Algumas limitações do tabloide televisivo: gênero, maternidade e sacralidade como chaves de leitura

  • Paula Guimarães Simões Universidade Federal de Minas Gerais
  • Lucas Afonso Sepulveda Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

O objetivo deste artigo é apreender alguns valores mobilizados nos discursos e posicionamentos dos âncoras dos telejornais tabloides da Record Minas, acerca de um acontecimento específico: um falso sequestro de um bebê na cidade de Belo Horizonte. Nessa ocorrência, uma mãe forjou o roubo do filho para entregá-lo a outro casal, mentindo para o marido, a mídia e a polícia. Para realizar a análise, partimos do conceito de acontecimento desenvolvido por Louis Quéré. A análise revela que a maternidade, o gênero e a sacralidade da pessoa(JOAS, 2011) podem ser chaves de leitura para esse acontecimento. Além disso, também aponta algumas limitações deste jornalismo tabloide e o papel que os apresentadores do programa desempenham nas narrativas construídas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
02-02-2016
Seção
Tendências do jornalismo em países de língua portuguesa