O crack como fenômeno midiático: demônios e silêncios // The crack as a media phenomenon: demons and silences - DOI: 10.5752/P.2237-9967.2012v1n2p122

  • Lúcia Lamounier Sena Pontificia Universidade Catolica de Minas Gerais
Palavras-chave: Mídia, Visibilidade, Crack, Violência, Opinião Pública

Resumo

A proposta deste artigo é apresentar uma análise das representações do fenômeno do Crack a partir da cobertura da mídia mineira, no período de 1999 à junho 2010. A discussão que pretendemos apresentar diz respeito à forma como a cobertura midiática, no período analisado, vai aos poucos retirando a relação do fenômeno do Crack com dimensões sócio-políticas mais complexas e transfere para os sujeitos sociais - os usuários, os viciados, as comunidades em que predomina o tráfico de drogas -  a responsabilidade do fenômeno. Demonizar a droga e os indivíduos por ela “possuídos” situa o fenômeno na esfera das escolhas pessoais. De alguma forma, a mídia mineira contribuiu para os enquadramentos ideais que deveriam ser colocados em debate pela opinião pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lúcia Lamounier Sena, Pontificia Universidade Catolica de Minas Gerais

Professora Assitente III  do departamento de Comunicação Social da Pontificia Universidade Católica

Pesquisadora do Centro de Pesquisa em Segurança Pública - CEPESP - do departamento de Ciências Sociais da PUC Minas

Publicado
27-11-2012