Inovar ou seduzir: uma análise do discurso oficial brasileiro para a cooperação internacional

Rubens de Siqueira Duarte

Resumo


Este trabalho analisa o discurso oficial brasileiro sobre a cooperação para o desenvolvimento internacional, com o propósito de identificar se as vantagens sugeridas pelo governo brasileiro refletem-se na prática. Para esse fim, há o estudo das características da cooperação Sul-Sul, em comparação com a tradicional ajuda para o desenvolvimento internacional, e a crítica à falta de reflexão quanto aos conceitos propostos pelo Itamaraty.

Palavras-chave


Cooperação Sul-Sul; cooperação para o desenvolvimento; política externa brasileira

Texto completo:

PDF

Referências


ABDENUR, A. E. (2002). Tilting the North-South Axis: The legitimization of Southern Development Knowledge and its Implications for Comparative Education Research. Current Issues in Comparative Education, v. 4, p. 1, 2002.

ABDENUR, A. E. The Strategic Triad: Form and Content in Brazil’s Triangular Cooperation Practices”. In: CHISHOLM, Linda; STEINER-KHAMSI, Gita. (Orgs.). South-South Transfer. New York: Teachers College Press, 2009.

AMORIM, Celso. Conversas com jovens diplomatas. São Palo: Benvirá, 2011.

ANTONINI, B.; HIRST, Monica. Pasado y presente de la Cooperación Norte-Sul para el desarrollo. Documentos de Trabajo de la Cooperación Sur-Sur. Buenos Aires: Ministe-rio de las Relaciones Internacionales, Comercio Exterior y Culto, 2009.

BARRETO, R. G. e LEHER, Roberto. Do discurso e das Condicionantes do Banco Mundial, a educação superior ‘emerge’ terciária. Revista Brasileira de Educação, vol. 13, n.39, 2008.

CERVO, Amado Luiz. Inserção internacional: formação dos conceitos brasileiros. São Paulo: Saraiva, 2008.

CORREA, Marcio Lopes. Prática comentada da coopera-ção internacional: entre a hegemonia e a busca de auto-nomia. Brasília: Edição do autor, 2008.

D’ALMEIDA, Kanya. Can BRICS Make a Difference at Busan? – Part 1. 2011a. Disponível em . Acesso em 18 jan. 2011.

_________________ Can BRICS Make a Difference at Busan? – Part 2. 2011b. Disponível em . Acesso em 18 jan. 2011.

DEGNBOL-MARTINUSSEN, John; ENGBERG-PEDERSEN, Poul. AID: understanding international development cooperation. London/New York: Zed Books, 2003.

Discursos da presidente Dilma Rousseff. Disponível em Acesso em 14 fev. 2012.

Discursos do Ministro das Relações Exteriores Disponível em Acesso em 14 fev. 2012.

DUARTE, Rubens, Conceitos inclusivos e reflexões políti-cas quanto à classificação dos países emergentes. In: Anais do IV Seminário de Ciência Política: Teoria e Metodologia em Debate. UFRGS, Porto Alegre, 2011.

FONSECA, Luiz H. P. da. La visión de Brasil sobre la cooperación internacional. Revista Española de Desarrollo y Cooperación, vol. 22, 2008.

HAYTER, Teresa. Aid as Imperialism. London: Penguin Books, 1971.

HUNTINGTON, Samuel P. Foreign aid for what and for whom. Foreign Policy, n.1, 1970.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICA-DA (IPEA). Cooperação Brasileira para o Desenvolvimento Internacional 2005-2009. Brasília: IPEA, 2010.

INTERNATIONAL DEVELOPMENT ASSOCIATION (IDA). Aid Architecture: an overview of the main trends in official development assistance. Washington: IDA/The World Bank, 2007.

KHARAS, Homi. Can aid catalyze development? In: Mak-ing Development Aid More Effective. Washington D. C.: The Brookings Institute, 2010.

KAUL, Inge; GRUNBERG, Isabelle e STERN, Marc A. (orgs.). Global Public Goods: international cooperation in the 21st century. Oxford/New York: Oxford University Press, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimen-to (PNUD), 1999.

