http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/issue/feed Cadernos de História 2019-09-16T02:46:57-03:00 Marcelo de Araújo Rehfeld Cedro marcelocedro@hotmail.com Open Journal Systems <p><strong>Cadernos de História</strong> – Publicação semestral do Departamento de História da PUC Minas e do Centro de Memória e de Pesquisa História a PUC Minas, Classificada como B3 na área de História e B2 na área de Educação no QUALIS 2013-2016 (Plataforma Sucupira – CAPES-Brasil).</p><p><strong>Missão</strong>: Os <em>Cadernos de História</em> tem por missão veicular trabalhos científicos que contribuam para o avanço da pesquisa, especialmente na área da História. Inserida em um projeto político-pedagógico que percebe como indissociáveis os campos do ensino, da pesquisa e da extensão, seu viés interdisciplinar tem como finalidade promover a reflexão crítica sobre as temáticas históricas e afins.</p><p><strong>History Journals</strong> – Biannual publication of the Department of History of PUC Minas and the Center for Memory and Research Research History at PUC Minas, classified as B3 in History and B2 in the area of Education at QUALIS 2013-2016 (Plataforma Sucupira – CAPES-Brazil).</p><p><strong>Mission</strong>: The <em>History Journals</em> aim to publish scientific articles that contribute to the advancement of research, particularly in the area of History. Inserted in a political-pedagogical project which considers the fields of teaching, research and university extension as inseparable, their interdisciplinary perspective has the finality of promoting critical reflections about the themes of history and the like.</p> http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/20257 Expediente 2019-06-18T08:17:06-03:00 Marcelo Cedro marcelocedro@hotmail.com 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2019 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/20258 Apresentação 2019-06-18T08:17:41-03:00 Marcelo Cedro marcelocedro@hotmail.com 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2019 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/14047 A busca por seu igual: As alianças étnicas da diáspora atlântica nos espaços do casamento católico na Paróquia do Pilar. (São João del-Rei, séculos XVIII e XIX): 2019-09-16T02:46:57-03:00 Leonara Lacerda Delfino leonaralacerda@yahoo.com.br <p>O artigo analisa o papel das estratégias matrimoniais como instrumento de fronteirização cultural na diáspora atlântica, buscado por estrangeiros para o fortalecimento de suas afinidades culturais construídas no contexto da pós-travessia. No primeiro momento, analisamos as imposições demográficas colocadas pela participação da Freguesia no tráfico de escravos, para, em seguida, investigarmos a confluência da distribuição étnica no processo de seletividade matrimonial produzido por estrangeiros e <em>insiders</em> (escravos nascidos no Brasil). Para este fim utilizamos as fontes seriais, como os assentos de óbitos e de casamentos alocados na Freguesia do Pilar de São João del-Rei (MG).</p><p><strong>Palavras-chave</strong>: diáspora atlântica, endogamia cultural, casamento escravo.</p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/17256 Sociabilidade, sociedades de ideias e práticas associativas modernas 2019-09-16T02:46:47-03:00 Fausto Henrique Gomes Nogueira fausto@ifsp.edu.br O intuito deste artigo consiste em identificar dois conceitos pouco manejados pelos historiadores e que podem servir como um importante quadro de referências para pesquisas na área de História: sociedades de pensamento – ou sociedades de ideias – e sociabilidades. A partir da formulação de autores como Jean-Pierre Bastian e Maurice Agulhon, procuramos demonstrar como esses conceitos se articulam no entendimento de práticas associativas ligadas a grupos sociais minoritários como os espíritas. 