“Direito é Guerra”: Uma análise da metáfora conceptual no discurso jurídico do Supremo Tribunal Federal

Palavras-chave: Linguística, Análise do Discurso, Direito, Metáfora conceitual

Resumo

O presente estudo tem como escopo investigar a ocorrência da metáfora conceptual DIREITO É GUERRA nas decisões prolatadas pela mais alta corte de justiça brasileira, no âmbito do Direito Constitucional, Direito Civil e Direito Administrativo no período de um ano. Trata-se de pesquisa de cunho exploratório, quantitativa e qualitativa que se baseia em pressupostos teóricos de Louis Althusser (1980), Michel Pêcheaux (1990), Lakoff e Johnson (1980), Habermas (1989 e 2003), Tony Berber Sardinha e outros, utilizando-se dos métodos estatísticos e sendo ao final um estudo empírico acerca da metáfora conceptual e das expressões metafóricas licenciadas no imo do discurso jurídico contemporâneo.

Biografia do Autor

Maricélia Schlemper, Centro Universitário CESMAC - AL

Doutoranda em Linguística - DINTER CESMAC - PUC Minas; MESTRE em SOCIOLOGIA pela Universidade Federal de Alagoas UFAL; ADVOGADA OAB/AL 8241; Graduação: Bacharel em DIREITO pela Faculdade de Alagoas Estácio-FAL; Graduação: Bacharel em TURISMO pelo Centro de Estudos Superiores de Maceió CESMAC; Assessora Acadêmica da Coordenação do Curso de Direito do CESMAC - Função: Orientação, Organização e Condução dos Trabalhos de Conclusão de Curso; PROFESSORA no Centro Universitário CESMAC/ FADIMA (Faculdade de Ciências Jurídicas); PROFESSORA no Curso de Pós-graduação/ Especialização em Psicologia Jurídica e Perícia Criminal CESMAC/ FCH (Faculdade de Ciências Humanas) - Disciplina: Psicossociologia do Crime e Fenomenologia da Violência; PROFESSORA no Curso de Pós-graduação/ Especialização em Dependência Química - Disciplinas: 1- Grupos e Comunidades Terapêuticas; 2- Co-dependência Familiar; e 3- Aspectos Psicossociais da Drogadição; PROFESSORA no Curso de Pós-Graduação: Especialização em Psicologia do Trânsito - NETRAN Trânsito/AL - Disciplina: Direito do Trânsito. Principais áreas temáticas pesquisadas: Direito; Ciência; Tecnologia; Informação; Administração Pública; Gestão Documental; Educação; Cidadania; Hermenêutica; Argumentação. Membro do Comitê de Ética e Pesquisa do Centro Universitário CESMAC.

Referências

ALTHUSSER, Louis. Aparelhos Ideológicos de Estado. 2. ed.. Rio de Janeiro, Graal, 1985.

ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado: notas para uma investigação. 3ª ed. Lisboa: Editorial Presença/Martins Fontes, 1980.

ANDRÉS IBÁÑEZ, Perfecto. ‘Carpintería’ de la sentencia penal (en materia de ‘hechos’). En: En torno a la jurisdicción. Perfecto Andrés Ibáñez, 219-249. Buenos Aires: Editores Del Puerto, 2007.

BERBER SARDINHA, Tony. Acesso a corpos de português: Projecto AC/DC: corpo Corpus Brasileiro. Corpus Brasileiro anotado, versão de 25 de maio de 2019, v. 5.1. Disponível em: https://www.linguateca.pt/acesso/desc_corpus.php?corpus=CBRAS. Acesso em: 23 ago. 2019.

BERBER SARDINHA, Tony. Análise de Metáfora em Corpora. In: Ilha do Desterro, nº 52, p. 167-199, jan./jun. 2007. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/desterro/article/view/11715. Acesso em: 30 ago. 2019.

BERBER SARDINHA, Tony. Lingüística de Corpus: uma entrevista com Tony Berber Sardinha. In: Revista Virtual de Estudos da Linguagem - ReVEL. Vol. 2, n. 3, agosto de 2004. ISSN 1678-8931. Disponível em: http://www.revel.inf.br/files/entrevistas/revel_3_entrevista_tony_berber_sardinha.pdf. Acesso em: 23 ago. 2019.

DIGESTO. Transformando dados em inteligência jurídica. 2019. Disponível em: https://www.digesto.com.br. Acesso em: 23 ago. 2019.

ENFAM. Jurisprudência consolidada. Disponível em: http://corpus927.enfam.jus.br/. Acesso em: 23 ago. 2019.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.

GADET, Françoise. & PÊCHEUX, Michel. A língua inatingível. Tradução Betânia Mariani e Maria Elizabeth Chaves de Mello. Campinas: Pontes, 2004.

GRANGEIRO, Cláudia Rejane Pinheiro. Foucault, Pêcheux e a formação discursiva. In: BARONAS (org.). Análise do Discurso: apontamentos para uma história da noção-conceito de formação discursiva. Pedro e João Editores: São Carlos, SP, 2007.

HABERMAS, Jünger. Consciência Moral e Agir Comunicativo. Tradução Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

HABERMAS, Jünger. Direito e Democracia: entre faticidade e validade. Vol. I. 2. ed., Tradução Flávio Beno Siebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

HOEPLI EDITORE.IT Dizionario di La Repubblica. Copyright © Hoepli 2018. Disponível em: https://dizionari.repubblica.it/Italiano/L/litigare.html?refresh_ce. Acesso em: 23 ago. 2019.

HOUAISS, Antonio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa. v. 3.0. Elaborado pelo Instituto Antonio Houaiss de Lexicografia e Banco de Dados da Portuguesa. Disponível em: https://houaiss.uol.com.br/pub/apps/www/v3-3/html/index.php#0. Acesso em: 23 ago. 2019.

JUSBRASIL. Conectando pessoas à justiça através de advogados e informação jurídica. 2019. Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/home. Acesso em: 23 ago. 2019.

KÖVECSES, Zoltán. Metaphor: a practical introduction. New York: Oxford University Press, Inc., 2010.

OAB. Jurisprudência de uma forma mais ágil e eficaz. OABJuris 2018. In: Legal Labs Inteligência Artificial LTDA. Disponível em: https://jurisprudencia.oab.org.br. Acesso em: 23 ago. 2019.

ORWELL, George. 1984. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

PÊCHEAUX, Michel. Delimitações, inversões, deslocamentos. Tradução José Horta Nunes. In: Cadernos de Estudos Linguísticos, nº 19: 7-24, jul./dez. 1990. Campinas – SP: Universidade Estadual de Campinas, 1990.

RECONDO Felipe. Tanques e togas: o STF durante a ditadura. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

VOLKOFF, Vladimir. Petite histoire de la désinformation. Paris: Editions du Rocher, 1999.

Publicado
20-12-2019
Seção
Artigos