Educação tecnológica: o ensino da programação para crianças do Ensino Fundamental através do ambiente Code.Org

  • Vinicius George dos Santos Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
  • Soraia Lúcia da Silva Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
Palavras-chave: Projeto de extensão, Engenharia de Software, Code.org, Programação educacional, Pensamento computacional, Programação Visual, Programação em Blocos

Resumo

Este artigo discute a experiência de lecionar oficinas de introdução à programação e ao pensamento computacional através do ambiente de programação educacional chamado Code.org, para crianças de 6 a 9 anos da escola pública Escola Estadual Bueno Brandão. As atividades realizadas no laboratório de informática são adequadas para cada idade utilizando a técnica de programação pareada. É uma oportunidade de dar a próxima geração uma grande vantagem em um mundo onde o conhecimento tecnológico é a chave para o sucesso futuro. Além do conhecimento tecnológico, esta ação desenvolveu diversas habilidades nas crianças, como a atenção, a coordenação motora, a memória visual e espacial, a organização, a cooperação, o desenvolvimento do raciocínio lógico, da leitura e da escrita. Ao término das atividades, foi realizada uma pesquisa descritiva para mensurar os resultados qualitativos por gênero e série, que permitiu demonstrar a experiência, a motivação e a aprendizagem dos alunos do ensino fundamental I.

 

Biografia do Autor

Vinicius George dos Santos, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

Graduando em Engenharia de Software da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), unidade Praça da Liberdade.

Soraia Lúcia da Silva, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

Mestre em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2000) e graduada em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Ouro Preto (1997). Atualmente é professora assistente IV da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, onde leciona nos cursos de graduação em Sistemas de Informação, Engenharia de Software e Engenharia de Computação. Tem experiência na área de Ciência da Computação, atuando principalmente nos seguintes temas: simulação, computação móvel, otimização de sistemas computacionais, metodologia de pesquisa, algoritmos e técnicas de programação, lógica computacional, extensão universitária e inclusão digital.

Referências

ARAÚJO, D. C.; RODRIGUES, A. N.; SILVA, C. V. A.; SOARES, L. S. Ensino da Computação na Educação Básica Apoiado por Problemas: Práticas de Licenciados em Computação. Anais do XXIII WEI (Workshop sobre Educação em Computação) Garanhuns, 2015. Disponível em: <http://www.lbd.dcc.ufmg.br/colecoes/wei/2015/014.pdf>. Acesso em: 15 mar. 2019.

ASSMANN, H. A metamorfose do aprender na sociedade da informação. Ci. Inf., Brasília, v.29, n. 2, p. 7-15, maio/ago. 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v29n2/a02v29n2.pdf >. Acesso em: 10 mar. 2019.

BARDERO, A.; DEMO, G. B. The art of programming in a Technical Institute after the Italian secondary school reform. Proceedings ISSEP 2011, Bratislava, 2011.

BARNES, D. J.; KÖLLING, M. Programação Orientada a Objetos em Java. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2004.

BATISTA, D. A.; DIAS, C. L. O processo de ensino e de aprendizagem através dos jogos educativos no ensino fundamental. Colloquium Humanarum, São Paulo, v. 9, n. Especial, p. 975-982, 2012.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/>. Acesso em: 23 mai. 2019.

BUECHLEY, L.; Eisenberg M.; Elumeze, N. Towards a curriculum for electronic textiles in the high school classroom. In: ACM SIGCSE Bulletin, 2007. p. 28-32.

BURKE, Q.; KAFAI, Y. B. “Programming & storytelling: opportunities for learning about coding & composition”, Proc. of the 9th ACM SIGCHI IDC, p. 348-351, 2010.

CABRAL, R. V. O ensino de matemática e a informática: uso do scratch como ferramenta para o ensino e aprendizagem da geometria. Faculdade do Norte do Paraná (FACNORTE). Sarandi, 2015. Dissertação (Mestrado em Ciências da Educação e Multidisciplinaridade). Disponível em: < http://www.acervo.paulofreire.org:8080/jspui/bitstream/7891/3626/1/FPF_PTPF_07_0077.pdf >. Acesso em: 21 mar. 2019.

CODE.ORG. Aprenda no Code Studio. 2017. Disponível em: <https://studio.code.org/courses>. Acesso em: 13 mar. 2019.

DANTAS, R. F.; COSTA, F. E. A. CODE: O ensino de linguagens de programação educativas como ferramentas de ensino/aprendizagem. Simpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação. Anais..., Recife, 2013, v. 5.

GARLET, D.; BIGOLIN, N. M.; SILVEIRA, S. R. Uma Proposta para o Ensino de Programação de Computadores na Educação Básica. Departamento de Tecnologia da Informação, Universidade Federal de Santa Maria, RS, 2016.

KAFAI, Y. B.; BURKE, Q. Computer Programming Goes Back to School. In: Education Week, set. 2013.

MORAES, M. C. Informática Educativa no Brasil: um pouco de história. Em Aberto, ano 12, n.57, Brasília, p. 17-26. jan/mar. 1993. Disponível em: <http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/1877/1848>. Acesso em: 13 mar. 2008.

PAPERT, S. Logo: computadores e educação. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

PEREIRA, L. Escolas Defendem Ensino de Programação a Crianças e Adolescentes. Olhar digital, 06 fev. 2013. Disponível em: <https://olhardigital.com.br/noticia/escolas-defendem-ensino-de-programacao-a-criancas-e-adolescentes/35075>. Acesso em: 13 mar. 2019.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Projeto Pedagógico do curso de Engenharia de Software. Belo Horizonte: PUC Minas/ Instituto de Informática, 2017.

PRENSKY, M. Digital Natives, Digital Immigrants Part 1. On the Horizon, Bingley, v. 9, n.5, p. 1-6, 2001.

RESNICK, M. Palestra no evento Transformar 2014. 46'30''. 2014. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=hRGJUc2opQ4>. Acesso em: 15 mar. 2019.

RESNICK, M. et al. Scratch: programming for all, Communications of the ACM, 2009. v. 52, n. 11, p. 60-67.

SAVI, R.; ULBRICHT, V. R. Jogos Digitais Educacionais: Benefícios e Desafios. RENOTE - Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 6, p. 1-10, 2008. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/renote/article/view/14405/8310>. Acesso em: 25 mar. 2019.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO (SBC). Referenciais de Formação em Computação: Educação Básica. Disponível em: https://www.sbc.org.br/noticias/10-slideshow-noticias/1996-referenciais-de-formacao-em-computacao-educacao-basica. Acesso em: 25 mar. 2019.

VALENTE, J. A. Informática na Educação no Brasil: análise e contextualização histórica. In VALENTE, J. A. (Org.) O computador na sociedade do conhecimento. Campinas, SP: UNICAMP/NIED, 1999. Disponível em: http://usuarios.upf.br/~teixeira/livros/computador-sociedade-conhecimento.pdf. Acesso em: 13 mar. 2019.

WING, J. M. Computational thinking. Communications of the ACM, [s.l.], v. 49, n. 3,

p. 33-35, 2006. Association for Computing Machinery (ACM).

WING, J. M. Computational thinking and thinking about computing. 2008.

Disponível em: <http://rsta.royalsocietypublishing.org/content/366/1881/3717>. Acesso em:

mar. 2019.

Publicado
18-06-2020