PERCEPÇÃO DE SERVIDORES PÚBLICOS QUANTO À IMPLANTAÇÃO DA GESTÃO DE RISCOS EM UMA SECRETARIA DO GOVERNO FEDERAL DO BRASIL

Palavras-chave: Gestão de riscos, Riscos, Administração pública, Dificuldades, Benefícios

Resumo

Este artigo descreve a percepção de servidores quanto ao processo de implantação da gestão de riscos em uma organização pública federal do Brasil, no que tange ao entendimento a respeito deste modelo de gestão, bem como as dificuldades e possíveis ganhos relacionados à sua implantação. Para isso, realizou-se pesquisa de campo qualitativa, com recorte transversal, com uso de análise de conteúdo para consolidar as informações obtidas por meio de questionário com perguntas abertas sobre a gestão de riscos, aplicado a uma amostra não probabilística por conveniência de servidores de uma Organização Pública Federal do Poder Executivo. Pode-se constatar que, apesar do estágio inicial da implantação da gestão de riscos, os servidores percebem mais possíveis ganhos do que dificuldades quanto à adoção do modelo. Os possíveis ganhos referem-se ao foco na melhoria de processos e alcance de resultados, atuação preventiva aos eventos, aumento do engajamento dos envolvidos, fortalecimento institucional, e cumprimento de recomendações de órgãos de controle. Foram identificadas quatro dificuldades a serem enfrentadas: limitações da política de gestão de riscos, falta de engajamento dos servidores, limitações estruturais para a gestão de riscos e falta de apoio da alta administração. Ao final são apresentadas recomendações de futuras pesquisas relacionadas à adoção da gestão de riscos.

Biografia do Autor

Lana Montezano, Universidade de Brasília
Doutoranda em Administração - PPGA/UnB
Rogério Leal da Costa Júnior, Universidade de Brasília
Graduando em Administração
Karoll Haussler Carneiro Ramos, Universidade de Brasília
Doutora e mestre em Engenharia Elétrica pela UnB
Anderson Trindade Melchiades, Ministério da Economia
Economista pela UFRGS e especialista em gestão pública.
Publicado
20-12-2019
Seção
Artigos