A emergência de grupos de interesse político-religiosos frente à ilegitimidade estatal: o caso nigeriano

Palavras-chave: Nigéria, Fragilidade, Legitimidade, Teologia política

Resumo

O objetivo deste trabalho é entender a relação entre a fragilidade do Estado secular na execução bens públicos e a ascensão de grupos de interesse religioso, que adquirem protagonismo nos processos políticos. Para isto, toma-se o caso nigeriano e se observa as limitações do Estado na região norte e o crescimento de grupos de teologia política islâmica, que passam a disputar cargos políticos relevantes. Observou-se os índices de fragilização do Estado nigeriano e, paralelamente, os argumentos elencados pelos grupos políticos. Constata-se que há a relação inversa, no que tange à legitimidade conferida ao Estado e aos grupos islâmicos: deslegitimação das instituições seculares e legitimação dos grupos de interesse religioso.

Biografia do Autor

Pedro Aluízio Resende Leão, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Departamento de Relações Internacionais, Instituto de Ciências Sociais, PUC-Minas
Publicado
10-09-2019
Como Citar
Leão, P. A. R. (2019). A emergência de grupos de interesse político-religiosos frente à ilegitimidade estatal: o caso nigeriano. Fronteira: Revista De iniciação científica Em Relações Internacionais, 18(36), 191-211. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/fronteira/article/view/18208