A DESCRENÇA COMO TERAPIA. O PROCEDIMENTO CÉTICO FRENTE À PERTUBAÇÃO DOGMÁTICA

.

Palavras-chave: Ceticismo, Descrença, Dogmatismo, Suspensão do juízo, Verdade

Resumo

A intenção deste artigo é apresentar o percurso realizado pelo indivíduo que se compreende como cético.  O ceticismo é visto como contrário à posição dogmática, marcada pela defesa de argumentos e teses como verdades. Apesar de assim se definir o ceticismo: como uma postura marcada pela descrença, o ceticismo não pode ser compreendido somente por isto; ou seja, pensando o indivíduo cético, ele não é visto como tal pela sua vontade de contrapor teses pelo puro gosto de realizá-lo, antes disso, a descrença e a oposição levadas a cabo pelo cético são quase que naturais, como resultados inescapáveis da sua forma de proceder. Para tanto, compreender o processo que leva alguém a se tornar um cético e se posicionar contra o dogmatismo, na primeira seção buscaremos apresentar o ceticismo filosófico. Na segunda seção, se intentará apresentar o itinerário cético por meio do qual se estabelece a sua identidade. Na última seção, buscaremos salientar quais são os pontos do dogmatismo atacados pelo cético a fim de demonstrar a sua impossibilidade enquanto uma posição filosófica.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Alvarenga Junnior Neto, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia

Doutorando em Filosofia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Mestre em Filosofia pela Faculdade Jesuíta de Filodofia e Teologia (FAJE). Graduado em filosofia pelo Instituto Santo Tomás de Aquino (ISTA).

Publicado
09-07-2021
Como Citar
Alvarenga Junnior Neto, F. (2021). A DESCRENÇA COMO TERAPIA. O PROCEDIMENTO CÉTICO FRENTE À PERTUBAÇÃO DOGMÁTICA. Sapere Aude, 12(23), 174-185. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2021v12n23p174-185
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT