VOZES DO SILÊNCIO AFRICANO: UMA BUSCA DE IDENTIDADE

  • Regina Célia Vaz Ribeiro Gonçalves PUC Minas
Palavras-chave: Vozes. Silêncio. Identidade.

Resumo

Este texto  pretende  analisar  o romance  Um rio chamado tem­po, uma casa chamada  terra, de Mia Couto, aludindo à questão das vozes e do silêncio que,  articulando-se, colaboram  para a construção da identidade de uma minoria que luta para se im­por.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABDALAJÚNIOR, Benjamin (Org.). Margens da cultura: mestiçagem, hibri­dismo e outras misturas. São Paulo: Boitempo, 2004.

BARTHES, Roland; FLAHAULT, F. Palavra. In: ROMANO, Ruggiero (Org.). Enciclopédia Einaudi. Lisboa: Imprensa Nacional; Casa da Moeda, 1987. v. 11, p. 118-136.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CHAVES, Rita; MACEDO, Tânia (Org.). Marcas da diferença: as literaturas africanas de língua portuguesa. São Paulo: Alameda, 2006.

COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura c senso comum. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006.

COUTO, Mia. O outro pé da sereia. São Paulo: Companhia das Letras, 2006a. COUTO, Mia. Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra. São Paulo: Companhia das Letras, 2006b.

COUTO, Mia. Raiz de orvalho. Lisboa: Caminho, 1999.

Publicado
11-05-2017
Como Citar
Gonçalves, R. C. V. R. (2017). VOZES DO SILÊNCIO AFRICANO: UMA BUSCA DE IDENTIDADE. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, (16), 127-140. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/14665