PINTURA E LITERATURA EM MERLEAU-PONTY: EXPRESSÃO DIACRÍTICA E INSTITUIÇÃO HISTÓRICA

  • Iracy Ferreira dos Santos Júnior Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Merleau-Ponty. Expressão Diacrítica. Pintura. Literatura. Instituição histórica.

Resumo

RESUMO

A partir contato com as obras do período intermediário do pensamento de Merleau-Ponty (1948-1955), este artigo pretende demonstrar como pintura e literatura, enquanto formas de expressão, revelam-se capazes de reaprender a ver o mundo, de apreender o sentido do mundo ou da história em estado nascente, sem jamais esgotá-lo. Para isso, descreve como Merleau-Ponty amplia o sentido da noção de diacriticidade, de Saussure, ao não limitá-la à análise linguística da linguagem, mas ao admitir que tanto a percepção quanto a expressão e o próprio sensível partilham uma função diacrítica. Em seguida, tomando a pintura como linguagem, analisa como, por meio da noção de estilo, pintor e escritor, cada um a seu modo, “deformam” a linguagem e a tradição instituídas para fazer surgir nelas uma nova linguagem. Por fim, elucida a matriz temporal e histórica do conceito de instituição ao apresentar o modo como a obra de arte pictórica ou literária opera uma retomada dessa tradição e institui um novo sentido na história como advento, presença, abertura inesgotável.

Publicado
22-12-2020
Como Citar
Santos Júnior, I. F. dos. (2020). PINTURA E LITERATURA EM MERLEAU-PONTY: EXPRESSÃO DIACRÍTICA E INSTITUIÇÃO HISTÓRICA. Sapere Aude, 11(22), 536-557. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2020v11n22p536-557
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT