Regimes internacionais e o regionalismo aberto da Cepal

Carolina Moulin Aguiar

Resumo


Este artigo pretende discutir o modelo de integração regional proposto pela Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), à luz das premissas da escola funcionalista de regimes. Desde inícios da década de 1990, a Comissão defende uma estratégia de transformação produtiva com equidade social para as economias da América Latina, baseada no regionalismo aberto. É nossa intenção demonstrar em que medida a integração regional cepalina implica a formação de regimes internacionais promovidos pelos Estados latino-americanos. Para tanto, partiremos da interpretação funcionalista dos regimes internacionais, distinguindo-os de meros arranjos cooperativos.


Palavras-chave


Regionalismo; Desenvolvimento; Integração; Equidade; Regimes internacionais; Cooperação; Estado.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores:

  

 

ISSN: 1679-5377