As Áfricas Brasileiras: as políticas públicas em torno dos territórios quilombolas

  • Ricardo Ferreira Ribeiro PUC Minas
  • Denise Pirani PUC Minas
Palavras-chave: Quilombos. Políticas públicas. Territórios.

Resumo

O Brasil possui um passivo social e histórico com as comunidades quilombolas, marcado pela escravidão e a exclusão. As questões fundiárias são aquelas que mais afligem essas comunidades, que lutam pela regularização ou ampliação de seus reduzidos territórios. Embora seja visível o avanço jurídico representado pela legislação desde a Constituição de 1988, as comunidades quilombolas são marcadas pela vivência cotidiana de conflitos por terra. O presente artigo discute a trajetória histórica das políticas públicas nesse campo e a atuação dos projetos de extensão da PUC Minas na identificação e delimitação de tais territórios.

Biografia do Autor

Ricardo Ferreira Ribeiro, PUC Minas
Professor do Departamento de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica – PUC Minas – e coordenador do Projeto de Extensão Lições da Terra.
Denise Pirani, PUC Minas
Professora do Departamento de Ciências Sociais da PUC Minas.

Referências

ALMEIDA, Alfredo W. B. de. Os quilombos e as novas etnias. In: O’DWYER, Eliane C. (org.). Quilombos: identidade étnica e territorialidade. Rio de Janeiro: Editora FGV/ABA, 2002.

ALMEIDA, Alfredo W. B. de. Quilombolas e novas etnias. Manaus: UEA Edições, 2011.

ALMEIDA, Alfredo W. B. de. Terras de preto, terras de santo, terras de índio: uso comum e conflitos. In: GODOI, Emilia Pietrafesa de et al. Diversidade do campesinato: expressões e categorias. São Paulo: Editora UNESP, Brasilia: Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural, 2009.

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. São Paulo: Cia das Letras, 2008.

ARRUTI, José M. Mocambo – Antropologia e História do processo de formação quilombola, Edusc/Anpocs, 2006.

ARQUIVO DA BIBLIOTECA NACIONAL. Cartas-patentes concedidas pelo Governador Dom Braz Balthazar da Silveira. Belo Horizonte: Revista do Arquivo Público Mineiro, 1898.

BANDEIRA, Maria de Lourdes; SODRÉ E DANTAS, Triana de Veneza. Furnas de Dionísio (MS). In: Quilombos: Identidade Étnica e Territorialidade. Rio de Janeiro: Editora da Fundação Getúlio Vargas/ Associação Brasileira de Antropologia (Co-editora), 2002.

BARROS, Edir Pina de. Quilombo ou Kilombo? 2007. Disponível em: http://66.228.120.252/trabalhosacademicos/1293864. Acesso em: 10 fev. 2017.

BHABHA, Homi. O Local da Cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. CASA CIVIL. SUBCHEFIA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS. Lei nº 601, de 8 de setembro de 1850. Dispõe sobre as terras devolutas do império. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L0601-1850.htm. Acesso em:

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. CASA CIVIL. SUBCHEFIA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS. Decreto nº 3.912, de 10 de setembro de 2001. Regulamenta as disposições relativas ao processo administrativo para identificação dos remanescentes das comunidades dos quilombos e para o reconhecimento, a delimitação, a demarcação, a titulação e o registro imobiliário das terras por eles ocupadas. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2001/D3912.htm. Acesso em:

BRASIL. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA. CASA CIVIL. SUBCHEFIA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS. Decreto nº 4.887, de 20 de novembro de 2003. Regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e titulação das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos de que trata o art. 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2003/D4887.htm. Acesso em:

BROSE, Markus (org). Metodologia Participativa: uma introdução a 29 instrumentos. Porto Alegre: Tomo Editorial. 2001.

CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO ELOY FERREIRA DA SILVA - CEDEFES. Comunidades quilombolas de Minas Gerais no século XXI – História e resistência. Belo Horizonte: Autêntica/CEDEFES, 2008.

COMISSÃO PASTORAL DA TERRA. Conflitos no Campo – Brasil 2015. Goiânia: CPT, 2015.

FARIA, Andréa Alice da Cunha. Ferramentas do diálogo – qualificando o uso das técnicas do DRP: diagnóstico rural participativo. Brasília: MMA; IEB, 2006.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1989.

GILROY, Paul. Atlântico Negro. Rio de Janeiro: Editora 34, 2001.

GOMES, Flávio dos Santos. Mocambos e Quilombos: Uma História do Campesinato Negro no Brasil. São Paulo: Claro Enigma, 2015.

HALL, Stuart. Da Diáspora. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA. Instrução normativa nº 57, de 20 de outubro de 2009. Regulamenta o procedimento para identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação, desintrusão, titulação e registro das terras ocupadas por remanescentes das comunidades dos quilombos de que tratam o Art. 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal de 1988 e o Decreto nº 4.887, de 20 de novembro de 2003. Disponível em: http://www.incra.gov.br/sites/default/files/uploads/institucionall/legislacao--/atos-internos/instrucoes/in_57_2009_quilombolas.pdf. Acesso em:

JARDIM, Denise F.; LEAL, João; DIMANT, Mauricio. Apresentação. Horizontes Antropológicos. v. 21, n. 43, p. 9-18, jun. 2015.

LEITE, Ilka Boaventura. Diásporas africanas e direitos territoriais: as várias dimensões do quilombo no Brasil. In: OLIVEIRA, Osvaldo Martins de (org.). Direitos quilombolas & dever de Estado em 25 anos da Constituição Federal de 1988. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia, 2016.

LITTLE, Paul. Territórios sociais e povos tradicionais no Brasil. Por uma antropologia da territorialidade. Série Antropologia, n. 322. Brasília: Departamento de Antropologia, 2002.

MELLO, Marcelo. Reminiscências dos Quilombos. S. Paulo: Terceiro Nome/Fapesp, 2012.

MUNANGA, Kabengele. Origem e histórico do quilombo na África. Revista de Antropologia da USP, n. 28. São Paulo: USP, dezembro, 1995/ fevereiro, 1996.

REVISTA DE HISTÓRIA DA BIBLIOTECA NACIONAL. Comércio de Almas. Rio de Janeiro: Revista de História da Biblioteca Nacional, Nº 108, Set/2014.

ROCHA, Gabriela de Freitas Figueiredo. A territorialidade quilombola ressignificando o território brasileiro: uma análise interdisciplinar, e-cadernos ces [Online], 07 | 2010, colocado on-line no dia 01 março 2010. Disponível em: http://eces.revues.org/417. Acesso em: 23 fev. 2016. DOI: 10.4000/eces.417.

Publicado
03-12-2019