LINGUAGEM, DISCURSO E DOMINAÇÃO EM LÉVINAS. Sapere Aude, 10(20), 557-577. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2019v10n20p557-577
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: DOSSIÊ/DOSSIER