PRÁTICAS SEXUAIS E MORAL NA ANTIGUIDADE E MODERNIDADE, À LUZ DA TEORIA DE MICHEL FOUCAULT

  • Thiago Augusto Galeão Azevedo CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PARÁ
Palavras-chave: Moral. Corpo. Práticas sexuais. Antiguidade. Modernidade.

Resumo

Este estudo surge do questionamento sobre a origem das relações de poder exercidas sobre o corpo na modernidade, responsáveis pela própria criação do corpo sexuado e seu controle. A partir de tais noções, nasce o questionamento sobre a ligação do referido controle moderno para com possíveis origens na antiguidade, no que concerne a moral construída sobre o corpo e às práticas sexuais. Para tanto, realizou-se o presente estudo, à luz da teoria do filósofo Michel Foucault, analisando-se em que medida há uma continuidade entre antiguidade e modernidade no que se refere à moral relativa às práticas sexuais. Tem-se como objetivo geral analisar a continuidade da construção moral entre a antiguidade e a modernidade relativo ao corpo e as práticas sexuais desenvolvidas a partir dele. Como hipótese, sustenta-se uma descontinuidade moral entre tais períodos, considerando-se a pastoral cristã como um evento que revolucionou a configuração das relações de poder sobre o corpo.

Biografia do Autor

Thiago Augusto Galeão Azevedo, CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PARÁ
Professor Universitário - Centro Universitário do Pará. Mestre em Direito, Políticas Públicas e Desenvolvimento Regional - CESUPA. Especializando em Direito Civil pela PUC MINAS.
Publicado
02-07-2020
Como Citar
Azevedo, T. A. G. (2020). PRÁTICAS SEXUAIS E MORAL NA ANTIGUIDADE E MODERNIDADE, À LUZ DA TEORIA DE MICHEL FOUCAULT. Sapere Aude, 11(21), 239-258. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2020v11n21p239-258
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT