Atendimento terapêutico multifamiliar: reflexões sobre o fazer sob a perspectiva construcionista

  • Leandro de Castro Rodrigues Rodrigues PUC Minas
  • Stella Maria Poletti Simionato Tozo PUC Minas
Palavras-chave: Clínica Ampliada. Família. Grupos. Intervenção Familiar. Psicologia.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo relatar e refletir sobre a prática extensionista na forma de atendimento grupal terapêutico com famílias de uma instituição atendida pelo “Projeto VincuLar: reconstruindo relações familiares”. Essas famílias são caracterizadas como vulneráveis, vivenciando momentos difíceis na vida familiar, que envolvem situações conflituosas entre seus membros, sejam pais e filhos ou parentes da família ampliada, ou de sua rede social de convivência. A dinâmica dos grupos se baseou no pensamento sistêmico, na Psicologia e na terapia familiar sistêmica de base construcionista social, sendo realizados encontros semanais grupais com as representantes das famílias, com temas trazidos geralmente pelas participantes. Aprofundaram-se questões sobre o exercício da maternidade e seus desafios, temas individuais e questões de dificuldades relacionais. Considera-se que o trabalho desenvolveu espaço de reflexão, autonomia para a ação e criação de vínculos entre as participantes, além de um desenvolvimento profissional para os extensionistas e a coordenadora do projeto e uma articulação entre a Universidade e a comunidade, que conduz à transformação e aprimoramento de atuações e construção de novos conhecimentos.

Biografia do Autor

Leandro de Castro Rodrigues Rodrigues, PUC Minas

Graduando em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais – Unidade São Gabriel. 

Stella Maria Poletti Simionato Tozo, PUC Minas

Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo − USP; Professora Adjunta da Faculdade de Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Coordenadora do “Projeto de Extensão VincuLar: reconstruindo relações familiares”, PUC Minas - Unidade São Gabriel.

Referências

ANGELI, Rafael; ARCANJO, Lívia; SANTOS, Bruna. Acordes que transformam. Revista PUC Minas, Belo Horizonte, v. 13, 2016. Disponível em: http://www.revista.pucminas.br/materia/acordes-que-transformam/. Acesso em: 09 jun. 2019.

BADINTER, Elisabeth. O conflito: a mulher e a mãe. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2011.

COSTA, Liana Fortunato; ALMEIDA, Tânia Mara Campos de; RIBEIRO, Maria Alexina; PENSO, Maria Aparecida. Grupo Multifamiliar: espaço para a escuta das famílias em situação de abuso sexual. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 1, jan./mar. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pe/v14n1/a04v14n1.pdf. Acesso em: 12 mar. 2019.

FERRARI, M.; KALOUSTIAN, S. M. Introdução. In: KALOUSTIAN, S. M. (org.). Família Brasileira, a base de tudo. 6. ed. São Paulo: Cortez; Brasília-DF: UNICEF, 2004.

KOLLER, Sílvia Helena; NARVAZ, Martha Giudice. Feminismo e terapia: a terapia feminista da família – por uma psicologia comprometida. Revista Psicologia Clínica. Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pc/v19n2/a09v19n2. Acesso em: 18 mar. 2019.

LIMA, M. J.; ABDALA, M. N. L.; BRAGA, S.C.A. Construindo equipes para o trabalho com multifamílias. In: OLIVEIRA, S. M.; GONÇALVES, T. E. (org.). Famílias e Instituições: enlaces possíveis. Taubaté-SP: Cabral Editora, 2006. Cap. 5, p. 89-115.

LUNA, Ivania Jann; MORÉ, Carmen Ojeda. Narrativas e processo de reconstrução do significado no luto. Revista M. Rio de Janeiro, v. 2, n. 3, jan./jun. 2017. Disponível em: http://www.revistam-unirio.com.br/arquivos/2017/10/v02_n03_a08.pdf. Acesso em: 18 mar. 2019.

MADSEN, W. C. Terapia Colaborativa com famílias multiestressadas. São Paulo: Roca, 2010.

MOREIRA, Renata Leite Cândido de Aguiar. Maternidades: os repertórios interpretativos utilizados para descrevê-las. 2009. 177 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2009. Disponível em: http://www.pgpsi.ip.ufu.br/sites/pgpsi.ip.ufu.br/files/Anexos/Bookpage/DissertacaoRenataLeiteC.A.Moreira.pdf. Acesso em: 18 mar. 2018.

PRATI, Laíssa Eschiletti; COUTO, Maria Clara P. de Paula; KOLLER, Sílvia Helena. Famílias em Vulnerabilidade Social: Rastreamento de Termos Utilizados por Terapeutas de Família. Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 25, n. 3, jul./set. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v25n3/a14v25n3.pdf. Acesso em: 31 mar. 2017.

RAPIZO, Rosana; ZUMA, Calos Eduardo. Transformando práticas educativas, da palmada ao diálogo: relato de uma experiência em duas comunidades no Rio de Janeiro. In: GUANAES-LORENZI, C; MOSCHETA, M. S.; CORRADI-WEBSTER, C. M.; SOUZA, L. V. (org.). Construcionismo social: discurso, prática e produção do conhecimento. Rio de Janeiro: Instituto NOOS, 2014.

RASERA, Emerson F.; JAPUR, Marisa. Desafios da aproximação do construcionismo social ao campo da psicoterapia. Estudos de Psicologia. Natal, v. 9, n. 3, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epsic/v9n3/a05v09n3.pdf. Acesso em: 12 mar. 2014.

ROSSATO, Mara Lúcia. Terapia Familiar como um Espaço de Ressignificação das Relações. Pensando Famílias, v. 21, n. 2, jul. 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/penf/v21n1/v21n1a11.pdf. Acesso em: 18 mar. 2019.

SILVA, Amanda Luiza Lobo et al. Sonoro Despertar: Intervenções Socioeducativas. In: BARROS, Ev’Ângela Batista Rodrigues de (org.) Extensão PUC Minas: encontros e diálogos. Belo Horizonte: PUC Minas, 2018. E-book. Disponível em: http://portal.pucminas.br/imagedb/documento/DOC_DSC_NOME_ARQUI20180928180348.pdf. Acesso em: 14 jun. 2019.

ZUMA, Carlos Eduardo. Terapia de família sistêmico-construtivista. CRP-05, 1997. Disponível em: http://www.noos.org.br/userfiles/file/Terapia%20de%20Fam%C3%ADlia%20Sist%C3%AAmico-Construtivista.pdf. Acesso em: 18 mar. 2019.

Publicado
03-12-2019