Estratégias de ensino-aprendizagem de escala cartográfica linear junto aos estudantes de Geografia da UFAL

  • Umbelino Oliveira de Andrade Universidade Federal de Alagoas
  • Mario De Biasi Universidade de São Paulo

Resumo

Parte significativa dos alunos de Geografia do IGDEMA/UFAL apresenta dificuldades na aprendizagem de escala cartográfica. Então lançou-se mão do desenvolvimento e implementação de alternativas de ensino-aprendizagem para essa superação junto a alunos do segundo período de 2013. Voltando-se ao socioconstrutivismo, aplicou-se o método de aula expositiva, considerando que o aprendizado ocorre com reconstrução interna de “instrumentos” e “signos” intermediado pelo professor. E também com base na andragogia, que considera o professor como facilitador da “aprendizagem útil” em prol da autonomia e da interação dos aprendizes com o seu ambiente de aprendizado, duas ações foram articuladas: a conscientização consistiu em expor que escala cartográfica tem importância específica, não sendo mera aritmética e sem clareza para a formação profissional; e a motivação envolveu a exposição da importância desse conteúdo respaldada em fundamentos legal, técnico e geográfico para sensibilizá-los também a se apossar afirmativamente de tal competência. Este processo envolveu as fases de avaliação prévia (exposição e prática de revisão) e avaliação definitiva (diálogos, exposições e práticas mais concentradas). No teste estatístico, após isso, para 1 grau de liberdade no nível de confiança de 95%, o valor do qui-quadrado a ser excedido é 3,84. Como se obteve 0,08, não há evidência de evolução das notas dos alunos, comparando as avaliações.

Biografia do Autor

Umbelino Oliveira de Andrade, Universidade Federal de Alagoas

Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente

Cartografia

Mario De Biasi, Universidade de São Paulo

Departamento de Geografia

Cartografia

Publicado
21-10-2019