Bluesman – Baco Exu Do Blues: pela criação de novas narrativas possíveis para o sujeito negro

  • Juliane Ferraz Oliveira Puc Minas
Palavras-chave: Narrativas negras, Perspectivação, Referenciação, Metaforização

Resumo

Este trabalho parte da compreensão do sujeito negro como aquele que, dentro da sociedade brasileira, se enquadra na parcela da população que se reconhece como preta ou parda. Nesse sentido, ser negro é construir-se e ser construído identitariamente como pertencente a uma parcela da população que fora durante muito tempo marginalizada. Por reconhecer a complexidade de definição do sujeito negro e a importância de ouvir essas vozes que foram durante muito tempo dissidentes, disponho-me a investigar o processo de perspectivação de si, enquanto pessoa negra, na canção Bluesman do rapper Baco Exu do Blues. Mais precisamente, o estudo visa compreender, em uma perspectiva discursivo-cognitiva, esse processo de perspectivação e encenação da experiência do sujeito negro na narrativa construída por Baco Exu do Blues na música Bluesman. Compreendo que a perspectivação cognitiva é uma operação básica constitutiva da capacidade narrativa humana e que essa pode ser flagrada e descrita na dinâmica de encenação enunciativa das narrativas analisadas. Assumo como hipóteses que: i) na base da construção identitária como “pessoa negra” do sujeito em estudo está o processo de perspectivação da experiência de (re)construção de narrativas sobre si; e ii) esse processo implica referenciar-se enquanto negro com base na co-construção de metáforas multimodais. Como forma de atingir o objetivo assumido, utilizarei como referencial teórico Forceville (2016), por sua importância na interpretação de objetos de ordem multimodal; Brandt (2004), que permite a construção de uma análise ancorada na teoria dos níveis de integração; e Lakoff (1980), por compreender sua relevância para qualquer pesquisa que se proponha a estudar o processo de metaforização.

Biografia do Autor

Juliane Ferraz Oliveira, Puc Minas

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Letras - Linguística e Língua Portuguesa pela PUC Minas (2018 - 2022). Mestra em Linguística e Língua Portuguesa pela mesma universidade (2016), com interesse em estender sua jornada acadêmica com um futuro ingresso no pós-doutorado. Graduada no curso de Letras pela Universidade do Estado da Bahia desde fevereiro de 2014. Membro pesquisador-colaborador do grupo de Pesquisa ELINC/Puc Minas

 
Publicado
20-12-2019
Seção
Artigos