Relato de Experiência Extensionista: Qualidade de Vida durante a pandemia

  • Ingrid Luiza de Pádua Cruz e Souza Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Matheus Henrique Borges Vieira Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
  • Cláudia Barsand de Leucas Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
Palavras-chave: Extensão, Paralisia Cerebral, Qualidade de vida

Resumo

O contexto gerado pela pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) provocou alterações na rotina das pessoas com deficiência, principalmente no que diz respeito aos tratamentos e demais atividades de qualidade de vida. Nesse contexto, o Projeto Qualidade de Vida para Todos propôs a continuidade das atividades remotamente, a fim de manter os seus objetivos. O presente trabalho, portanto, se trata de um relato de experiência de tal atividade, com ênfase nas aulas de um aluno com Paralisia Cerebral, para o qual os exercícios propostos tinham o objetivo de melhorar e/ou manter a qualidade de vida deste indivíduo, bem como atenuar aspectos alterados e limitados. Para a realização do novo modelo do projeto, foram realizadas reuniões on-line entre extensionistas e estagiários para organização interna, seguida de contato com o aluno e familiares, semanalmente, que foram divididas, em um primeiro momento, de conversa sobre a situação atual, o lazer e as dificuldades; um segundo, com a realização das atividades direcionadas especificamente para o caso, levando em consideração as desordens provocadas  pela patologia. Tal intervenção possibilitou a manutenção das habilidades da criança, além do bem-estar desta e do contexto familiar. Foi positivo também para os extensionistas que a realizaram, uma vez que demandou nova perspectiva, desafiante, como também, buscas mais aprofundadas de conhecimentos sobre a patologia e a reabilitação, de forma integral e multidisciplinar.

Biografia do Autor

Matheus Henrique Borges Vieira, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

Discente do Curso de Fisioterapia da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Cláudia Barsand de Leucas, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
Docente do curso de Educação Física da PUC Minas; Doutora em Ciências da Educação e coordenadora do GEPCI-Grupo de Estudos em Práticas Corporais para Pessoas com Deficiência e Inclusão e do Projeto Qualidade de Vida para Todos.  

Referências

ARAKAKI, Vanessa Cristina et. al. Paralisia cerebral - membros superiores: reabilitação. Rev. Acta fisiátrica, v. 19, n.2, p 123- 129, jun 2012. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/actafisiatrica.org.br/pdf/v19n2a09.pdf. Acesso em 13 jul. 2020.

BONOMO, Lívia Maria Marques et. al. Hidroterapia na aquisição da funcionalidade de crianças com Paralisia Cerebral. Rev. Neurociências, Vitória, v. 15, n. 2, p. 125 - 130, abr. 2007. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/neurociencias/article/view/10293/7484. Acesso em 13 jul. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.146, de 6 de jun. de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 1 jul. 2020.

BRAUNSTEIN, Marcus Vinícius Gomes; BRAZ, Melissa Medeiros; PIVETTA, Hedioneia Maria Foletto. A fisiologia da massagem terapêutica. 2013. Projeto de pesquisa (Grupo de Pesquisa Promoção da Saúde e Tecnologias aplicadas à Fisioterapia) - Centro Universitário Franciscano, Santa Maria, 2013.

CARGNIN, Ana Paula Marega Cargnin; MAZZITELLI Carla M. Proposta de Tratamento Fisioterapêutico para Crianças Portadoras de Paralisia Cerebral Espástica, com Ênfase nas Alterações Musculoesqueléticas. Rev. Neurociências, São Paulo, v. 11, n.1, p. 34-39, 2003. Disponível em: http://revistaneurociencias.com.br/edicoes/2003/RN%2011%2001/Pages%20from%20RN%2011%2001-5.pdf. Acesso em: 8 jul. 2020.

COMITÊ CIENTÍFICO DO NÚCLEO CIÊNCIA PELA INFÂNCIA (2020). Edição Especial: Repercussões da Pandemia de COVID-19 no Desenvolvimento Infantil. Disponível em: https://ncpi.org.br/wp-content/uploads/2020/05/Working-Paper-Repercussoes-da-pandemia-no-desenvolvimento-infantil.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Amostra Pessoas com Deficiência. Brasília: IBGE, 2017.

IRENO, Janaína Mossini. O uso de órteses em crianças com paralisia cerebral: percepção dos cuidadores. Cad. Bras. Ter. Ocup., São Carlos, v. 27, n. 1, p. 35-44, 2019. Disponível em: http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/2124/1082. Acesso em: 13 jul. 2020.

LEITE, Jaqueline Maria Resende Silveira; PRADO, Gilmar Fernandes do. Paralisia cerebral Aspectos Fisioterapêuticos e Clínicos. Rev. Neurociências, São Paulo, v. 12, n. 41, p. 41-45, 2004. Disponível em: https://atividadeparaeducacaoespecial.com/wp-content/uploads/2014/09/paralisia-cerebral-aspectos-clinicos.pdf. Acesso em: 1 jul. 2020.

LEMOS, Vinícius. Coronavírus: eventos devem ser adiados e aulas devem ser suspensas no Brasil? O que dizem os especialistas. BBC News Brasil, São Paulo, 12 de março de 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-51844880. Acesso em: 1 jul. 2020.

LINHARES, Maria Beatriz Martins; ENUMO, Sônia Regina Fiorim. Reflexões baseadas na Psicologia sobre efeitos da pandemia COVID-19 no desenvolvimento infantil. Estud. psicol, Campinas, v. 37, e200089, p. 1-13, 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/estpsi/v37/1982-0275-estpsi-37-e200089.pdf. Acesso em: 13 jul. 2020.

MEDEIROS, Daiane Lazzeri de; BERTOLDO, Maria Goreti Weiand. Fisioterapia na paralisia cerebral: um relato de caso. EFDeportes.com, Buenos Aires, ano 16, n. 161, 2011. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd161/fisioterapia-na-paralisia-cerebral.htm. Acesso em: 13 jul. 2020.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes de atenção à pessoa com paralisia cerebral. Distrito Federal: Ministério da Saúde, 2013.

MORO, Vanessa Beatrice Pinhal et. al. Avaliação dos efeitos dos recursos fisioterapêuticos na espasticidade do paciente com paralisia cerebral. Pesquisa e Ação, Mogi das Cruzes, v.5, n.1, p. 13-25, jun. 2019. Disponível em: https://revistas.brazcubas.br/index.php/pesquisa/article/download/557/700/. Acesso em: 1 jul. 2020.

NUNES, Lilian Evangelista; MARTINS, Rivien Aparecida de Souza; MACEDO, Andréia Borges. A eficácia da associação das técnicas de alongamento, facilitação neuromuscular proprioceptiva e controle postural em adolescente com hemiparesia – estudo de caso. Rev. Saúde CESUC, Catalão, v.1, n.1, p. 17 - 26, 2010. Disponível em: http://www.portalcatalao.com/painel_clientes/cesuc/painel/arquivos/upload/temp/8e2c26fdadcd7754c1c713e045f6c841.pdf. Acesso em: 1 jul. 2020.

OLIVEIRA, Edilaine Aparecida de et. al. Efeitos da descarga de peso em membros superiores sobre o alinhamento corporal de indivíduos com paralisia cerebral do tipo hemiparesia espástica: ensaio clínico randomizado. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 32, e003216, p. 1-9 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/fm/v32/1980-5918-fm-32-e003216.pdf. Acesso em: 22 jul. 2020.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Assembleia Geral. Resolução aprovada pela Assembleia Geral em 18 de dezembro de 2019. Promoção e proteção dos direitos humanos: aplicação dos instrumentos de direitos humanos. 2020. Disponível em: https://undocs.org/es/A/RES/74/144. Acesso em: 1 jul. 2020.

PAVÃO, Silvia Leticia. Controle postural e atividade sentado para de pé em crianças. 2012. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2012.

PINTO, José Antônio et. al. Propedêutica da Paralisia Cerebral. In: LEITE, Nelson Mattioli; FALOPPA, Flávio. Propedêutica Ortopédica e Traumatológica. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. Capítulo 22, p. 304 - 323.

PITANGA, Francisco José Gondim; BECK, Carmem Cristina; PITANGA, Cristiano Penas Seara. Atividade Física e Redução do Comportamento Sedentário durante a Pandemia do Coronavírus. Arq Bras Cardiol., Salvador, p. 1-3, abr 2020. Disponível em:https://www.scielo.br/pdf/abc/2020nahead/0066-782X-abc-2020023.pdf.. Acesso em: 13 jul. 2020.

RAMALHO, Vanessa de Morais et. al. Protocolo de Controle de tronco em Ambiente Aquático para Crianças com Paralisia Cerebral: Ensaio Clínico Randomizado. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 23 -32, 2019. Disponível em: http://docs.bvsalud.org/biblioref/2019/08/1008150/38092-110979-1-pb.pdf. Acesso em: 11 jul. 2020.

SANTOS, Anne Karoline de Oliveira Santos; COSTA, Jéssica Silva Costa; ABREU, Elizângela M. Carvalho. Fisioterapia na redução da espasticidade: uma revisão de literatura. In: XVII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica, XIII Encontro Latino Americano de Pós Graduação e III Encontro de Iniciação à Docência, 2013, São José dos Campos. Anais [...]. São José dos Campos, 2013, p. 1-6.

SANTOS, Lenita Pedregoza Dias dos; GOLIN, Marina Ortega. Evolução Motora de Crianças com Paralisia Cerebral Diparesia Espástica. Rev Neurocienc., Santo André, v. 21, n. 2, p. 184-192, 2013. Disponível em: http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2013/RN2102/original%202102/808%20original.pdf. Acesso em: 11 jul. 2020.

SCHIMITZ, Flayani da Silva; STIGGERB, Felipe. Atividades aquáticas em pacientes com paralisia cerebral: um olhar na perspectiva da fisioterapia. Revista de Atenção à Saúde, Santa Maria, v. 12, n.42, p.78-89, jun 2014. Disponível em: https://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_ciencias_saude/article/view/2428. Acesso em: 13 jul. 2020.

SCHOLTES, Vanessa A.B, et. al. Clinical assessment of spasticity in children with cerebral palsy: a critical review of available instruments. Developmental Medicine and Child Neurology, Amsterdam, v. 48, p. 64-73, 2006. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/16359597/. Acesso em: 1 jul. 2020.

SEBASTIÃO, Adalgiza Magimela. Intervenção da fisioterapia na paralisia cerebral infantil em luanda. 2016. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia). Instituto Politécnico de Lisboa - Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, Lisboa, 2016.

SILVA, José Cláudio da. Tapping de Deslizamento Sobre o Tônus e o Recrutamento Muscular Após Acidente Vascular Cerebral. Rev Neurocienc., Alagoas, v. 21, n. 4, p. 542-548, mai. 2013. Disponível em: http://www.revistaneurociencias.com.br/edicoes/2013/RN2104/original/846original.pdf. Acesso em: 8 jul. 2020.

The WHOQOL Group 1995. The World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Social Science and Medicine, Geneva, v. 41, n.10, p. 1403 - 1409, 1995. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8560308/. Acesso em: 1 jul. 2020.

TOLEDO, Carolina Abud Weber de et. al. Perfil epidemiológico de crianças diagnosticadas com paralisia cerebral atendidas no Centro de Reabilitação Lucy Montoro de São José dos Campos. Acta Fisiatr, São José dos Campos, v. 22, n.3, p.118-122, 2015. Disponível em: https://cdn.publisher.gn1.link/actafisiatrica.org.br/pdf/v22n3a03.pdf. Acesso em 1 jul. 2020.

ZANON, Cristian, et. al. COVID-19: implicações e aplicações da Psicologia Positiva em tempos de pandemia. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 37, p. 1-13, maio 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/estpsi/v37/1982-0275-estpsi-37-e200072.pdf. Acesso em: 1 jul. 2020.

ZUARDI, Marina Campos, et. al. Eletroestimulação e mobilização articular em crianças com paralisia cerebral e pés equinos. Rev. Neurociências, São Paulo, v.18, n.3, p 328 - 334, ago 2009. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/neurociencias/article/view/8472/6006. Acesso em: 13 jul. 2020.

Publicado
14-12-2020