Chamada de artigos: Dossiê “Sociedade, economia e política na era Trump: o que será dos Estados Unidos?”

Organizador: Geraldo Zahran, PUC-SP, INCT-INEU

Prazo para envio dos artigos: 31 de agosto de 2017.

Os artigos aprovados serão publicados no volume 14, número 3, 2017.

 

Os primeiros meses da administração de Donald Trump apenas confirmaram a presença de tensões na política e na sociedade nos Estados Unidos, gestadas nas últimas décadas e agora manifestando-se de forma dramática. A própria eleição de Trump e o apoio a suas iniciativas representa um movimento de insatisfação com a classe política e com a economia nos EUA, com matizes populistas, antiglobalização, nacionalistas, e por vezes de caráter xenófobo e misógino. Ações como a retirada dos Estados Unidos do acordo de Paris sobre mudança climática e da Parceria Transpacífica (TPP), como os desmontes da Agência de Proteção Ambiental e do Departamento de Estado, ou como a proibição da entrada de muçulmanos no país, seriam impensáveis há alguns anos mas agora contam com razoável apoio da opinião pública. Por outro lado, mas não menos surpreendente, a derrota de Hillary Clinton e do Partido Democrata foi contrastada pelo entusiasmo dos apoiadores de Bernie Sanders, e pela força das manifestações como a Marcha das Mulheres e dos protestos em cidades e aeroportos pela manutenção de direitos individuais. Apesar da oposição a Trump em temas sociais, Sanders e a ala progressista democrata têm visões sobre os impactos da globalização e os rumos da política externa dos Estados Unidos, que se aproximam, paradoxalmente, do presidente. Faz-se então necessário compreender quais dessas tendências são conjunturais e quais são estruturais; quais são passageiros e quais terão impacto duradouro na sociedade e política nos Estados Unidos. Assim, a presente chamada busca artigos que explorem como essas dinâmicas influenciam a posição dos Estados Unidos no mundo: frente ao sistema multilateral; nas relações de confiança com aliados na Europa, Ásia e Oriente Médio; ou em face a adversários como China e Rússia. Como essas tendências se relacionam com processos políticos e sociais fora dos Estados Unidos, tais como o crescimento do nacionalismo na Europa ou a onda conservadora no Brasil e na América do Sul? Quais seus possíveis impactos sociais, econômicos e geopolíticos no mundo?