Relato de experiência de extensão com idosos no enfrentamento da COVID-19: percurso metodológico e competências adquiridas por monitores-estudantes de uma universidade pública na Bahia

  • Ana Cristina Rodrigues Mendes Universidade do Estado da Bahia-UNEB
  • Márcia Cristina Maciel de Aguiar Universidade do Estado da Bahia
  • Luciana Santos Souza dos Santos Universidade do Estado da Bahia-UNEB
  • Patrícia Nascimento dos Santos Univeridade do Estado da Bahia -UNEB
  • Rafaela Farias Rodeiro Universidade do Estado da Bahia -UNEB
  • Lorrana Corina Gomes Universidade do Estado da Bahia -UNEB
  • Jessica Monique Sousa de Carvalho Universidade do Estado da Bahia -UNEB
  • Adilma Santos de Souza Universidade do Estado da Bahia -UNEB
  • Angela Gabriela da Silva Santana universidade do Estado da Bahia -UNEB
Palavras-chave: Covid-19, Extensão, Idosos, Educação, Saúde pública.

Resumo

A monitoria de extensão oportunizada aos estudantes de cursos de saúde da UNEB durante o período de distanciamento social imposto pela pandemia da COVID-19 possibilitou a participação dos discentes no processo de produção de metodologias, recursos e ferramentas para a operacionalização do projeto extensionista com atividades não presenciais, via on-line. O projeto AMAR, realizado com população de idosos, fez parte das atividades de extensão da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), no enfrentamento à COVID-19. O objetivo deste relato é apresentar o percurso metodológico do projeto de extensão AMAR, realizado com idosos da Universidade Aberta da Terceira Idade (UATI), da UNEB, e apontar as competências adquiridas pelos monitores participantes. Apresenta-se o percurso metodológico do projeto AMAR, listando-se as atividades realizadas por cada grupo de trabalho, seguindo-se o registro das competências técnicas e humanas adquiridas pelos monitores, além dos possíveis benefícios aos idosos participantes. As dificuldades encontradas foram também citadas. Como resultados, a experiência de construção coletiva e participativa no projeto AMAR trouxe grande contribuição para o fortalecimento da autonomia, da capacidade criativa e do aprimoramento das habilidades e competências socioemocionais dos estudantes. Além disso, possibilitou o aprendizado da escuta qualificada e do acolhimento à distância, a ampliação das discussões em grupo e elaboração de materiais de cunho técnico-científico e socioeducativo, utilizando-se de novas ferramentas tecnológicas, beneficiando a toda a equipe envolvida na construção e operacionalização do projeto. O projeto impactou positivamente em várias esferas da vida de cada participante, proporcionando aprendizados em trabalho em equipe, dedicação e atenção a cada tarefa desenvolvida, senso de responsabilidade e como consequência desenvolvimento de competências humanas e melhorias da saúde mental e emocional diante do cenário de pandemia em que o projeto se desenvolveu. Enfim, enfatiza-se a relevância de projetos universitários de cunho extensionista, para a formação plena pessoal e profissional.

 

 

Referências

BERTACHINI, Luciana. A comunicação terapêutica como fator de humanização da Atenção Primária. O Mundo da Saúde, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 507-520, jun. 2012.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria MS/GM nº 188, de 3 de fevereiro de 2020. Declara Emergência em Saúde Pública de importância Nacional (ESPIN) em decorrência da Infecção Humana pelo novo Coronavírus (2019-nCoV) [Internet]. Diário Oficial da União, Brasília (DF), 2020 fev 4 Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2020/prt0188_04_02_2020.html. Acesso em: 26 ago. 2020.

CARDOSO, Andréa Catelan; CORRALO, Daniela Jorge; KRAHL, Monica; ALVES, Leonardo Porto. O estimulo à prática da interdisciplinaridade e do multiprofissionalíssimo: a extensão universitária como uma estratégia para a educação interprofissional. Revista da Abeno, [S.L.], v. 15, n. 2, p. 12-19, 9 ago. 2015. Associação Brasileira de Ensino Odontológico ABENO. <http://dx.doi.org/10.30979/rev.abeno.v15i2.93>. Acesso em: 26 ago. 2020.

CECCON, R.F; SCHNEIDER, I. J.C. Tecnologias leves e educação em saúde no enfrentamento à pandemia da COVID-19. InPrint SciELO Public Health; preprints.scielo.org. 2020. 19p

COELHO, Geraldo. O papel pedagógico da extensão universitária. Revista em Extensão, [S.L.], v. 13, n. 2, p. 11-24, 31 dez. 2014. EDUFU - Editora da Universidade Federal de Uberlandia. http://dx.doi.org/10.14393/ree-v13n22014_art01. Acesso em: 26 ago. 2020.

