The AMBIGUIDADE PRESENTE NA RELAÇÃO DE NIETZSCHE COM O CETICISMO

  • Francisco Alvarenga Junnior Neto Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia
Palavras-chave: Ceticismo. Criação. Filosofia do futuro. Nietzsche. Verdade.

Resumo

Este artigo se pretende a uma discussão acerca da relação entre Nietzsche e o ceticismo. Em algumas passagens o filósofo realiza elogios aos céticos, porém, em outras, ele passa a referir-se a eles como decadentes. Ainda, em determinados momentos de seu texto, Nietzsche reclama para si outro tipo de ceticismo: experimental e criador que, visto mais de perto, não se identifica com as versões do ceticismo afirmadas durante a história da Filosofia. Dessa maneira, a fim de compreendermos a ambiguidade presente na relação de Nietzsche com o ceticismo, dividimos nosso trabalho em três seções. Na primeira, buscar-se-á explicitar a compreensão que o filósofo possui sobre a questão da verdade, em contrapartida ao entendimento dogmático. Na segunda seção o objetivo será discutir as formas como o ceticismo aparece no texto nietzschiano, com o intuito de clarificar a visão do filósofo sobre esta tradição. Por fim, na terceira seção, o texto se desenvolverá apresentando a voz cética de Nietzsche. Esta sua voz não se identifica com as vozes céticas de outrora. O ceticismo nietzschiano – criador – não aceita a paralisação da vontade, pelo contrário, ganha vida em prol da criação de possibilidades novas e engrandecedoras de si.

Biografia do Autor

Francisco Alvarenga Junnior Neto, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia

Mestre em Filosofia pela Faculdade Jesuíta de Filodofia e Teologia (FAJE). Graduado em filosofia pelo Instituto Santo Tomás de Aquino (ISTA).

Publicado
02-07-2020
Como Citar
Alvarenga Junnior Neto, F. (2020). The AMBIGUIDADE PRESENTE NA RELAÇÃO DE NIETZSCHE COM O CETICISMO. Sapere Aude, 11(21), 259-275. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2020v11n21p259-275
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT