COMBATE À VIOLÊNCIA NO ENSINO MÉDIO: TRABALHO COM OFICINAS EDUCATIVAS QUE OPORTUNIZAM A (CON)VIVÊNCIA DEMOCRÁTICA NA ESCOLA

Robson Figuereido Brito

Resumo


O tema violência na escola não é novo e está na ordem do dia, em nossa sociedade, por essa razão, este artigo trata de apresentar uma experiência de pesquisa-ação a partir da interlocução da Universidade e Escola Pública da Educação Básica em Belo Horizonte. Este trabalho trata de revelar o posicionamento do autor, pesquisador do Núcleo de Estudos da Linguagem, Letramento e Formação (NELLF) referente à realização de Oficinas Educativas concebidas como espaço do vínculo, da participação, da comunicação e da produção e interação social entre alunos do Ensino Médio, professores de Língua Portuguesa da Escola Pública Parceria, estudantes da Graduação e do Mestrado/Doutorado em Letras - Linguística e Língua Portuguesa, da PUC Minas no Projeto Leitura e Escrita no ensino médio: demandas para a ação e a formação de professores, caminhos para novas práticas. Criou-se oficinas educativas para o combate à violência na escola a partir da escuta atenta de professores e alunos sobre a realidade socioemocional, cultural e pedagógica de uma Escola Estadual, na região oeste, da cidade de Belo Horizonte, que durante a pesquisa esteve em parceria com o curso de Letras e outros cursos de Licenciatura, da referida universidade. O resultado dessa parceria foi dar voz aos alunos do Ensino Médio que participaram das atividades das oficinas em especial a relacionada ao tema: inclusão e exclusão social. Os alunos manifestam o seu posicionamento sobre esse tema e trazem para a cena do espaço escolar como é difícil ter de lidar com as diferenças identitárias que atravessam o seu modo de pensar, agir e dizer no cotidiano escolar.

 

PALAVRAS-CHAVE: Violência.  Discurso. Identidade. Pesquisa-ação. Oficinas educativas.


Palavras-chave


Filosofia; Educação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5752/P.2177-6342.2017v8n16p443

 

 

 

ISSN: 2177-6342