O imaginário sociomuseal de sujeitos participantes de uma ação extensionista

  • Daniel Cardoso Alves Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG
Palavras-chave: Espaços não escolares. Formação. Imaginário social. Museu. Representações sociais.

Resumo

Este artigo tem como objetivo problematizar o imaginário social de sujeitos acerca do Museu de História Natural e Jardim Botânico da Universidade Federal de Minas Gerais (MHNJB/UFMG). Para tanto, parte de uma ação extensionista desenvolvida, em 2018, entre a Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais, campus de Belo Horizonte (FaE-CBH/UEMG), e o MHNJB/UFMG. Dentre os encontros promovidos por essa ação, o denominado “Espaços educativos para além da sala de aula”, por sua temática, relaciona-se diretamente com a pesquisa que aqui se apresenta. Os sujeitos desta pesquisa constituíram-se de participantes desse encontro, aos quais, valendo-se de uma abordagem qualitativa e apoiando-se nos instrumentos metodológicos elaboração de representações semióticas e questionário estruturado, perguntou-se: Qual o seu olhar, à primeira vista, sobre o MHNJB/UFMG? Dentre as reflexões realizadas, concluímos que atividades em espaços não escolares, como o museu, respondem a demandas sociais concretas de formação humana e acadêmica.

Biografia do Autor

Daniel Cardoso Alves, Universidade do Estado de Minas Gerais - UEMG

 Professor da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais. Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Ciências Ambientais, Especialista em Análise do Espaço Geográfico e Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

Referências

AGUIAR, Wanda Maria Junqueira; OZELLA, Sérgio. Núcleos de significação como instrumento para a apreensão da constituição dos sentidos. Psicologia Ciência e Profissão, 2006.

BARÃO, Cristina de Carvalho. Entre brumas e concretudes... o museu dinâmico de Ciências de Campinas como imaginante espaço de educação. 2007. 121 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BARTON, David.; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas pedagógicas. Trad. Milton Mota. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BEILLEROT, J. A sociedade pedagógica. Porto: Rés, 1985.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari Knoop. Investigação Qualitativa em Educação – uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora, 1994.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1999.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia e prática docente. (Docência em Formação). São Paulo: Cortez, 2012.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação – uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 4. ed. São Paulo: Moraes, 1980.

GATTI, Bernadete Angelina. Professores do Brasil: impasses e desafios / Coordenado por Bernadete Angelina Gatti e Elba Siqueira de Sá Barreto. – Brasília: UNESCO, 2009.

GHANEM JUNIOR, Elie George Guimarães. Educação formal e não-formal: do sistema escolar ao sistema educacional. In: ARANTES, V. A. (Org.). Educação formal e não-formal. São Paulo: Summus, 2008.

GOHN, M. da G. Educação não-formal e o educador social: atuação e desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

IMBERNÓN, Francisco. Formação docente e Profissional – Formar-se para a mudança e a incerteza. São Paulo: Cortez, 2011.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, Denise. (org.). As representações sociais, Paris. PUF, 1989.

JORGE, Gláucia Maria dos Santos; CORREA, H. T. A experiência de ensinar leitura e produção de textos nas modalidades presencial e a distância. In: III Encontro Nacional sobre Hipertexto - Interfaces, Belo Horizonte. v. I, 2009.

KRESS, Gunther. Literacy in the new media age. London: Routledge, 2003.

KRESS, Gunther; BEZEMER Jeff. Escribir en un mundo de representación multimodal. In: KALMAN, Judith e STREET, Brian (Coord.) Lectura, escritura e matemáticas – Diálogos com a América Latina. Mérico: single XXI, 2009.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para que? 12 ed. - São Paulo: Cortez, 2010.

LUCINDO, Nilzilene Imaculada. O Professor no Museu: o que revela uma ação de extensão do Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG. Caminho Aberto - Revista de Extensão do IFSC, v. 01, p. 13-22, 2014. Disponível em: file:///C:/Users/DELL/Downloads/1543-5739-1-PB.pdf. Acesso em Acesso em 10 mar. 2019.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2004.

NASCIMENTO, Silvania Sousa do; VENTURA, Paulo César Santos Ventura. A dimensão comunicativa de uma exposição de objetos técnicos. Ciência & Educação, Bauru, v. 11, n. 3, p. 445-456, 2005.

PORFIRIO, Luciana Cristina. As perspectivas da educação em Museus na formação continuada dos professores das séries iniciais. Diálogos Acadêmicos, v. n,03, p. 01-11, 2011. Disponível em: http://uniesp.edu.br/sites/_biblioteca/revistas/20170627111159.pdf. Acesso em: 10 mar. 2019.

SANTOS, Milton. Metamorfose do espaço habitado. São Paulo: EDUSP, 2008. [HUCITEC,1988]

STREET, Brian. ‘Multimodality and New Literacy Studies’ Festschrift for Gunther Kress, 2009. Inédito. STREET, B. Multimodalidade. In: FRADE, Isabel Cristina Alves Silva; VAL, Maria da Graça Costa; BREGUNCI, Maria das Graças de Castro. Glossário Ceale de termos de Alfabetização, leitura e escrita par educadores. Belo Horizonte, CEALE/Faculdade de Educação da UFMG. 2014. Disponível em: http://www.ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/multimodalidade. Acesso em: 18 abr. 2019.

STREET, Brian. Entrevista Com Brian Street. Tradução: Gilcinei Teodoro Carvalho. Língua Escrita. Belo Horizonte, n.7, 01 Jul. 2009. Entrevista. Disponível em: http:/www.ceale.fae.ufmg.br/linguaescrita/artigo.php?id=1&pg=2. Acesso em: 22 abr. 2019.

STREET, Brian. La graphique et le traitement graphique de l’information. Paris: Flammarion, 1977.

STREET, Brian. Literacy in theory and practice. Cambridge, England: Cambridge University Press, 1984.

STREET, Brian. Perspectivas Interculturais sobre o letramento. Filologia e Linguística Portuguesa, São Paulo, SP. Humanitas, 2006.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 16ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

TRILLA, Jaume. A educação não-formal. In: ARANTES, V. A. (Org.). Educação formal e não-formal. São Paulo: Summus, 2008.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. São Paulo, Difel, 1983.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG. Plano de Desenvolvimento Institucional. Disponível em: http://intranet.uemg.br/comunicacao/arquivos/PDI_final_site.pdf. Acesso em: 10 jul. 2018.

VAN PRAET, M.; POUCET, B. Les musées, liex de contre-éducation et de partenariat avec l´école. Éducation & Pédagogies, [Sévres], n.16, p. 22-29, 1992.

Publicado
08-12-2020