A prática turística no Parque Nacional do Iguaçu, em Foz do Iguaçu-PR (Brasil) e os elementos formadores do espaço / The tourist practice at the Iguaçu National Park in Foz do Iguaçu-PR (Brazil) and the space-forming elements

  • Mariana Cristina Cunha Souza Programa de Pós-Graduação em Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP - Campus de Presidente Prudente-SP.
  • Margarete Cristiane Costa Trindade Amorim Professora Assistente Doutora do Departamento de Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP, campus de Presidente Prudente-SP.

Resumo

O turismo está condicionado a existência de elementos espaciais que possam ser apropriados ou produzidos pela prática turística. A produção do espaço pelo turismo interessa a ciência geográfica e justifica a realização de pesquisas embasadas nos conceitos espaciais. Assim, este artigo discute o turismo como prática espacial, tendo como dimensão empírica de análise o Parque Nacional do Iguaçu (PNI) em Foz do Iguaçu-PR. Da mesma forma, analisa o papel do atrativo Cataratas do Iguaçu, tendo em vista a sua condição pré-existente/natural, na indução dos fluxos de turistas e na promoção de benefícios socioeconômicos para a cidade. A metodologia consistiu na revisão sistemática da literatura, em plataformas acadêmicas on-line e livros, sendo o critério de busca, a abordagem geográfica do turismo na perspectiva da produção do espaço. Também foram utilizados dados secundários de visitação turística, do Produto Interno Bruto e de geração de empregos, obtidos em sites do governo, de instituições turísticas e durante pesquisa de campo realizada na cidade em janeiro de 2018. Os resultados demonstram a relevância do Parque e das Cataratas como os principais elementos formadores do espaço turístico local. Do mesmo modo, foi constatada a contribuição dos investimentos em infraestruturas para promover o destino no segmento de ecoturismo em escala mundial, atraindo mais fluxos de visitantes, deflagrando impactos positivos no PIB setorial, gerando emprego e renda para a população.

Palavras–chave: Turismo, Espaço Turístico, Unidades de Conservação da Natureza, Cataratas do Iguaçu.

Abstract

The tourism is conditioned by the existence of spatial elements that may be appropriate or produced by tourist practice. The production of space by tourism interests geographic science and justifies research based on spatial concepts. Therefore, this article discusses tourism as a space practice, having as an empirical dimension of analysis the Iguaçu National Park in Foz do Iguaçu-PR (Brazil). Similarly, it analyses the role of the attractive Iguaçu Falls, considering its pre-existing/natural condition, the induction of tourist flows and the promotion of socioeconomic benefits for the city. The methodological procedure consisted in the systematic review of the literature, in online academic platforms and books, being the criterion of search, the geographical approach of tourism in the perspective of the production of the space. Secondary data were used for tourist visitation, Gross Domestic Product and job generation, obtained from government websites, tourist institutions and during a field survey held in the city in January 2018. The results demonstrate the relevance of the Park and the Falls as the main formative elements of the local tourist space. Likewise, the contribution of investments in infrastructure to promote the destination in the ecotourism segment on a world scale, attracting more flows of visitors, provoking positive impacts on the sectoral GDP, generating employment and income for the population was verified.

Keywords: Tourism, Tourist Space, Conservation Units, Iguaçu Falls.

Biografia do Autor

Mariana Cristina Cunha Souza, Programa de Pós-Graduação em Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP - Campus de Presidente Prudente-SP.
Departamento de Geografia.
Margarete Cristiane Costa Trindade Amorim, Professora Assistente Doutora do Departamento de Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP, campus de Presidente Prudente-SP.
Departamento de Geografia.
Publicado
2019-04-25