Linguagem, gênero e filosofia: qual o mundo criado para as mulheres? Uma abordagem wittgensteiniana

  • Djamila Ribeiro Universidade Federal de São Paulo

Resumo

O presente trabalho pretende evidenciar os possíveis impasses suscitados pela linguagem em relação à mulher. Objetiva demonstrar a não neutralidade da linguagem através dos conceitos e valores sobre a questão de gênero. Para tal, será utilizado, como ferramenta crítica, o conceito de linguagem como forma de vida apresentado pelo filósofo Ludwig Wittgenstein, na obra Investigações Filosóficas. Primeiramente, será feita uma introdução sobre a origem da linguagem baseada em conceitos históricos e, finalmente, aborda-se o conceito de linguagem como forma de vida segundo Wittgenstein, buscando-se fazer a relação entre linguagem e gênero.

The present paper intends to evidence the possible impasses raised by language in relation to women. It tries to demonstrate de non-neutrality of language as well as the values and concepts that it demonstrates regarding the question of gender. For such purpose, the concept of language as form of life, presented by philosopher Ludwig Wittgenstein in Philosophical Investigations, will be used as a critical tool. Firstly, an introduction on the origin of language based in historical concepts will be made and, finally, the concept of language as form of life will be addressed, aiming to relate language and gender.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Djamila Ribeiro, Universidade Federal de São Paulo
Mestranda em Filosofia pela Universidade Federal de São Paulo. Membro fundadora do Núcleo Interdisciplinar de Estudos de Gênero, Raça e Sexualidade (MAPÔ) da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) da Universidade Federal de São Paulo

Referências

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações filosóficas; tradução de José Carlos Bruni. 2 ed. São Paulo: Abril Cultural, 1979. (Os pensadores).

CHAUÍ, Marilena. Introdução à História da Filosofia. São Paulo: Companhia da Letras, 2002.

TIBURI, Márcia./MENEZES, Magali M. de./EGGERT, Edla. (Orgs.) As mulheres e a filosofia. São Leopoldo: Editora UNISINOS, 2002.

BORGES, Jorge Luís de. A Biblioteca de Babel in Ficções. São Paulo: Globo, 2001.

GNERRE, Maurizio. Linguagem, escrita e poder. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, n. 20, v.2, p. 71-100, jul./dez. 1995 [1986].

BEAUVOIR, Simone. O segundo sexo – fatos e mitos ; tradução de Sérgio Milliet. 4 ed. São Paulo : Difusão Européia do Livro, 1980.

RLE, Viviane ; OSTERMANN, Ana Cristina ; FIGUEIREDO, Débora de.(Orgs) Linguagem e gênero no trabalho, na mídia e em outros contextos. Universidade Federal de Santa Catarina, 2006.

STRÖHER, Marga J./DEIFELT, Wanda./MUSSKOPF, André S. (Orgs.) À flor da pele: ensaios sobre gênero e corporeidade. São Leopoldo: Sinodal; CEBI, 2004.

NYE, Andrea. Teoria Feminista e as filosofias do homem; tradução de Nathanael Campos. Rio de Janeiro: Record: Rosa dos tempos, 1995.

LOCKE, John. Ensaio sobre o entendimento humano. 5. ed. Tradução de Anoar Aiex. São Paulo: Nova Cultural, 1991. (Os pensadores).

ROUSSEAU, Jean Jacques. Ensaio sobre a origem das línguas; tradução de Fúlvia M. L. Moretto. Campinas: Editora da UNICAMP, 1998.

Publicado
20-06-2014
Como Citar
Ribeiro, D. (2014). Linguagem, gênero e filosofia: qual o mundo criado para as mulheres? Uma abordagem wittgensteiniana. Sapere Aude, 5(9), 453-463. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/SapereAude/article/view/7674
Seção
COMUNICAÇÕES/COMUNICATIONS