Beauvoir com Sade: ética, ambiguidade e alteridade

  • Carla Rodrigues UFF/PUC-Rio/Unicamp-CNPq

Resumo

Este artigo propõe uma leitura do texto que Simone de Beauvoir dedica ao Marquês de Sade, Faut-il brûler Sade?, a partir da perspectiva da ética. Trata-se de pensar como Sade serve aos propósitos da filósofa francesa de contestar dois importantes autores da modernidade: Rousseau e Kant. Em relação ao primeiro, a filósofa francesa discute a formação das mulheres para a vida doméstica; em relação a Kant, Beauvoir se vale da ideia da ambiguidade para contestar a autonomia moral, antecipando os problemas éticos que se colocam para a filosofia do final do século XX.


This paper proposes a text reading Simone de Beauvoir dedicated to the Marquis de Sade, Faut-il brûler Sade?, from the perspective of ethics. Sade serves the purposes of the french philosopher to challenge two important authors of modernity: Rousseau and Kant. Regarding the first, Beauvoir discusses the training of women to domestic life and, for Kant, she relies on the idea of ambiguity to challenge the moral autonomy, anticipating ethical problems that will be important to the end of philosophy twentieth century.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Rodrigues, UFF/PUC-Rio/Unicamp-CNPq
Doutora em Filosofia (PUC-Rio). Professora (Filosofia/UFF, Comunicação Social/PUC-Rio). Pesquisadora, sob a supervisão de Fabio Durão (IEL/Unicamp), do Programa de Pós-Doutorado Júnior do CNPq (2011/2013)

Referências

BEAUVOIR, Simone. Faut-il brûler Sade? Paris : Gallimard, 1955. __________. Deve-se queimar Sade? São Paulo : Difusão Européia do Livro, 1961.

__________. Moral da Ambigüidade. RJ: Paz e Terra, 1970.

__________. O Segundo Sexo. RJ: Nova Fronteira, 2009.

BORRADORI, Giovanna. Filosofia em tempos de terror: diálogos com Habermas e Derrida. Trad. Roberto Mugiatti. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BUTLER, Judith. "Beauvoir on Sade." IN: CARD, Claudia (org.). The Cambridge Companion to Simone de Beauvoir. Cambridge University Press, 2003.

CISCATO, Maricia Aguiar. A ética do dever em Kant e a ética do desejo em Lacan: aproximações e diferenças. 2007. Dissertação (Mestrado em Filosofia). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

DERRIDA, Jacques. “En ce moment même dans cet ouvrage me voici”. In: ______. Psyché. inventions de l’autre. Paris: Galilée, 1987.

______. Donner la mort. Paris: Galilée, 1999.

______. “A palavra acolhimento”. Trad. Fabio Landa. In: ______. Adeus a Emmanuel Levinas. São Paulo: Perspectiva, 2004.

GASPAR, Adília Maia. A representação das mulheres no discurso dos filósofos: Hume, Rousseau, Kant e Condorcet. Rio de Janeiro: Uapê/Seaf, 2009.

GRZIBOWSKI, Silvestre. “Levinas e Kant: um estudo a partir da autonomia e heteronomia”. Rev. Filos., Aurora, Curitiba, v. 22, n. 31, p. 545-556, jul./dez. 2010.

GUILMETTE, Lauren. Reading Butler reading Beauvoir reading Sade: on ethics and Eros. Philosophy today. Spep Suplement 20, 2011.

KANT, Immanuel. Observações sobre o belo e o sublime. Trad. Vinicius de Figueiredo. Campinas, sp: Papirus, 1993.

__________. Crítica da Razão Pura. Tradução Fernando Costa Mattos. Petrópolis, RJ : Vozes, 2012.

__________. Crítica da Razão Prática. Tradução Valério Rohden. São Paulo : Martisn Fontes, 2011.

_________. Fundamentação da metafísica dos costumes. Tradução Guido Antônio de Almeida. São Paulo : Barcarolla, 2010.

LACAN, Jacques. Escritos. Tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro : Zahar Editora, 1998.

LÉVINAS, Emmanuel. Le temps et l’autre. 5. ed. Paris: puf, 1994.

______. Totalidade e infinito. Trad. José Pinto Ribeiro. Lisboa: Edições 70, 2000., J. ROUSSEAU, J. Emílio ou da educação. Trad. Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

RODRIGUES, Carla. Coreografias do feminino. Florianópolis : Editora Mulheres, 2009.

________. “A costela de Adão: diferenças sexuais a partir de Lévinas”. Rev. Estud. Fem. vol.19 no.2 Florianópolis Maio/Ago. 2011. < http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200004>. Acesso em: 04 Jan. 2013.

_________. “Antígona: lei do singular, lei no singular”. Sapere Aude - Revista de Filosofia, Belo Horizonte, v. 3, n. 5, p. 32-54, jun. 2012. ISSN 2177-6342. Disponível em: <http://periodicos.pucminas.br/index.php/SapereAude/article/view/3500/4125>. Acesso em: 04 Jan. 2013.

SADE, Marquês. A filosofia na alcova. Tradução Augusto Contador Borges. São Paulo : Iluminuras, 2009.

SAFATLE, Vladimir. “Être juste avec Freud : la psychanalyse dans l´antichambre de De la Grammatologie" IN: MANIGLIER, Patrice (org.) Le moment philosophique des années 1960 en France. Paris : PUF, 2011.

SCOTT, Joan. A cidadã paradoxal: as feministas francesas e os direitos do homem. Trad. Élvio A. Funck. Florianópolis : Editora Mulheres, 2002.

SCHNEEWIND, J.B. A invenção da autonomia. São Leopoldo : Editora Unisinos, 2005.

SCHRIFT, Alan D. Le nietzschéisme comme épistémologie : la réception française de Nietzsche dans le moment philosophique des années 1960. IN: MANIGLIER, Patrice (org.) Le moment philosophique des années 1960 en France. Paris : PUF, 2011.

UCHIDA, Tatsuru. Emmanuel Lévinas et la phénoménologie de l’amour. Tokyo: Serika Syobô, 2001.

Publicado
08-01-2013
Como Citar
Rodrigues, C. (2013). Beauvoir com Sade: ética, ambiguidade e alteridade. Sapere Aude, 3(6), 234-249. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/SapereAude/article/view/4624
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: DOSSIÊ/DOSSIER