Cadernos CESPUC de Pesquisa Série Ensaios http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc <p><strong><strong>Cadernos CESPUC de Pesquisa</strong></strong>&nbsp;- &nbsp;Revista semestral do Programa de Pós-graduação em Letras e do Centro de Estudos Luso-afro-brasileiros da PUC Minas, classificada como B3 no <em>QUALIS</em> de sua área (Línguística, Letras e Artes).</p> <p><strong>Missão</strong>: &nbsp;A missão da revista é publicar dossiês contendo artigos científicos e ensaios inéditos e de reconhecida qualidade acadêmica, produzidos por discentes do Programa de Pós-graduação em Letras da PUC Minas e de outras instituições de ensino superior nacionais e estrangeiras. Com isso, divulga trabalhos das áreas de Literatura Brasileira, Literatura Portuguesa e literaturas africanas de língua portuguesa – Literatura Angolana, Literatura Caboverdiana, Literatura Guineense, Literatura Moçambicana e Literatura Santomense –, e das diferentes áreas e subáreas de estudos da Linguística e da Filologia.</p> <p><a href="https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/veiculoPublicacaoQualis/listaConsultaGeralPeriodicos.jsf" target="_blank" rel="noopener">Classificação de periódicos quadriênio (<em>Qualis</em>) 2013-2016</a></p> Editora PUC Minas pt-BR Cadernos CESPUC de Pesquisa Série Ensaios 2358-3231 <p>The author detains permission for reproduction of unpublished material or with reserved copyright and assumes the responsibility to answer for the reproduction rights.</p> Páginas iniciais http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27926 Daniella Lopes Dias Ignácio Rodrigues Copyright (c) 2022-01-06 2022-01-06 39 1 7 Escrita de pesquisa: epistemologias e práticas http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27927 Daniella Lopes Dias Ignácio Rodrigues Adriana Fischer Copyright (c) 2022-01-06 2022-01-06 39 9 14 Gêneros do discurso em cursos de Licenciaturas de Santa Catarina: o que dizem os professores http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27493 <p>A pesquisa que aqui se apresenta se inscreve nos estudos de letramento acadêmico. O objetivo da análise é identificar quais os gêneros discursivos utilizados pelos professores para e em suas práticas pedagógicas. Foram analisadas respostas a um questionário <em>on-line </em>e a entrevistas semiestruturadas realizadas com professores de cursos de licenciatura de universidades de Santa Catarina. Trata-se de excerto de um estudo mais amplo, sob a temática do letramento acadêmico. Com base nas proposições teóricas dos estudos sobre gêneros, especialmente na esfera acadêmica (FISCHER; DIONÍSIO, 2011; SILVA; CASTANHEIRA, 2019), a análise dos dados evidenciou que, além dos gêneros típicos da esfera acadêmica, há outros sendo trabalhados, muitos deles com algum propósito pedagógico. Também foi possível perceber certa relação entre a leitura e a escrita que os professores fazem para a sua prática pedagógica e aquela que solicitam aos seus estudantes. Considerando as orientações nas DCN (2019) para uma prática que implique o uso dos gêneros discursivos em todas as licenciaturas, faz-se necessário discutir com os professores formadores de professores como tais orientações se fazem presentes em suas aulas.</p> Rosana Mara Koerner Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 16 35 10.5752/P.2358-3231.2021n39p16-35 Práticas de letramentos com escrita científica em artigos de impacto na área de ciências da vida e biomedicina http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27495 <p>Na atual conjuntura de avaliação da educação superior, a autocitação, concebida como um movimento em que o pesquisador cita seu trabalho anterior em um trabalho em desenvolvimento, é uma prática que tem ganhado destaque em distintas áreas de conhecimento, com ênfase à Área de Ciências da Vida e Biomedicina. Este artigo, dessa forma, tem por objetivo discutir usos da autocitação em artigos de alto impacto da referida área, publicados no periódico <em>Nature</em>, nos anos de 2017 e 2018. O enfoque aos cinco artigos selecionados, na base <em>Web of Science (WoS),</em> é qualitativo, essencialmente sob o enfoque dos estudos dos letramentos, que compreendem a escrita científica como prática social, condicionada ao contexto sócio-histórico de produção, ideologias e perpassada por relações de poder. Os resultados parecem indicar um padrão da grande área, com altos índices de autocitação distribuídos entre as seções do artigo, que parecem representar movimentos característicos da escrita científica, como contribuição para a área, reivindicação de crédito pelo trabalho do pesquisador, indicar interação com pesquisas anteriores, mais do que uma prática que contribuiria para a elevação de índices bibliométricos dos pesquisadores.