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/17113 A crise de 1873 na Província da Bahia: efeitos internacionais sobre a recessão doméstica 2019-09-16T02:46:48-03:00 Marcos Guedes Vaz Sampaio mguedesihac@gmail.com <p>Este artigo busca analisar a crise econômica de 1873 que se abateu sobre a Província da Bahia, oriunda, a princípio, de uma praga nos canaviais, afetando a produção da cultura açucareira baiana, mas que se desenvolveu, também, dentro de um ambiente de instabilidade internacional, que ficou conhecido como a “Grande Depressão” do século XIX. Este período de recessão da economia mundial teve início no ano de 1873 e perdurou até 1896 abalando as principais nações do sistema internacional. Alvo de controvérsia no debate historiográfico em razão de não se constituir numa única crise, mas num período onde diversas crises ocorreram em diferentes países, a “Grande Depressão” reflete a instabilidade vivenciada pelo sistema internacional no último quartel do século XIX, em função da expansão do capitalismo de matriz liberal inglesa em um ambiente de acirramento da concorrência entre as nações que emergiam por meio da disseminação da industrialização. A conjunção de fatores internos e externos na análise da crise de 1873 na Província da Bahia reforça a compreensão de que o expansionismo sistêmico do capitalismo no transcurso do oitocentos penetrava cada vez mais nas diversas regiões do sistema mundial, resultando no aumento da influência de eventos internacionais nas dinâmicas domésticas.</p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/16240 Um discurso sobre o nada: a depreciação à retórica em “O Alienista” 2019-09-16T02:46:51-03:00 Raphael Silva Fagundes raphaelsfagundes@yahoo.com.br <p>O objetivo deste texto é analisar os atos de fala do conto de Machado de Assis em relação à crítica ao modelo retórico cultuado pelas elites letradas do século XIX. Ironizando as figuras de retórica e a fala rebuscada, nos atentaremos para o fato de que em “O Alienista” o autor deprecia a retórica como algo que esconde uma fraude, que não passa de um palavrório que busca acobertar o nada. Sendo parte de seu tempo, o bruxo do Cosme Velho age em seu contexto visando alterar as maneiras tradicionais de circulação de ideias, contribuindo para um debate extremamente consistente em sua época.</p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/16221 Leituras da liberdade – “O Taquaryense” e o pós-abolição 2019-09-16T02:46:52-03:00 Neli Galarce Machado ngalarce@univates.br Karen Daniela Pires k.pires@universo.univates.br Magna Lima Magalhães magna@feevale.br <p>A imprensa é exaustivamente citada em estudos históricos do fim do século XIX no Rio Grande do Sul. Os jornais foram elementos importantes vinculados ao crescimentos das cidades e a formação das elites e da sociedade de massas. Nesse estudo, trataremos de apresentar algumas reflexões sobre o conteúdo veiculado no jornal, O Taquaryense e sua abordagem acerca da presença negra no município de Taquari, Rio Grande do Sul. Interessa-nos as matérias veiculadas entre os anos de 1889 e 1890, período marcado pela Lei Áurea (1888), pelo fim da Monarquia, bem como início da República (1889) e seu impacto sócio-político no Brasil. Pretende-se, discutir o pós-abolição a partir das matérias publicadas no periódico, as quais nos instigam a pensar sobre as novas experiências de liberdade, bem como sobre as diferentes percepções presentes nos escritos publicados no Taquaryense a respeito dos libertos e seu papel social. Neste sentido, ao lançarmos mão da imprensa como fonte histórica é possível o contato com elementos configuradores da complexidade do cenário local e sua pluralidade, os quais possibilitam uma reconstituição histórica envolvendo um contexto vinculado as disputas e conflitos de uma dada realidade escravagista.</p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/15831 Os usos e a produção de retratos pintados por Pedro Weingärtner (Século XIX e XX) 2019-09-16T02:46:53-03:00 cyanna missaglia de fochesatto cyanna.mf@gmail.com A presente pesquisa tem por objetivo analisar alguns retratos produzidos pelo artista gaúcho Pedro Weingärtner entre os séculos XIX e XX, e entre suas idas e vindas entre Brasil e Europa. Tem-se por objetivo compreender a função dos retratos no processo produtivo de Weingärtner, para além de questões mercadológicas, mas também como uma forma de manutenção dos vínculos e redes sociais, especialmente em momentos de troca de regime político no Brasil, como no caso da transição da Monarquia para a República. Investiga-se o uso feito pelo artista dos retratos que ele representou, bem como a importância desta prática pictórica como forma de demostrar determinado <em>status</em> social entre a elite política e social, seja ela no Brasil ou residente na Europa. 