A POLÍTICA DE CARIDADE, ASSISTÊNCIA E PROTEÇÃO À INFÂNCIA DESVALIDA EM BELÉM DO PARÁ: DO IMPÉRIO À REPÚBLICA

  • Laura Maria Silva Araújo Alves Universidade Federal do Pará.
Palavras-chave: Grão Pará. Infância. Crianças Desvalidas. Higienismo. Filantropia. Assistencialismo.

Resumo

O objetivo deste artigo é trazer a lume a política de caridade, assistência e proteção à infância desvalida em Belém do Pará, do período que se estende do Império à República. No século XIX, a infância deveria ser assistida na capital do Pará em decorrência da política idealizada e implementada pela elite paraense. Assim, a infância que precisava ser assistida era designada de “órfã” e “exposta”. A primeira, dizia respeito, também, à criança que tinha perdido um dos pais, e a segunda, chamada, também, “enjeitada” ou “desvalida”, correspondia à criança que alguém não quis cuidar ou receber. Este artigo está divido em três partes. Na primeira, situo a cidade de Belém do Pará, em termos políticos, econômicos e sociais, no cenário do Brasil República, em interface com a infância. Na segunda parte, destaco as políticas assistenciais e filantrópicas no atendimento à infância no Pará e o ideário higienista. E, por fim, na terceira, trago à cena algumas instituições que foram criadas em Belém do Pará, no período do Império à República, para abrigar a criança órfã e desvalida.

 

ABSTRACT

The objective of this article is to bring to light the charity, assistance and protection policy for disfavored childhood in Belém-PA, from the period of the Empire to the Brazilian Republic. In the 19th century, children should be assisted in the capital of the state of  Pará as a result of the political idealization implemented by this state’s elite. Therefore, the ones who needed to be assisted were designated as “orphans” or “exposed”. The former ones, not exclusively, were the children who had lost one of their parents; the latter ones, also referred to as “rejected” or “disfavored”, corresponded to the children none would look after or welcome. This article is divided into three parts. In the first, the city of  Belém is situated in political, economic and social terms, interfaced with childhood, in the scenario of the Brazilian Republic. In the second, the assistance and philanthropic policies for childhood care, as well as the hygienist ideas, are highlighted. Finally, institutions created to shelter orphan and disfavored children in Belém, from the period of the Empire to the Republic, are brought to centre stage.

Keywords: Grão Pará. Childhood. Disfavored Children. Hygienism. Welfarism. Philantropy.

Biografia do Autor

Laura Maria Silva Araújo Alves, Universidade Federal do Pará.

Bacharel em Psicologia pela Universidade da Amazônia (1984) e graduação em Formação de Psicólogo pela Universidade da Amazônia (1986). É especialista em Educação e Problemas Regionais na Amazônia pela Universidade Federal do Pará (1988). Fez Mestrado em Letras na área da Lingüística pela Universidade Federal do Pará (1998) e Doutorado em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2003). Realizou Doutorado Sandwíche na Universidade de Évora - Portugal. É professora Associado II da Universidade Federal do Pará. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia do Desenvolvimento Humano e Psicolingüística. Realiza estudos sobre Linguagem e Tradição Oral. Orienta trabalhos na área História Social da Infância na Amazônia, Produtos Culturais e a Infância e Discursos das crianças. Atualmente é professora de Psicologia da Educação e pesquisadora da UFPA. Foi professora Visitante da PUC de São Paulo no Programa de Pós-Graduação em Educação e Currículo, através do Programa de Qualificação Institucional (PQI-2007). Tem publicado livros e artigos em revistas nacionais e internacionais. É coordenadora do grupo de pesquisa Constituição do Sujeito, Cultura e Educação (ECOS).

Publicado
12-09-2016
Como Citar
Alves, L. M. S. A. (2016). A POLÍTICA DE CARIDADE, ASSISTÊNCIA E PROTEÇÃO À INFÂNCIA DESVALIDA EM BELÉM DO PARÁ: DO IMPÉRIO À REPÚBLICA. @rquivo Brasileiro De Educação, 3(6), 34-64. https://doi.org/10.5752/P.2318-7344.2015v3n6p34