O discurso ambiental brasileiro e a transformação do conceito de soberania: uma análise de Estocolmo à Rio +20.

  • Monica Heinzelmann Portella de Aguiar
  • Beatriz Rodrigues Bessa Mattos IRI - PUC/Rio
  • Nayara Tavares Cardoso
Palavras-chave: Soberania, Meio Ambiente, Política Externa

Resumo

Nos anos 70, quando o impacto das mudanças climáticas era ainda pouco conhecido, o conceito de soberania representava o direito dos Estados de administrar seus recursos naturais sem qualquer ingerência externa, guiando-se, apenas, pelo interesse nacional. Nos dias atuais, contudo, a percepção de que a natureza não admite fronteiras e que a ação de um Estado pode causar danos à humanidade inteira propiciou a criação de um regime internacional ambiental, com vistas a proteger os recursos naturais e estabelecer responsabilidades para os Estados perante a sociedade internacional.

Valendo-se de conceitos como interdependência, patrimônio comum da humanidade e desenvolvimento sustentável, o presente artigo possui como principal objetivo investigar a evolução do conceito de soberania perante a temática ambiental, desde a Conferência de Estocolmo até os dias atuais.
Por meio da análise bibliográfica de fontes primárias e secundárias e da operacionalização da Análise do Discurso como recurso metodológico foi possível depreender que, ao longo de quarenta anos, conforme foi se desvencilhando do discurso soberanista a política externa brasileira foi se aproximando de um posicionamento mais cooperativo e engajado do ponto de vista ambiental.

 

Referências

BARROS-PLATIAU, Ana Flávia. “A política externa ambiental do desenvolvimento ao desenvolvimento sustentável”. In: OLIVEIRA, Henrique Altemani & LESSA, Antonio Carlos (orgs.) Relações Internacionais do Brasil: temas e agendas. São Paulo: Saraiva. 2006. Vol2, p. 251-283

CARDOSO, Fernando Henrique. Discurso na sessão de encerramento da reunião regional preparatória do Fórum Internacional Rio + 10. Presidência da República - Casa Civil. Biblioteca da Presidência da República./2001. Disponível em: http://www.biblioteca.presidencia.gov.br/ex-presidentes/fernando-henrique-cardoso/discursos-1/2o-mandato/2001-2-sem.pdf. Acesso em: 20 ago. 2014.

BUJÁN, Federico Fernandez de.The snow from res communis to sate property. Madri (s/d) disponível em http://www.bormioforumneve.eu/gb_DeBujan.pdf.

BULL, Hedley. A sociedade anárquica: um estudo da ordem política mundial. São Paulo: Ed. Universidade de Brasília, 2002.

CORRÊA, Luís Felipe de Seixas (Org.). O Brasil nas Nações Unidas. Brasília: FUNAG, 2007.

DUARTE, Lílian Cristina Burlamaqui. Política externa e meio ambiente. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2003.

DUARTE, Lílian Cristina Burlamaqui. A Política Ambiental Internacional: uma Introdução. In: Revista Cena Internacional. Ano 6, n. 01. Junho de 2004.

FRANÇA, Joan Frederick Baudet Ferreira. A Política Externa Brasileira para o Meio Ambiente: de Estocolmo a Joanesburgo. In: Cadernos de Relações Internacionais, v. 3, n.1, 2010

FONSECA Jr. Gelson. A Legitimidade e Outras Questões Internacionais: Poder e Ética entre as Nações. São Paulo: Paz e Terra, 1998. p. 353–374.

FONSECA JR, Gelson; CASTRO, Sergio (org). Temas de Política Externa Brasileira II. São Paulo: Paz e Terra, 1994.

FOUCAULT, Michel. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. [Organização e tradução de Roberto Machado]. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

GUIMARÃES, Roberto; FONTOURA, Yuna. Desenvolvimento Sustentável na Rio + 20: discursos, avanços, retrocessos e novas perspectivas. Cadernos EBAPE.BR, V. 10, N. 03. Rio de Janeiro, Setembro de 2012.

HOBBES, Thomas. Leviatã. São Paulo: Abril cultural, 1979 (capítulo XVIII) p. 107-113

JORGENSEN, Marianne; PHILLIPS, Louise J. Discourse Analysis as Theory and Method. Londres: Sage Publications, 2002.

LAFER, Celso. Discurso do Ministro das Relações Exteriores, Embaixador Celso Lafer, por ocasião do Encontro “Diálogo de Gerações”, no Seminário Internacional sobre Desenvolvimento Sustentável: De Estocolmo a Joanesburgo, no âmbito da Conferência das Nações Unidas RIO+10.

LAGO, Andre Correa do. Estocolmo, Rio e Joanesburgo: o Brasil e as três conferências ambientais das Nações Unidas. Brasília: FUNAG, 2007.

LUCON, Oswaldo. COELHO, Suani. Published in Revista do Departamento de Geografia n.15. Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, 2002.