KENNAN, George. Foreign aid as a national policy. Pro-ceedings of the Academy of Political Science, vol. 30, n. 3, 1971.

KRASNER, Stephen D. Structural Causes and Regime Consequences: Regimes as Intervening Variables. International Organization, vol. 36, n.2, 1982.

LANCASTER, Carol. Foreign Aid: diplomacy, develop-ment, domestic politics. Chicago: The University of Chi-cago Press, 2007.

LIMA, Maria R. S. A política externa brasileira e os desafios da cooperação Sul-Sul. Revista Brasileira de Política Inter-nacional, n. 48, 2005.

MAVROTAS, George e NUNNENKAMP, Peter. Foreign Aid heterogeneity: Issues and agenda. Review of World Economics, vol. 143, nº4, 2007.

MILANI, Carlos R. S. Discursos y mitos de la participación social en la cooperación internacional para el desarrollo: una mirada a partir de Brasil. Revista Española de Desar-rollo y Cooperación, vol. 22, 2008.

MILANI, Carlos R. S. Atores e agendas no campo da polí-tica externa brasileira. In: PINHEIRO, Letícia; MILANI, Carlos R. S., Política externa brasileira: as práticas da política e a política das práticas, Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012.

MILANI, Carlos R. S.; RIBEIRO, M. International rela-tions and the pradiplomacy of Brazilian cities: crafting the concept of local international management. Brazilian Ad-ministration Review, vol. 8, n.1, 2011.

MORAES, Reginaldo C. Correa de. Estado, desenvolvi-mento e globalização. São Paulo: Editora da UNESP, 2006.

MORGENTHAU, Hans. A political theory of foreign aid. American Political Science Review, vol. 56, n.2, 1962.

OLIVEIRA, Amâncio J. N. de, ONUKI, Janaina; OLI-VEIRA, Emmanuel de. Coalizões Sul-Sul e Multilateralis-mo: Índia, Brasil e África do Sul. Contexto Internacional, vol. 28, nº 2, julho/dezembro, 2006.

PEREIRA, João M. Mendes. O Banco Mundial como ator político, intelectual e financeiro 1944-2008. Rio de Janei-ro: Civilização Brasileira, 2009.

PINO, Bruno Ayllon. Argentina: horizontes y oportunida-des de la Cooperación Sur-Sur en el año del bicentario. Revista Española de Desarrollo y Cooperación, n.27, 2011.

PINO, Bruno Ayllon; LEITE, Iara Costa. O Brasil e a Cooperação Sul-Sul: Contribuições e Desafios. Meridiano 47, n. 113, 2009.

SALOMÓN, Mônica A dimensão subnacional da política externa brasileira: determinantes, conteúdos e perspectivas. In: PINHEIRO, Letícia; MILANI, Carlos R. S., Política externa brasileira: as práticas da política e a política das práticas, Rio de Janeiro: Editora FGV, 2012.

SALOMÓN, Monica; NUNES, Carmen. A ação externa dos governos subnacionais: os casos do Rio Grande do Sul e de Porto Alegre. Um estudo comparativo de dois tipos de atores mistos. Contexto Internacional, vol. 29, nº1, 2007.

SARAIVA, Mirian Gomes As estratégias de cooperação Sul-Sul nos marcos da política externa brasileira de 1993 a 2007. Revista Brasileira de Política Internacional, n. 50, 2007.

SCHUTTE, Giorgio Romano; BARROS, Pedro Silva A Geopolítica do Etanol. Boletim de Economia e Política Internacional, n. 1, 2010.

SCOTT, James M.; STEELE, Carrie A. Sponsoring de-mocracy: The United States and democracy aid to the developing world, 1988-2001. International Studies Quar-terly, vol. 55, n.1, 2011.

VELASCO E CRUZ, Sebastião C. Globalização, democra-cia e ordem internacional. São Paulo/Campinas: Editora da UNESP e Editora da UNICAMP, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


  

  

ISSN 1809-6182