</p> Mariana Aparecida Vicentini Adriana Fischer Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 36 51 10.5752/P.2358-3231.2021n39p36-51 Formas de heterogeneidade mostrada não convencionais na constituição da escrita de estudantes universitários http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27496 <p>Inserido na vertente dos estudos sobre Letramentos Acadêmicos, o objetivo deste artigo é descrever a criação de duas categorias de formas de heterogeneidade mostrada que emergem na produção escrita de universitários, sob um ponto de vista enunciativo-discursivo. O corpus é composto por 27 respostas a uma questão de prova, elaboradas por acadêmicos do 2º ano de um curso de Letras de uma universidade pública do Paraná, Brasil. A fundamentação teórico-metodológica parte das concepções de heterogeneidade constitutiva e heterogeneidade mostrada da perspectiva enunciativa, bem como, dos critérios de descrição das formas de heterogeneidade mostrada propostos pela mesma autora. A criação de duas novas categorias constitui um resultado das análises das características presentes no corpus que parecem recobrir práticas de escrita de estudantes ainda não descritas em termos enunciativos/discursivos. Essas características levaram à criação das categorias denominadas de “cópia não marcada” e “tentativa de paráfrase”. Embora as duas categorias sejam consideradas problemas de escrita pelas normas acadêmicas, elas traduzem práticas de enunciação escrita recorrentes entre estudantes e representam formas de negociação com o discurso do outro que precisam ser descritas em termos enunciativos/discursivos, para além de uma perspectiva de denúncia de um problema.&nbsp;</p> Mônica Cristina Metz Cristiane Carneiro Capristano Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 52 77 10.5752/P.2358-3231.2021n39p52-77 Plágio: para além das questões jurídicas, questões discursivas http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27393 <p>Este ensaio trata do plágio a partir de uma perspectiva discursiva da linguagem e não sobre aspectos legais e jurídicos que envolvem a questão.</p> Juliane Ferraz Oliveira Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 78 87 10.5752/P.2358-3231.2021n39p78-87 O plágio para as Ciências Humanas http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27447 <p>O presente estudo objetiva analisar produções científicas brasileira sobre a temática plágio em dissertações e teses na área de ciências humanas durante a última década (2010 a 2020), por meio de uma revisão integrativa da literatura, reunindo e sintetizando resultados de pesquisas sobre o tema abordado em questão, com intuito de desvelar a sua emergência e/ou consolidação como objeto de investigação nessa área do conhecimento e no interior desse espaço acadêmico. As buscas foram executadas nas bases de dados virtuais: Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) e no banco de dissertações e teses da CAPES. Concluiu-se que existe uma carência de investigações científicas sobre a questão do plágio nas áreas de ciências humanas, necessitando assim um olhar diferenciado dos pesquisadores para esta temática que é necessária para o nosso meio acadêmico. &nbsp;</p> Fernando Miranda Arraz Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 88 108 10.5752/P.2358-3231.2021n39p88-108 A prática discursiva da escrita: entre a memória e o esquecimento http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/26041 <p>Este ensaio versa sobre a prática discursiva da escrita. Aqui, é retomado um artigo preliminar nunca publicado produzido para uma disciplina do Curso de Graduação em Letras da PUC Minas.