Ressignificação do político atráves do poético

  • Marcélia Guimarães Paiva Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - PUC Minas
Palavras-chave: literaturas de língua portuguesa, linguística, filologia

Resumo

O propósito desta comunicação é mostrar como a poesia em seu ritmo próprio pode atualizar a experiência vivida individual, através da reconfiguração de cenários e coisas de um mundo pretérito, sem se constituir num mero inventário de perdas produtor de um canto nostálgico. Ao contrário, pela natureza estruturante do verso – que em sua origem quer dizer mesmo volta – recicla, refaz, reformata e torna presente, os objetos ressignificados por uma visão do instante, do agora, do contemporâneo. A volta do verso reestrutura o vivido em função do presente. Esta comunicação mostra esse processo no poema Volta a Santiago do Chile, do poeta Ferreira Gullar, evidenciando os efeitos do contemporâneo no modo de lidar com o vivido. O ritmo recicla e reelabora a experiência para a transmissão do testemunho. O leitor do poema experimenta uma nova viagem aos fatos da memória, reaprende a lidar com o passado e empreende uma viagem pelos versos do poema com uma sensação nova, totalmente singularizada, deslocada dos relatos e inserida numa nova paisagem, a do poema lido. 

Palavras-chave: Espectralidade. Exílio. Poesia política. Volta a Santiago do Chile.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAMENIETZKI, Eleonora Ziller. Poesia e política: a trajetória

de Ferreira Gullar. Rio de Janeiro: Revan, 2006.

DERRIDA, Jacques. Espectros de Marx: o estado da dívida, o

trabalho de luto e a nova Internacional. Tradução de Anamaria

Skinner. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana.

Tradução de Claudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume-

Dumará, 2001.

DERRIDA, Jacques. O animal que logo sou (A seguir).

Tradução de Fábio Landa. São Paulo: UNESP, 2002.

GULLAR, Ferreira. Em alguma parte alguma. 2. ed. Rio de

Janeiro: José Olympio, 2010.

LOPONDO, Lilian; IGNATTI, Angela Sivalli. Tempo, espaço

e reconhecimento em Ensaio sobre a cegueira. Todas as Letras,Feira de Santana, v. 12, n. 2, p. 58-62, 2010. Disponível em:

<http://www.uefs.br/nep/labirintos/edicoes/01_2007/02_

artigo_lilian_lopondo.pdf>. Acesso em: 23 jun. 2014.

SAID, Edward Wadie. Reflexões sobre o exílio. In: Reflexões

sobre o exílio e outros ensaios. Tradução de Pedro Maia Soares.

São Paulo: Companhia das Letras, 2003. p. 46-60.

Publicado
14-12-2015
Como Citar
Paiva, M. G. (2015). Ressignificação do político atráves do poético. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, 2(25), 153-163. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/11109
Seção
Dossiê: narrar e narrar-se