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/17019 Um Areópago histórico: o IHGMG em seus primeiros anos (1907-1913) 2019-09-16T02:46:49-03:00 Antonio Carlos Figueiredo Costa antoniocarlosfigueiredohist@gmail.com O artigo tem como proposta a trajetória do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais durante os seus primeiros anos de existência, toma como ponto de partida a sua fundação, e assume como objetivos evidenciar, com base em pesquisa documental e bibliográfica, a intrínseca relação mantida à época entre a política e a constituição do saber histórico, bem como contribuir para o resgate de algumas da principais temáticas que estiveram presentes em um contexto de historiografia fundante e de compleição ainda fundamentalmente oitocentista. No desenvolvimento do trabalho foram empregadas algumas das usuais metodologias da história social, o que contempla o mais amplo panorama da escrita da História, com incorporação analítica de conceitos antropológicos e sociológicos que visam a permitir na análise histórica da sociedade objeto do estudo, a verificação do agenciamento de setores, bem como de suas expressões e identidades culturais e políticas. A fundação do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais teria permitido que uma <em>intelligentsia</em> regional descortinasse, pela via da pesquisa histórica, a representação do passado mineiro mais afeito aos interesses políticos da oligarquia do Estado, contribuindo com isso para a justificação da hegemonia mineira no jogo político da Primeira República. 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/16243 QUEM ESCREVE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO? JOSÉ RICARDO PIRES DE ALMEIDA E O LUGAR DA NARRATIVA 2019-09-16T02:46:50-03:00 Rosimar Serena Siqueira Esquinsani rosimaresquinsani@upf.br <p><span>O texto examina a versão, em português, do livro obra <em><span>L'Instruction publique au Brésil: histoire et legislation (1500-1889)</span></em><span>, de José Ricardo Pires de Almeida, evidenciando suas </span>tendências interpretativas e considerando a mesma como um importante registro pioneiro da história da educação nacional. <span> </span>Assim, o texto apresenta resultados de uma pesquisa de base bibliográfica, pautada por uma metodologia analítico-reconstrutiva, cujo escopo incide sobre contribuições ao debate acerca de historiadores e da historiografia da educação brasileira.<span> </span>A obra, em questão, foi examinada a partir do procedimento da análise de conteúdo, utilizando-se a técnica da análise temática.<span> </span>O artigo organiza-se a partir de dois momentos: a) a contextualização da obra e; b) cinco abordagens evidenciadas pelo autor através de sua obra: o tom ufanista; a perspectiva imperial ou sua aderência a monarquia; o dualismo escolar presente na narrativa; a perspectiva de história comparada e, por fim, às contribuições da obra para a história da educação brasileira.<span> </span>Concluímos que, apesar do compromisso assumido pelo historiador/autor em relevo com o seu lugar de fala, a obra tem méritos evidentes e, o maior de todos, sistematiza informações acerca da história da educação brasileira, fato pioneiro no período e na abrangência da narrativa.</span></p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/20352 Experiência social e educação popular: diálogos com Edward Thompson 2019-09-16T02:46:46-03:00 João Alfredo Costa de Campos Melo Júnior marcelocedro@hotmail.com <p>Coube a este texto retratar o conceito de experiência social desenvolvida pelo historiador britânico Edward Palmer Thompson. Foi na educação de adultos que o conceito de experiência social e popular se solidificou, tornando-se referência para estudiosos que dedicam suas produções à temática.