Projeto de Extensão “Casa da Paz: dignidade e acesso à justiça” e o bem comum

  • Fernanda Paula Diniz Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
  • Sabrina Sílvia da Silva Diniz Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
  • Simone Reissinger Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
Palavras-chave: Acesso à Justiça, Mediação, Bem comum

Resumo

O Projeto de Extensão “Casa da Paz” tem por objetivos o atendimento jurídico às pessoas em estado de vulnerabilidade social e a tentativa de resolução extrajudicial das suas demandas. Considerando-se o alto índice de carência da população do Município de Contagem/MG, sobretudo no que diz respeito aos instrumentos de acesso à Justiça, o projeto extensionista tem grande importância para assegurar direitos e garantias fundamentais a essa população mais carente, seja através das informações prestadas, seja por meio das mediações realizadas no Posto de Atendimento Pré-Processual do Centro Judicial de Solução de Conflitos e Cidadania - CEJUSC. Neste artigo, pretende-se demonstrar como o projeto de extensão contribui para a promoção do bem comum, a formação profissional e humanista do discente e a valorização dos beneficiários do projeto.

Biografia do Autor

Fernanda Paula Diniz, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

Doutorado em Direito Privado. Professora do Curso de Direito, PUC Minas campus Contagem. Professora participante do Projeto de Extensão Casa da Paz: dignidade e acesso à justiça.

Sabrina Sílvia da Silva Diniz, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

Aluna do curso de Direito da PUC Minas campus Contagem, extensionista do Projeto de extensão Casa da Paz: dignidade e acesso à justiça.

Simone Reissinger, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

Proferssora Doutora em Direito. Professora do Curso de Direito, PUC Minas campus Contagem. Coordenadora do Projeto de extensão Casa da Paz: dignidade e acesso à justiça.

Referências

BEZERRA, Paulo Cesar Santos. Acesso à justiça: um problema ético-social no plano da realização do Direito

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Resolução 125, de 29 de novembro de 2010. Dispõe sobre a Política Judiciária Nacional de tratamento adequado dos conflitos de interesses no âmbito do Poder Judiciário. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/atos-administrativos/atos-da-presidencia/323-resolucoes/12243-resolucao-no-125-de-29-de-novembro-de-2010>. Acesso em: 26 fev. 2020.

BRASIL, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Cidades 2019. [on-line]. Brasília: documento oficial, 2019. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/contagem/panorama>. Acesso em 26 fev. 2020.

CANO, Débora Staub et al. As transições familiares do divórcio ao recasamento no contexto brasileiro. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 22, n. 2, p. 214-222, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722009000200007&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 26 fev. 2020.

CNJ - CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Relatório de Inspeção – Período: 05 a 09/08/2019. NUPEMEC – CEJUSC. Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. Portaria n. 16, de 12 de junho de 2019. Disponível em: . Acesso em: 26 fev. 2020.

MARTINEZ, Sergio Rodrigo; SCHULZ, Stephanie Galhardo. Análise da institucionalização da mediação a partir das inovações do Novo Código de Processo Civil (NCPC) e da Lei no 13.140/2015 (Lei da Mediação). Revista Eletrônica do Curso de Direito da UFSM, Santa Maria, v.12, n.1, p. 198-217, 2017. Disponível em: <https://periodicos.ufsm.br/revistadireito/article/view/24178/pdf>. Acesso em: 27 fev. 2020.

MEZZAROBA, Orides; STRAPAZZON, Carlos Luiz. Direitos fundamentais e a dogmática do bem comum constitucional. Sequência (Florianópolis), Florianópolis, n. 64, p. 335-372, Jul. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2177-70552012000100014&script=sci_arttext>. Acesso em: 27 de fev. 2020.

MINAS GERAIS. Corte Superior do Tribunal de Justiça. Resolução 661, de 29 de junho de 2011. Cria o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos e dispõe sobre seu funcionamento e cria os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania. Disponível em: <http://www8.tjmg.jus.br/institucional/at/pdf/re06612011.pdf >. Acesso em: 26 fev. 2020.

MOITA, Filomena Maria Gonçalves da Silva Cordeiro; ANDRADE, Fernando Cézar Bezerra de. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro , v. 14, n. 41, p. 269-280, Ago. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782009000200006&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 26 fev. 2020.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Plano de Desenvolvimento Institucional 2017-2021. [on-line]. Belo Horizonte: documento oficial, 2017. Disponível em: <http://portal.pucminas.br/imagedb/documento/DOC_DSC_NOME_ARQUI20140811180151.pdf>. Acesso em: 26 fev. 2020.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Pró-Reitoria de Extensão. Política de Extensão Universitária da PUC Minas. [on-line]. Belo Horizonte: documento oficial, 2006. Disponível em: <http://portal.pucminas.br/imagedb/documento/DOC_DSC_NOME_ARQUI20131203153859.pdf>. Acesso em: 26 fev. 2020.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Pró-Reitoria de Extensão. Cartilha A Extensão na Faculdade Mineira de Direito. Belo Horizonte: documento oficial, 2014. Disponível em: <http://www1.pucminas.br/graduacao/cursos/arquivos/APR_ARQ_PROGR20140216184837.pdf>. Acesso em: 26 fev. 2020.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Pró-reitoria de Extensão. Regulamento da Pró-Reitoria de Extensão da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (Resolução CONSUNI n. 02/2015). Belo Horizonte: documento oficial, 2015. Disponível em: <http://portal.pucminas.br/imagedb/documento/DOC_DSC_NOME_ARQUI20151009142046.pdf >. Acesso em: 26 fev. 2020.

Publicado
18-06-2020