Avaliação do uso das ferramentas de gerenciamento de projetos DOI 10.5752/P.1984-6606.2011v11n27p9

  • Antonio Cesar Amaru Maximiano Professor associado da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo/ Brasil Supervisor de programas e projetos da Fundação Instituto de Administração/Brasil
  • Daniel Leroy Professeur des Universités, Directeur du Master 2, Recherche en Management,Management de la Qualité e des Projets, Institut d'Administration des Entreprises, Université François Rabelais, Tours/França
  • Carlos Henrique Bittencourt Morais Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo/ Brasil
  • Elke Irene Buergers Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo/ Brasil
  • Márcio Roberto Moran Mestre em Administração pela Universidade de São Paulo/Brasil
  • Ricardo Toshio Yugue Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo/ Brasil

Resumo

Neste trabalho, os autores relatam um estudo que teve o objetivo de identificar a frequência de utilização de ferramentas de gerenciamento de projetos. Os autores começaram selecionando na literatura um total de 47 ferramentas. Em seguida, um questionário usando uma escala do tipo Likert foi construído e submetido a uma amostra de gerentes de projetos, produzindo 168 questionários preenchidos, dos quais 64 por profissionais da construção civil e 104 por profissionais de outras áreas. Os resultados mostram que muitas ferramentas não são utilizadas, ou são muito pouco utilizadas, mas isso depende do conhecimento e da proficiência do usuário. O estudo, no entanto, não procurou medir o grau de conhecimento sobre as ferramentas, apenas sua utilização, com base nas respostas, uma vez que os respondentes eram profissionais da administração de projetos. Os resultados também mostram sutis diferenças entre as práticas dos projetos de construção e os das demais áreas de aplicação. Essas diferenças ensejam uma discussão sobre a ideia da complexidade como variável determinante da escolha das ferramentas e da abordagem de gerenciamento dos projetos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
16-12-2011