Contar-se para o outro: o desvelamento de si

  • Gerlice Rosa Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG
Palavras-chave: literaturas de língua portuguesa, linguística, filologia

Resumo

presente estudo visa à análise da construção narrativa do discurso de Patrícia Galvão, em seu livro Paixão Pagu. Deseja-se verificar os efeitos pretendidos e construídos no, e por meio do discurso das cartas escritas pela jornalista, na década de 1940, ao seu marido Geraldo Ferraz. Paixão Pagu é descrito como um “texto autobiográfico, uma carta-confissão”. Assim definido, alguns elementos da mise em scène apresentada são pontuados, como também das intencionalidades e da reestruturação de sentido que o discurso sofreu com sua adaptação para a publicação em livro. Com base nos estudos de Machado (2010) sobre narrativas de si, estruturamos nossa análise sobre Pagu, tendo como foco os modos de organização discursiva postulados por Charaudeau. Os estudos recentes de Machado conduziram nossa análise e compreensão a respeito do gênero e suas implicações sociodiscursivas. De forma mais pragmática, valemo-nos dos postulados charaudianos a respeito dos modos de organização do discurso e das estratégias discursivas organizadas para compor o discurso. Buscamos verificar de que maneira eles se articularam para cumprir objetivos pretendidos. Observamos, ainda, as particularidades da construção do discurso de Patrícia Galvão, especialmente no que tange
ao formato, elaboração de estratégias e envolvimento sujeitos na construção do discurso.

Palavras-chave: Patrícia Galvão. Narrativa de si.Autobiografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CHARAUDEAU, P. Linguagem e discurso. São Paulo:

Contexto. 2008.

FURLIN, N. & TAMANINI, M. Narrativas de si: processos de

subjetivação de mulheres docentes em teologia. In: Fazendo

Gênero: Diásporas, Diversidades, Deslocamentos. 2010. p.

-9.

GALVÃO, P. Paixão pagu: a autobiografia precoce de Patrícia

Galvão. Geraldo Galvão Ferraz (Org). Rio de Janeiro: Agir,

MACHADO, Ida Lucia. A ‘narrativa de si’ e a ironia: um estudo

de caso à Luz da Análise do Discurso. Cadernos Discursivos,

Catalão - GO, v.1, n. 1, p. 01-16, ago./dez. 2013. (ISSN 2317-

– online).

PALOMO, V. Um ritual de reinvenção de si. In: Elizeu

Clementino de Souza, Maria Helena Mena Barreto Abrahão

(Orgs). Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto

Alegre: EDIPUCRS, 2006.

PROCÓPIO-XAVIER, M. R. A configuração discursiva

de biografias a partir de algumas balizas de História e

Jornalismo. 2012. 291f. Tese (Doutorado em Linguística do

Texto e do discurso/Análise do discurso). Faculdade de Letras,

Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

RAMOS, T. R. O. Narrativas de si: lugares de memória. Revista

do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade

de Passo Fundo, Passo Fundo, v. 4, n. 2, p. 155-165 - jul./dez.

SOUZA, E. C. Pesquisa narrativa e escrita (auto)biográfica:

interfaces metodológicas e formativas. In: Elizeu Clementino

de Souza, Maria Helena Mena Barreto Abrahão (Orgs).

Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre:

EDIPUCRS, 2006.

Publicado
14-12-2015
Como Citar
Rosa, G. (2015). Contar-se para o outro: o desvelamento de si. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, 2(25), 125-143. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/11107
Seção
Dossiê: narrar e narrar-se