O fluxo de arte e as relações internacionais: narrativa, circulação e identidade nacional

Jorge Mascarenhas Lasmar

Resumo


As obras de arte são consagradas e adquirem sentido ao longo de seu processo de circulação no qual narram a sua biografia e trocam experiências. Os Estados se apropriam dos fluxos de arte, através dos quais constroem e narram sua identidade, criando expectativas contrafáticas acerca de suas funções e papel. Essas expectativas legitimam e validam a própria concepção de Estado, na medida em que cria conhecimento coletivo sobre ele, tanto para o “eu” quanto para o “outro”. Com as mudanças recentes no sistema internacional, surgiram novos canais de circulação, que fogem ao controle estatal, gerando mudanças no conhecimento coletivo acerca da identidade e função do Estado.


Palavras-chave


Fluxos de artes; Relações internacionais; Identidade; Função estatal.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

  

 

ISSN: 1679-5377