Levantamento da cobertura de Floresta Atlântica no Paraná por imagens Landsat: um exemplo aplicado ao município de Matinhos entre 2015 e 2017

  • Luiz Augusto Macedo Mestre Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral https://orcid.org/0000-0002-8699-4397
  • Gustavo A. S. Elste Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral
  • Antonio L. Serbena L. Serbena Universidade Federal do Paraná, Setor Litoral
  • Juliana Rechetelo Rechetelo Instituto Arara Azul
  • Rodrigo F. Torres Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade
Palavras-chave: Desmatamento, Mata Atlântica, Método PRODES, Sensoriamento Remoto

Resumo

Neste artigo descrevemos o método e comparamos a cobertura de floresta nativa no município de Matinhos (PR) entre 2015 e 2017. Geramos arquivos vetoriais com base na metodologia utilizada pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (PRODES) e corrigimos o mapeamento por meio de edição matricial e comparação com imagens com melhor resolução espectral e diferentes escalas. Foram utilizadas imagens do satélite Landsat 8 de junho de 2015 e fevereiro de 2017 para classificação e quantificação das áreas, comparadas entre si em porcentagem e visualmente com imagens publicadas de diferentes resoluções (CBERS 4, Google Maps e MapBiomas). Calculamos uma perda de 61,7 hectares de vegetação nativa no município. As áreas mais afetadas estão localizadas em áreas próximas as estradas ou borda da ocupação urbana, geralmente isoladas e pouco visíveis. Considera-se o método aplicado como uma importante alternativa para o monitoramento de áreas da Floresta Atlântica.

Publicado
13-11-2019