COELHO, Diego Bonaldo; VIDEIRA, Raphael Almeida. O desenvolvimento de competências por meio da extensão universitária: caso da Global Jr. ESPM-SP na formação do diplomata corporativo. Meridiano-47: Journal of Global Studies. [S.I], v. 18,11 p. 1-19. 25 abr. 2017.

DUARTE, Jacildo da Silva. As contribuições da Extensão Universitária para o processo de aprendizagem, prática da cidadania e exercício profissional. 2014. 102 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Educação, Programa de Pós Graduação Strico Sensu em Educação da Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2014. Disponível em: <https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/bitstream/123456789/771/1/Jacildo%20da%20Silva%20Duarte.pdf .> Acesso em: 26 ago. 2020.

FALKENBERG, Mirian Benites; MENDES, Thais de Paula Lima; MORAES, Eliane Pedrozo de; SOUZA, Elza Maria de. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciência & Saúde Coletiva, [S.L.], v. 19, n. 3, p. 847-852, mar. 2014. FapUNIFESP (SciELO). <http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014193.01572013>. Acesso em: 26 ago. 2020.

MALLMANN, Danielli Gavião; GALINDO NETO, Nelson Miguel; SOUSA, Josueida de Carvalho; VASCONCELOS, Eliane Maria Ribeiro de. Educação em saúde como principal alternativa para promover a saúde do idoso. Ciência & Saúde Coletiva, [S.L.], v. 20, n. 6, p. 1763-1772, jun. 2015. FapUNIFESP (SciELO). <http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015206.02382014.> . Acesso em: 26 ago. 2020.

MESQUITA, Ana Cláudia; CARVALHO, Emilia Campos de. Therapeutic Listening as a health intervention strategy: an integrative review. Revista da Escola de Enfermagem da Usp, [S.L.], v. 48, n. 6, p. 1127-1136, dez. 2014. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s0080-623420140000700022

MOREIRA, Bernadete et al. Educação em Saúde: um programa de extensão universitária. Revista Textos & Contextos Porto Alegre, Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 156-171, 17 jun. 2009.

PIMONT, Rosa Pavone. A EDUCACÃO EM SAÚDE: conceitos, definições e objetivos. Revista Pan Americana de Saúde Publica, São Paulo, v. 1, n. 82, p. 14-22, maio 1977.

PITZ, Amanda de Fáveri; MATSUCHITA, Hugo Leonardo Pereira. Importância da Educação em Saúde na Terceira Idade. Uniciências, [S.L.], v. 19, n. 2, p. 161-168, dez. 2015.

RIBEIRO, Raimunda Maria da Cunha. As bases institucionais da política de extensão universitária. Revista Internacional de Educação Superior, [S.L.], v. 5, p. 1-17, 11 jan. 2019. Universidade Estadual de Campinas. http://dx.doi.org/10.20396/riesup.v5i0.8652870.

SILVA, Ana Lucia de Brito e; SOUSA, Silvelene Carneiro de; CHAVES, Ana Carolina Feitosa; SOUSA, Shirley Gabriele da Costa; ANDRADE, Tercio Macedo de; ROCHA FILHO, Disraeli Reis da. Importância da Extensão Universitária na Formação Profissional: projeto canudos. Revista de Enfermagem Ufpe On Line, [S.L.], v. 13, e242189, 24 out. 2019. <http://dx.doi.org/10.5205/1981-8963.2019.242189.> . Acesso em: 20 ago. 2020.

SILVA, A. R. A contribuição da extensão na formação do estudante universitário. 2011. 97 f. Dissertação de Mestrado em Educação da Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2011. Disponível em: <https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/123456789/654.> Acesso em: 20 ago. 2020.

SILVA, Antonio Fernando Lyra da; RIBEIRO, Carlos Dimas Martins; SILVA JÚNIOR, Aluísio Gomes da. Pensando extensão universitária como campo de formação em saúde: uma experiência na universidade federal fluminense, brasil. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, [S.L.], v. 17, n. 45, p. 371-384, jun. 2013. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1414-32832013000200010. Acesso em: 20 ago. 2020.

TEIXEIRA, Paulo Henrique Mendes. Educação em saúde na estratégia saúde da família: concepções, práticas e abordagens. 2016. 61 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Saúde Coletiva, Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia, Bahia, 2017.

Publicado
14-12-2020