Estudo etnobotânico para estímulo ao diálogo Inter-religioso na PUC Minas por meio de um jardim espiritual

Bárbara Cristina Liodoro de Souza, Rayane Talyta Bernardes Camilo, Rodrigo de Almeida Pazzinatto, André Rocha Franco

Resumo


O objetivo do presente trabalho é discutir de que forma os significados de algumas plantas, materializadas em um jardim espiritual, podem favorecer o diálogo inter-religioso na PUC Minas. Realizou-se um levantamento das religiões mais praticadas no Brasil, usando o censo realizado pelo IBGE em 2010. Em seguida, adotou-se o método etnobotânico, aliado à pesquisa social, por meio de entrevistas semiestruturadas, com praticantes das principais religiões brasileiras para levantamento de dados, além do método de paisagismo funcional para a fundamentação e organização das plantas no jardim. Foi possível concluir que algumas plantas apresentam significador e/ ou uso semelhantes em duas ou mais religiões. Espera-se que, mediante as contribuições dos participantes da pesquisa e dos dados disponíveis na literatura, o jardim RELIGARE exerça uma função de aprendizado e diálogo inter-religioso e que promova uma conscientização sobre a importância de espécies botânicas para edificação de manifestações culturais e religiosas em todo o Brasil.


Palavras-chave


Conhecimento Tradicional. Diálogo Inter-religioso. Botânica. Símbolos religiosos. Extensão universitária.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U.P. CHIAPPETA, A.A. O uso de plantas e a concepção de doença e cura nos cultos afro-brasileiros. Revista Ciência & Trópico, Recife, v.2, p. 197- 210. Jul-Dez. 1994.

ALENCAR, L.D. CARDOSO, J.C. Paisagismo funcional: o uso de projetos que integram mais que ornamentação. Revista Ciência, Tecnologia e Ambiente. Vol. 1, n. 1, 1-7. 2015.

ARAÚJO, A.C. SILVA, J.P. CUNHA, J.L.X.L. ARAÚJO, J.L.O. Caracterização socioeconomica-cultural de raizeiros e procedimentos pós-colheita de plantas medicinais comercializadas em Maceió, AL. Revista Brasileira de Plantas Medicinais. Botucatu, v.11, n.1, p.81-91. 2009.

AZEVEDO, S.K.S., SILVA, I.M. Plantas medicinais e de uso religioso comercializado mercados e feiras livres no Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Acta Botânica Brasílica. 20 (1): 185-194. 2006.

BITENCOURT, B.L.G. LIMA, P.G.C. BARROS, F.B. Comércio e uso de plantas e animais de importância mágico-religiosa e medicinal no mercado público do Guamá, Belém do Pará. Revista FSA. Teresina, v.11, n.3, 5, p.96-158, jul-set. 2014.

CAMARGO, M.T.L.A. Plantas rituais e religiões de influência africana no Brasil e sua ação farmacológica. Dominguezia. Vol. 15, n. 1. 1999.36.

ESTATUTO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO UFES. 2012. Disponível em:. Acesso em 12 mar 2018.

FELDENS, P.F. Preconceito religioso: um desafio à liberdade religiosa, inclusive expressiva. 2008. Disponível em:< http://bit.ly/2iBaeqM>. Acesso em: 10 set 2017.

FREITAS, A.V.L. COELHO, M.F.B. MAIA, S.S.S. AZEVEDO, R.A.B. Plantas medicinais: um estudo etnobotânico nos quintais de Sítio Cruz, São Miguel, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Biociências. Editora/local?2011.

FUJISAWA, D.S. Utilização de jogos e brincadeiras como recurso no atendimento fisioterapêutico de criança: implicações na formação do fisioterapeuta. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, 2000.

GUALBERTO, M.A.M. Mapa da Intolerância Religiosa 2011: violação ao direito de culto no Brasil. E-book Rio de Janeiro 2011, 154 p." REVER - Revista de Estudos da Religião [Online], Volume 11 Número 2. Editora? Disponível em: . Acesso em: 03 nov. 2017.

GOMES, C.F, PAULA, M.M.F., OLIVEIRA, T.L.. Intolerância religiosa no brasil. Caderno de Iniciação Científica da FCDL. vol. 1, n. 1, Jan- Jul 2014. Editora?

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Demografia de religiões 2010. Disponível em: Acesso em: 3 fev. 2018.

OLIVEIRA, F.C.S. BARROS, R.F.M. MOITA NETO, J.M. Plantas medicinais utilizadas em comunidades rurais de Oeiras, seminário piauiense. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, Botucatu, v.12, n.3, p.282-301, 2010.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Política de Extensão Universitária da PUC Minas. Belo Horizonte: Pró-Reitoria de Extensão da PUC Minas, 2006.

PORTELA, B .O.S. O conceito religião no pensamento de Carl Gustav Jung. Sacrilegens. Revista dos Alunos do Programa de Pós- graduação em Ciências da Religião- UFJF. V.10, n.1, p. 46-61, jan-jun/2013.

ROCHA, J.G. A intolerância religiosa e religiões de matrizes africanas no Rio de Janeiro. Revista África e Africanidades. ano IV. n.14/15. Ago-Nov.2011.

RODRIGUES, J. S. C. ESTUDO ETNOBOTÂNICO DAS PLANTAS AROMÁTICAS E MEDICINAIS. Curso Teórico-Prático, p. 168–174, 2007. Editora?

SILVA, C. R.; GOBBI, B. C.; SIMÃO, A. A. O uso da análise de conteúdo como uma ferramenta para a pesquisa qualitativa: descrição e aplicação do método. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 7, n. 1, p. 70-81, 2005.

SOUSA, M. P. Estudos antropológicos e etnobotânicos das plantas utilizadas de forma medicinal e mágico-religiosa na comunidade de quilombo de São Félix – BA. Rev. Organizações Rurais e Agroindustriais. Lavras, v.7, n.1, p. 70-81. 2010.

WINTERS, G. Paisagismo. Apostila do Curso de Paisagismo. (s/l). 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Conecte-se! Revista Interdisciplinar de Extensão