O G-20 no contexto da Rodada Doha: a aproximação entre Brasil e Índia

Bruno Varella Miranda

Resumo


Este artigo analisa os motivos que levaram um grupo de países em desenvolvimento, tendo Brasil e Índia no papel de líderes, a adotar uma posição de bloqueio na Ministerial de Cancun, organizada pela OMC no final de 2003. O argumento principal deste trabalho é o de que as coalizões de países em desenvolvimento, que ao longo das últimas duas décadas amadureceram suas estratégias graças ao longo período de negociações da Rodada Uruguai, estão hoje mais ligadas a motivações relacionadas às recompensas envolvidas nos debates, sem maiores resquícios ideológicos dos grandes blocos da década de 70. Nesse sentido, a retórica dos governos nacionais, como o caso de Lula no Brasil, explica bem pouco o sucesso do G-20, sendo mais importante frisarmos as características institucionais da OMC.


Palavras-chave


Brasil; Comércio Internacional; Organização Mundial do Comércio; Negociações multilaterais; Coalizções; G20 – constituição de estratégias.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

  

 

ISSN: 1679-5377