O papel da Escola para o enfrentamento da Violência Sexual contra crianças nos discursos de professores do Ensino Fundamental em Augusto Corrêa - PA

  • Wellen Renata Costa Santos Universidade Federal Pará
  • Raquel Amorim dos Santos Universidade Federal do Pará
  • Joana d’Arc de Vasconcelos Neves Universidade Federal do Pará - campus Bragança
  • Marcelo do Vale Oliveira Universidade Federal do Pará - campus Bragança
Palavras-chave: Violência Sexual. Discurso do professor. Papel da Escola.

Resumo

O presente estudo objetivou analisar os discursos de professores sobre o papel da escola para o enfrentamento da violência sexual contra crianças no Ensino Fundamental no município de Augusto Corrêa-PA, Nordeste do Pará. A metodologia de pesquisa foi pautada na abordagem qualitativa. A técnica de coleta de dados foi o questionário com perguntas semiestruturadas. A amostragem foi constituída por 04 (quatro) professores de uma Escola Municipal de Augusto Corrêa-PA. A análise ocorreu pela organização e tabulação, seguida análise e interpretação dos discursos, com transcrição total ou parcialmente dos discursos mais expressivos. Os discursos dos professores demonstram a compreensão sobre a violência sexual, mas o desconhecimento sobre a Rede de Proteção dos direitos da criança e adolescentes. Neste sentido, eles apresentam em seus argumentos, que o papel da escola limita-se a conscientização, sem apresentar uma ação de protagonista no sentido do atendimento das crianças que já tiveram seus direitos violados. Tais discursos reafirmam a necessidade de formação inicial e continuada que possibilite um conhecimento acerca dos direitos humanos, sobretudo, medidas e ações efetivas para o enfrentamento da violência sexual na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wellen Renata Costa Santos, Universidade Federal Pará

Graduanda em Pedagogia. Bolsista do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Educação, Currículo, Formação de Professores e Relações Étnico-Raciais.


Raquel Amorim dos Santos, Universidade Federal do Pará

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Mestra em Educação (UFPA). Professora Adjunta da UFPA, Campus Universitário de Bragança, Faculdade de Educação. Professora do Programa de Pós-Graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia (PPLSA). Pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Formação de Professores e Relações Étnico-Raciais (GERA/UFPA). Diretora das Áreas Acadêmicas da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros - ABPN (2017-2018). Graduada em Pedagogia pela Universidade da Amazônia (UNAMA). 



Joana d’Arc de Vasconcelos Neves, Universidade Federal do Pará - campus Bragança
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Mestra em Educação (UFPA). Professora Adjunta da Universidade Federal do Pará, Faculdade de Educação, Campus Universitário de Bragança e Professora do Programa de Pós-Graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia. Vice Coordenadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação de Jovens e Adultos e Diversidade na Amazônia. Pesquisadora participante do Grupo de Estudo e Pesquisa da Educação do Campo (GEPERUAZ) e Grupo de Pesquisa sobre a Juventude e Representações Sociais da Educação (GEPEJURSE). Pesquisadora da Cátedra Paulo Freire. Integrante do Movimento de Educação de Jovens e adultos na Amazônia paraense.

Marcelo do Vale Oliveira, Universidade Federal do Pará - campus Bragança
Doutor em Sociologia pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia, do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, da Universidade Federal do Pará (PPGSA/IFCH/UFPA, 2018). Mestre em Ecologia de Ecossistemas Costeiros e Estuarinos pelo Programa de Pós-graduação em Biologia Ambiental, do Instituto de Estudos Costeiros (PPGBA/IECOS/UFPA). Graduado com Bacharelado e Licenciatura Plena em Ciências Sociais pela Faculdade de Ciências Sociais, do Instituto de Filosofia e
Ciências Humanas, da Universidade Federal do Pará (FACS/IFCH/UFPA). Atua como Técnico em Assuntos Educacionais da Universidade Federal do Pará, lotado no Campus Universitário de Bragança.


Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA MULTIPROFISSIONAL DE PROTEÇÃO A INFÂNCIA E A ADOLESCÊNCIA Abuso sexual contra crianças e adolescentes: mitos e realidades. 3. ed. Petrópolis: Autores & Agentes & Associados, 2002.

AZEVEDO, Gabriela Azen; HABIGZANG, Luiza F; KOLLER, Silvia H; MACHADO, Paula Xavier. Abuso sexual infantil e dinâmica familiar:aspectos observados em processo jurídico. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 21, n.21, p. 341 a 348, set./dez. 2005.

BALBINOTTI, Claudia. A violência sexual infantil intrafamiliar: a vitimização da criança e do adolescente vítima de abuso. Direito & Justiça, v. 35, n. 1, p. 5-21, jan./jun. 2009. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fadir/article/view/82075894. Acesso em: 20 fev. 2019.

BARROS, Marilene Maria Aquino Castro. A participação da escola no enfrentamento da exploração sexual contra crianças e adolescentes em municípios impactados por grandes projetos minero-metalúrgicos: um estudo de caso em juruti (PA).2016. 251f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará. Programa de Pós-Graduação em Educação. Belém-PA, 2016.

BORGES, Jeane Lessenge. Abuso sexual infantil: consequências cognitivas e emocionais. 2007.94 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de PósGraduação em Psicologia, Porto Alegre, 2007.

BOTELHO, André; SCHWARCZ, Lilia Moritz. (org.). Cidadania, um projeto em construção: minorias, justiça e direitos. São Paulo: Claro Enigma,

BRASIL. Lei n°8069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 16 jul. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm. Acesso em: 20 fev. 2019.152

BRASIL. Lei n°9.394 de 20 de dezembro de 1996. Lei de diretrizes base da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 20 fev.

BRASIL. Ministério da Educação. Guia escolar: métodos para identificação de sinais de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Brasília: Secretaria Especial dos Direitos Humanos, 2004.

BRINO, Rachel de Faria;WILLIAMS, Lúcia Cavalcanti de Alvuquerque. Concepções da professora acerca do abuso sexual infantil. Cadernos Pesquisa, n. 119, p. 113-128, 2003.

COSTA, Liana Fortunado; JUNQUEIRA, Eika Lôbo, MENESES, Fernanda Figueiredo Falcomer; STROHER, Lucy Mary Cavalcanti. As relações familiares do adolescente ofensor sexual. Psico USF, v. 18, n.1, p. 33-44,

jan. / abr. 2013.

FALEIROS, Vicente de Paula; FALEIROS, Eva Silveira. A escola que protege enfrentando a violência contra crianças e adolescentes. 2 ed. Brasília: Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Mistério da Educação, 2008.

FALEIROS, Vicente de Paula; FALEIROS, Eva Silveira. Escola que protege: enfrentando a violência contra crianças e adolescentes. Brasília: Ministério da Educação, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=downl oad&alias=638-vol-31-escqprotege-eletpdf&category_slug=documentos pdf&Itemid=30192. Acesso em: 20 fev. 2019.

FERREIRA, Ana Lúcia. A escola e a rede de proteção de crianças e adolescentes. In: ASSIS, Simone Gonçalves de; CONSTANTINO, Patrícia; AVANCI, Joviana Quintes, (org.). Impactos da violência na escola: um diálogo com professores. Rio de Janeiro: Ministério da Educação/ Editora FIOCRUZ, 2010. p. 203-234. Disponível em:http://books.scielo.org/id/szv5t/pdf/assis-9788575413302-10.pdf. Acesso em: 20 fev. 2018.

GODOY, Arilda Schmidt. Pesquisa qualitativa tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v.35, p. 20-29, 1995. Arquivo Brasileiro de Educação, Belo Horizonte, v. 6, n. 14, mai-ago, 2018.

INOUE, Silvia Regina Viodres; RISTUM, Marilena. Violência sexual: caracterização e análise de casos revelados na escola. Estudos de Psicologia. Campinas, v.25, n.1, p.11-21, 2008.