&nbsp; A proposta inicial para esse artigo era discutir o fenômeno da intertextualidade. A partir desse ponto inicial,&nbsp;debrucei-me sobre os diálogos que poderiam ser estabelecidos entre a discussão de Volóchinov (2017) sobre o discurso de outrem&nbsp;e o conceito de intertextualidade trazido por Koch, Bentes e Cavalcante (2007), até porque, esses eram textos tomados para estudo na disciplina em questão. Para ilustrar o fenômeno e a discussão, eu tomei os poemas “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias, e “Canção do Exílio”, de Murilo Mendes. Neste presente ensaio, alargo essa discussão&nbsp;à luz dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso Francesa de memória, esquecimento, deriva, identificação, desidentificação, formação discursiva, ordem do discurso, além de propor, também,&nbsp;uma reflexão da minha própria prática de reabrir o artigo para tecer novos fios discursivos.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> Ana Luisa Ribeiro Rodrigues de Sant'Ana Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 109 122 10.5752/P.2358-3231.2021n39p109-122 O engessamento de determinados gêneros discursivos reduz, mas não é capaz de eliminar o sujeito http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27487 <p>A escrita de determinados gêneros discursivos enfrenta uma condição denominada “engessamento”. Essa problemática tem sido apontada, uma vez que as condições de escrita, exigências, normas e imposições que esta sofre produzem certa cristalização do gênero, exigindo por parte de quem escreve inserir sua produção nos moldes, formas e formas pré-estabelecidos. A consequência dessa condição de escrita “controlada” seria a perda identitária do sujeito. Este artigo busca, a partir da análise de corpus dos dois gêneros considerados “engessados”, defender as seguintes teses: a) O engessamento de determinados gêneros discursivos reduz, mas não é capaz de eliminar o sujeito. b) “Quanto melhor dominamos os gêneros, mais livremente os empregamos.” (Bakhtin, 2003, p. 285)</p> Sarah Temponi Soares Soares Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 123 141 10.5752/P.2358-3231.2021n39p123-141 A escrita acadêmica e a construção da alteridade e da heterogeneidade http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27501 <p>Este trabalho configura um exercício de escrita teórica – descritiva/interpretativa – sobre os principais conceitos que referendam os estudos acerca da alteridade, da heterogeneidade e do dialogismo, no campo da construção dos modos do dizer na/da escrita acadêmica – gênero articular. Compreender o ato de escrever em direção ao <em>outro</em>, conforme Amorim (2004), coloca-nos frente aos estudos desenvolvidos por Authier-Revuz (1998), Benveniste (1989), Bakhtin/Volochinov (2006), Orlandi (1992), e às pesquisas sobre a escrita comumente solicitada nos cursos de graduação, nas perspectivas tomadas por Mello (2020), Assis (2018), Rodrigues e Silva (2019), e Fischer (2007). As reflexões recaem sobre o processo de escrita do artigo acadêmico, seus atravessamentos, condições de produção e apresentam uma interpretação das formas-tipos elaboradas por Autiher-Revuz, quando a autora parece eleger alguns elementos dos quais nos valeremos para pensar uma dinâmica metodológica passível de aplicação à análise de textos acadêmicos que, dentro do quadro conceitual, são assumidos aqui como fundantes.</p> Fernanda de Quadros Carvalho Mendonça Ivane Laurete Perotti Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 142 166 10.5752/P.2358-3231.2021n39p142-166 Letramento acadêmico: percurso da construção da identidade profissional docente em Letras-Português em formação inicial http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27486 <p>O presente artigo tem como finalidade realizar uma reflexão sobre o percurso da construção da identidade profissional docente no curso de Letras-Português, em formação inicial, no Instituto Federal de Educação do Espírito Santo (Ifes) campus Venda Nova do Imigrante - ES, relacionando esse percurso com a formação acadêmica e o Estágio Supervisionado nos anos finais. Diante disso, partimos da problematização: que docente em Letras-Português o Ifes Campus Venda Nova do Imigrante espera formar? Para