MEADOWS, Donella et alii. The limits to growth. New York. Universe books.1972 Acesso em 05/06/2014 Disponível em http://www.donellameadows.org/wp-content/userfiles/Limits-to-Growth-digital-scan-version.pdf

MEDICI, Garrastazu. “Discurso do Presidente Garrastazu Medici durante o almoço oferecido pelo Secretário de Estado, William Rogers, no Departamento de Estado, em 7 de dezembro de 1971”. In Revista brasileira de política internacional. Ano XIV, n. 55/56 Rio de janeiro Set/dez. 1971. Disponível em; < http://ibri.files.wordpress.com/2013/10/rbpi_1971_55_56.pdf>

MILUN, Katryn. “Wrapping our legal minds around the global commons: res nullius, res communis, and res divini juris: lessons from outer space in protecting our treasures here on earth“ In: Commons magazine. Postado 16/02/2007. Acessado em 06/07/2014 Disponível em: <http://onthecommons.org/wrapping-our-legal-minds-around-global-commons-res-nullius-res-communis-and-res-divini-juris/>

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Conferência das Nações Unidas Sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento. Relatório da Delegação Brasileira. Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais. Brasília: FUNAG, 1993.

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Relatório da Delegação do Brasil à Conferência das Nações Unidas sobre o meio ambiente humano, Estocolmo 1972 a. Volume 1. Disponível em http://www.cetesb.sp.gov.br/userfiles/file/mudancasclimaticas/proclima/file/publicacoes/conferencia_internacional_c_e_p/estocolmo_72_Volume_I.pdf

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Relatório da Delegação do Brasil à Conferência das Nações Unidas sobre o meio ambiente humano, Estocolmo 1972 b. Volume 2 . disponível em http://www.cetesb.sp.gov.br/userfiles/file/mudancasclimaticas/proclima/file/publicacoes/conferencia_internacional_c_e_p/estocolmo_72_Volume_II.pdf

______. Relatório da Delegação do Brasil: Cúpula Mundial sobre Desenvolvimento Sustentável. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão/IPRI, 2002.

NEVES, Luiz Augusto de Castro; DALAQUA, Renata Hessmann. De Estocolmo a Rio+20: uma análise da atuação brasileira sobre as principais conferências internacionais sobre meio ambiente e desenvolvimento. In: Cadernos Adenauer, XIII Edição Especial, 2012.

ONU, DECLARAÇÃO DO RIO SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO, 1992.

PEREIRA, José de Sena Jr. Cúpula mundial sobre desenvolvimento sustentável, realizada em Johannesburgo, África do Sul. Câmara dos Deputados/2012- Disponível em: http://www2.camara.leg.br/documentos-e-pesquisa/pdf. Acesso em: 16 ago. 2014.

SEQUINEL, Maria Carmen Mattana. Cúpula mundial sobre desenvolvimento sustentável - Joanesburgo: entre o sonho e o possível. ANÁLISE CONJUNTURAL, v.24, n.11-12, p.13, nov./dez. 2002.

SOLAR, Francisco J. Möckeberg. “La defensa del patrimonio y de las preocupaciones comunes de la humanidad” In Revista de Derecho de la Pontificia Universidad Católica de Valparaíso no.38 Valparaíso jul. 2012. Disponível em <http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-68512012000100017&lang=pt>

UN GENERAL ASSEMBLY, 1989. United Nation Conference on Environment and Development, (A/RES/44/228). 22 de dezembro de 1989. Disponível em < http://www.un.org/documents/ga/res/44/ares44-228.htm> Acesso em 14 de julho de 2014.

UM GENERAL ASSEMBLU, 2010. Resolution Adopted by the General Assembly 64/236. Implementation of the Agenda 21, the Program for the Further Implementation of Agenda 21 and the Outcnomes of the World Summit on Sustainable Development (A/Res/64/236), 2010.

UNITED NATIONS. Report of the World Summit on Sustainable Development. Johannesburg, South Africa, 26 August- 4 September 2002. New York, 2002. Disponível em < http://www.johannesburgsummit.org/html/documents/documents.html> Acesso em 15 de agosto de 2014.

VIOLA, Eduardo; FRANCHINI, Matías. Os Limiares Planetários, a Rio +20 e o papel do Brasil. In: Cadernos EBAPE.BR, v. 10, n.3, artigo 1. Rio de Janeiro, Set. 2012.

VIOLA, Eduardo: FRANCHINI, Matías. Sistema internacional de hegemonia conservadora: o fracasso da Rio + 20 na governança dos limites planetários. In: Ambiente & Sociedade, v.15, n.3, 2012 pp. 01-18. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/S1414-753X2012000300002>

WEBER, Max. “A política como vocação” In: Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1982 p. 97-153.

Publicado
18-12-2015
Como Citar
de Aguiar, M. H. P., Mattos, B. R. B., & Cardoso, N. T. (2015). O discurso ambiental brasileiro e a transformação do conceito de soberania: uma análise de Estocolmo à Rio +20. Estudos Internacionais: Revista De relações Internacionais Da PUC Minas, 3(1), 141-164. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/8893