LABADESSA, Vanessa Milani; ONOFRE, Mariangela Aloise. Abuso sexual

infantil: perspectivas na defesa dos direitos humano. Revista Olhar Científico - Faculdades associadas de Ariquemes, v.1, n. 1, jan/jul. 2010.

LANDINI, Tatiana. S. O professor diante da violência sexual.São Paulo: Cortez, 2011.

LAVAREDA, Renata Pereira; MAGALHÃES, Thaís Quezado Soares. Violência sexual contra crianças e adolescentes: identificação e enfrentamento. Brasília: Ministério Público do Distrito Federal e Territórios. Núcleo de Enfrentamento à Violência e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, 2015.

LIMA, Joana Azevêdo; ALBERTO, Maria de Fátima Pereira. O olhar de

mães acerca do abuso sexual intrafamiliar sofrido por suas filhas. Psicologia: ciência e profissão, v. 35, n. 4, out./dez. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414 98932015000401157&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 20 fev. 2019.

MARTELLI, Andréa Cristina. Abuso sexual contra crianças e adolescentes: o que a escola tem a ver com isso? In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE

EDUCAÇÃO SEXUAL CORPO, IDENTIDADE DE GÊNERO E HETERONORMATIVIDADE NO ESPAÇO ESCOLAR, 3., 2013, Maringá-PR. Anais [...] Maringá-PR, 2013.

MARTINS, Rosimeire de Carvalho. Sofrimento e resiliência: o impacto do

abuso sexual na saúde de mulheres vitimadas em Manaus.2007. 198 f. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Espírito Santo, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Vitória, 2007. Disponível em: http://repositorio.ufes.br/bitstream/10/9104/1/tese_687_.pdf. Acesso em: 20 fev. 2019.

MINAYO, Maria Cecília de Souza; DESLANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu (org.) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, Rj: Vozes, 1994.

ORLANDI, Eni. Análise do discurso: princípios e procedimentos. Campinas, SP: Pontes, 1999.154

ORLANDI, Eni. Discurso e texto: formulação e circulação dos sentidos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2008.

PÁDUA, Elisabete Matallo Marchesini de. Metodologia da pesquisa: abordagem teórico-prática. 13. ed. Papirus. Campinas, SP.2007.

PAIVA, Eliane Aparecida Faria de. A prevenção primária e secundária do abuso sexual na educação infantil: reflexões no âmbito das políticas públicas. 2015. 250 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Programa de Pós-Graduação em Educação, Campinas,SP,

PIRES, Ana L. D.; MIYAZAKI, Maria C. O. S. Maus-tratos contra crianças e adolescentes: revisão da literatura para profissionais da saúde. Arquivo de Ciências da Saúde, jan-mar, 12(1): 42-49, 2005.

ROMERO, Karen Richeter Pereira dos Santos. Crianças vítimas de abuso sexual: aspectos psicológicos da dinâmica familiar.Curitiba: Centro de Apoio Operacional da Promotoria da Criança e Adolescente, 2007.

SEVERINO, Antônio Joaquim, Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. e atual. São Paulo: Cortez, 2007.

VAGLIATI, Ana Carla; GAGLIOTTO, Giseli M. Formação de Professores e Educação Sexual: O conhecimento psicanalítico na prevenção e identificação da violência e abuso sexual contra crianças e adolescentes na escola. Revista Teias, v. 15, n. 37, 168-177, 2014

Publicado
06-08-2019
Como Citar
Santos, W. R. C., Santos, R. A. dos, Neves, J. d’Arc de V., & Oliveira, M. do V. (2019). O papel da Escola para o enfrentamento da Violência Sexual contra crianças nos discursos de professores do Ensino Fundamental em Augusto Corrêa - PA. @rquivo Brasileiro De Educação, 6(14), 114-154. https://doi.org/10.5752/P.2318-7344.2018v6n14p114-154
Seção
ARTIGOS: DOSSIÊ Infâncias e Crianças da Amazônia: saberes, vivências e educação em diferentes contextos