LIBERALISMO, DEMOCRACIA E A QUESTÃO DO TRABALHO

  • Ana Selva Castelo Branco Albinati PUC Minas
Palavras-chave: Marx. Estado. Liberalismo. Democracia. Trabalho.

Resumo

RESUMO

Tendo como base o pensamento de Marx sobre o Estado – sua gênese e sua razão de ser –, refletimos aqui sobre a relação entre liberalismo e democracia e a tensão entre esses dois projetos no desenvolvimento do capitalismo e suas implicações sobre as condições de trabalho. Marx, ao analisar a diferença entre a relação Estado-sociedade que se verifica da passagem do mundo medieval ao mundo moderno, chama a atenção para a autonomização do Estado em relação à sociedade, processo que leva à cisão entre o indivíduo em sua vida privada e o cidadão. Contrapondo-se à reflexão hegeliana que via no Estado moderno a possibilidade de reconciliação entre os interesses particulares e os interesses universais, Marx desvela o Estado como uma instância que se ergue sobre as contradições da vida social, sendo, por isso, impotente para resolvê-las. Pretendemos desenvolver neste artigo a questão: se o Estado responde aos antagonismos próprios da vida social, antagonismos vinculados ao modo de produção, o que é o Estado moderno senão o Estado liberal, quando seu pressuposto é a propriedade privada? E sendo assim, como compreender a relação entre liberalismo e democracia enquanto elementos da relação entre o Estado e a sociedade na modernidade?

 

Biografia do Autor

Ana Selva Castelo Branco Albinati, PUC Minas

Doutora em filosofia. Professora da PUC Minas.

Publicado
02-07-2020
Como Citar
Castelo Branco Albinati, A. S. (2020). LIBERALISMO, DEMOCRACIA E A QUESTÃO DO TRABALHO . Sapere Aude, 11(21), 82-99. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2020v11n21p82-99
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: DOSSIÊ/DOSSIER