“EVARISTO ERA MAIS FAMOSO POR SER GAY DO QUE POR SER ESTILISTA DE MODA”: UMA ANÁLISE CRÍTICA DO DISCURSO DA REPRODUÇÃO E SUBVERSÃO DE SEXUALIDADE E GÊNERO NO FILME “MACHO”

Palavras-chave: gênero, sexualidade, análise fílmica, análise do discurso

Resumo

Buscamos analisar a reprodução e a subversão do binário de gênero e sexualidade no filme “Macho”. Discutimos sobre a constituição do sujeito, resistências e heteronormatividade em uma perspectiva feminista. Trata-se de uma metodologia qualitativa com análise fílmica e análise crítica do discurso. Trabalhamos com três categorias de análise: “Evaristo era mais famoso por ser gay do que por ser estilista de moda”: a constituição do sujeito; “Não há o gene gay. É uma preferência sexual. E mais, é uma experiência temporal”: a reprodução e a subversão do discurso da heteronormatividade; “Às vezes, eu me pergunto: mas para quê Evaristo? Por que não se tornou boxeador como seu pai?”: a reprodução e a subversão do discurso binário de gênero nas relações sociais de trabalho. Como resultados, analisamos como os discursos da meritocracia, da sexualidade e da heteronormatividade atravessam a constituição do sujeito mais famoso por ser gay do que por ser estilista de moda. Por fim, como o binário de gênero possui relação com a divisão sexual generificada do trabalho e as características específicas na moda, percebemos uma construção discursiva instável, cujos sujeitos performam diversos gêneros e por vezes reproduzindo e subvertendo a heteronormatividade e o binário de gênero.

Biografia do Autor

Paula Fernandes Furbino Bretas, Instituto Federal de Brasília

Professora efetiva no Instituto Federal de Brasília na área de Turismo, Hospitalidade e Lazer. Mestra em Administração pelo CEPEAD/FACE/UFMG (2015). Graduada em Administração e em Comunicação Social pela PUC Minas.

Henrique Luiz Caproni Neto, UFMG.

Graduado em Adminstração e Especialista em Gestão de Pessoas pela Universidade Federal de Juiz de Fora. É mestre em Administração com ênfase em Estudos Organizacionais e Sociedade pela Universidade Federal de Minas Gerais

Marcos Moura-Paula, Instituto Federal de Brasília

Professor no Instituto Federal de Brasília, Eixo Gestão e Negócios. Mestre em Administração (2015) pela Universidade Federal de Minas Gerais.

Publicado
25-05-2021
Seção
Artigos