isso, discutimos à luz da fundamentação teórica baseada em Pimenta e Lima (2017), Gatti (2016), Benevides (2006), Hall (2003), Bauman (1998,2005), Nóvoa (1988), Fischer (2007), Marcelo (2009), Volochinov (2003) e Bakthin (2003), isto é, partiu-se de reflexões sobre construção da identidade docente em formação inicial e humanização do Curso de Licenciatura em Letras-Português em uma instituição tecnicista. Como percurso metodológico, realizou-se um acompanhamento dos relatos de experiências dos acadêmicos, foram selecionados dois relatos de experiência sobre o percurso do Estágio Supervisionado nos anos finais. Por fim, concluiu-se que para que haja um processo formativo eficaz, espera-se um acompanhamento sistematizado do professor-orientador, professor-tutor e acadêmicos a fim de que possam iniciar um percurso de identidade profissional docente. &nbsp;</p> Selma Lúcia Assis Pereira Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 167 184 10.5752/P.2358-3231.2021n39p167-184 Escrita acadêmica: análise de uma pesquisa autoetnográfica desenvolvida no programa nacional de Mestrado profissional em Letras (PROFLETRAS) http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27388 <p>O presente trabalho discute o processo de produção escrita acadêmica no âmbito dos estudos dos letramentos com base nos conceitos bakhtinianos de cronotopo e exotopia com vistas a contribuir para um modo de ler o outro com empatia e acolhimento. Com dados oriundos de um recorte de uma pesquisa desenvolvida no programa de mestrado profissional em Letras (PROFLETRAS), o trabalho acompanha o percurso autoetnográfico assumido pela autora da dissertação na implementação de seu projeto de intervenção pedagógica com alunos do 7º ano do Ensino Fundamental para, a partir do<em> excedente de visão</em>, abordar as práticas de letramento vivenciadas neste estudo. A análise demonstrou o quanto na busca de solução de problemas relativos às atividades propostas com os alunos, a professora ativava, em um processo dialógico, os conhecimentos e as experiências anteriores às “novas” práticas de letramentos acadêmicos. Neste duplo fazer, foi possível observar como os processos de letramentos “acontecem” e como estão vinculados a diferentes práticas de leitura, escrita e consciência linguística bem como integrados a aspectos culturais e identitários. E, por fim, à medida que desenvolvia o projeto de intervenção em suas aulas, a professora-pesquisadora elaborava o seu projeto de pesquisa, o que resultou em um exercício de autoria, identidade e produção de conhecimentos (escolar e científico), refletindo-se, diretamente, na construção de sua escrita acadêmica.</p> Victoria Wilson da Costa Coelho Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 185 201 10.5752/P.2358-3231.2021n39p185-201 Escrita Científica, Niklas Luhmann, Jürgen Schriewer, Educação Comparada: uma intersecção pelo Zettelkasten http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/27492 <p>O texto deste artigo teórico tem como tema central uma intersecção que surgiu a partir de reflexões acerca da escrita científica. Escrever é a maneira pela qual a Ciência é temporariamente objetivada. O sociólogo alemão Niklas Luhmann ficou conhecido pelas suas muitas publicações, de cunho interdisciplinar. Constatamos que ele desenvolveu um método de encaminhar e articular ideias, denominado <em>Zettelkasten </em>(caixa de bilhetes/cartões). Esta constatação se deu pela busca de informações a respeito do <em>Wissenschaftliches Schreiben</em> – escrita científica, em alemão. Luhmann é muito citado por Jürgen Schriewer, teórico-referência da Educação Comparada, teoria na qual a nossa pesquisa de tese encontra-se arraigada. A teoria da Educação Comparada aborda – comparativamente – países e pode, igualmente, realizar microanálises num país específico.&nbsp; Comparar é algo inerente ao pensar a Ciência. O método do <em>Zettelkasten</em> pode ser uma alternativa para publicações acadêmico-científicas.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> Brigitte Klemz Jung Adolfo Ramos Lamar Copyright (c) 2022 Editora PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-01-06 2022-01-06 39 202 213 10.5752/P.2358-3231.2021n39p202-213