As representações da velhice e sua interface com a moda:

o caso da revista Cláudia

  • Débora Pires Teixeira Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Rita de Cássia Pereira Farias Universidade Federal de Viçosa - UFV

Resumo

No presente artigo analisou-se o uso imagem do velho como modelo e sua interface com a moda, buscando desvelar os seus significados. Para tanto, foram analisadas 156 edições da revista Claudia (1997-2010). As fotografias foram tratadas pela metodologia de imagens fixas de Mendes (2003). O corpus confirma a representação hegemônica da velhice na revista, que migra da invisibilidade para a constituição do “novo velho”. As reportagens apresentaram sujeitos ativos, magros, brancos e das classes sociais superiores, cujas imagens reiteram a noção de atividade. Em conclusão, destaca-se que, embora esse perfil representacional possa contribuir para contestar a normatividade dos padrões de beleza, pautados na juventude, visa, prioritariamente, lançar luz sobre o potencial do velho como consumidor.

Palavras-chave: Modelos com 60 anos ou mais; Moda; Representações midiáticas da velhice; Revista Claudia.

Biografia do Autor

Débora Pires Teixeira, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Graduada em Economia Doméstica, Especialista em Gestão Estratégica e Qualidade, Mestre em Economia Doméstica e Doutoranda em Economia Doméstica. Interesses em: História da Moda e da Indumentária, Processo de Produção do Vestuário, Indústria de Confecção, Artesanato Têxtil, Velhice e Mídia.

http://lattes.cnpq.br/2910697556921693

Rita de Cássia Pereira Farias, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Doutora em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas, Campinas/SP.

Professora Associada do Departamento de Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa, Viçosa/MG.

Publicado
12-02-2020
Seção
ARTIGOS