</p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2019 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/15399 “Bailes e Festas do Barulho”: Sociabilidades Tensas em Mallet-PR (1925-1965) 2019-09-16T02:46:54-03:00 Angelica Stachuk angelicastachuk@gmail.com Oséias de Oliveira oseias50@yahoo.com.br <p>A presente reflexão propõe analisar situações de sociabilidade em que crimes aconteceram na região de Malle-PR, entre as décadas de 1925 e 1965. Com centro urbano restrito e grande área rural, sua população vivia dispersa no território coberto pela floresta de araucárias que, aos poucos, cedeu lugar à agricultura. Naquele mundo agreste os bailes, as festas, os casamentos e as missas eram os principais meios de diversão coletiva. Por diversas razões, os bailes e festas eram cenário de discussões, brigas e até mesmo crimes. Para reconstituir, aspectos da sociabilidade e das relações sociais naquela sociedade marcada pela imigração eslava, utilizamos como fontes documentais principais os processos crime de Mallet, sob a guarda e disponíveis para pesquisa no Centro de Documentação e Memória (CEDOC/I) na Universidade Estadual do Centro-Oeste. Nesse corpus documental nos interessam os processos envolvendo ocorrências policiais em bailes afim de verificar os agentes históricos envolvidos nesses eventos de maior ou menor violência e suas motivações.</p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/14657 O “problema das seitas” e os periódicos: uma análise das representações sobre o movimento Hare Krishna nos jornais (1974-1984) 2019-09-16T02:46:55-03:00 Leon Adan Gutierrez de Carvalho leon.agcarvalho@gmail.com <p>Os primeiros membros do movimento Hare Krishna no Brasil chegaram em 1973 e, em Pernambuco, sua presença foi noticiada já no início de 1974, fazendo circular - não sem intencionalidades - determinadas representações acerca dos seus membros, suas práticas e visões de mundo. O presente trabalho analisa algumas dessas representações construídas pelos jornais, mais precisamente o <em>Diario de Pernambuco</em>, entre os anos de 1974 e 1984, buscando compreender os elementos discursivos que contribuíram para influenciar a opinião pública acerca dos “novos movimentos religiosos”, como o movimento Hare Krishna. Para tanto, se fez necessário utilizar autores como Roger Chartier e Michel de Certeau para uma compreensão do lugar social de onde partem os discursos e das representações produzidas por estes lugares. Pudemos perceber que o jornal buscou deslegitimar outras formas de religiosidade que se constituíam como “novas” diante do quadro tradicional católico, classificando-as como “seitas” que poderiam ser “perigosas” à sociedade.</p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2018 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/20353 “No Candomblé de antigamente”: nostalgia e autenticidade reclamada em terreiros de Salvador 2019-09-16T02:46:45-03:00 João Ferreira Dias marcelocedro@hotmail.com <p>O presente artigo trata do lugar da nostalgia em terreiros históricos de Salvador da Bahia, avaliando seu impacto na vivência cotidiana e nas narrativas de autenticidade, reconhecendo que o sentimento nostálgico não se aparta de um pressuposto de perda cultural ao colocar o passado glorioso na balança com o presente desregrado. A memória instituída surge, então, como bengala em narrativas de poder e legitimidade. A saudade do outrora nunca é isenta de intenções particulares de autenticidade. Intenta-se, assim, saber o alcance político da nostalgia em que ideias de “passado composto” e saudade se entrelaçam em clássicos pressupostos de “tradição”, sem com isso deixarem de oferecer outra leitura do conceito.</p> 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2019 Cadernos de História http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/20354 A República retratada entre a degola e o fuzil 2019-06-18T08:28:19-03:00 Marcelo de Araujo Rehfeld Cedro marcelocedro@hotmail.com Marco Túlio Antunes Gomes marcelocedro@hotmail.com 2019-05-30T22:10:51-03:00 Copyright (c) 2019 Cadernos de História