A degradação ambiental em narrativas de naturalistas do século XIX para a reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço / Environmental degradation in narratives of naturalists of the 19th century for the Espinhaço Range Biosphere Reserve

Resumo

A região central do estado de Minas Gerais, especificamente o Quadrilátero Ferrífero e a Serra do Espinhaço Meridional, é marcada pela ocupação em busca de riquezas minerais tais como diamante e ouro. Possui, ainda, relevância ecológica, o que levou a declaração desta região, pela Unesco em 2005, como Reserva da Biosfera da Serra do Espinhaço. Vislumbrou-se, nesse artigo, a caracterização e análise de processos de degradação ambiental em literatura de viagem de naturalistas estrangeiros que percorreram esta região no século XIX. Trabalhos de campo ocorreram em roteiros estabelecidos a partir da leitura das obras, com enfoque no entendimento da paisagem. Evidências de degradação ambiental pelo extrativismo mineral do ouro e diamante, apresentadas nas narrativas em áreas dos caminhos da Estrada Real, caracterizam-se pela supressão da vegetação nativa por meio de queimadas, mudança/desvio de cursos fluviais, uso de mercúrio para beneficiamento mineral além de ocorrência significativa de espécimes monotípicas invasoras, como o capim-gordura e a samambaia. O estudo, pela descrição analítica em relatos de naturalistas viajantes analisados no território da reserva da biosfera, permite um resgate memorial que vincula o ser humano à natureza, como parte de sua história ambiental.

Palavras-chave: relatos de viajantes, mineração, mercúrio, queimadas, capim-gordura.

Abstract

The central region of Minas Gerais state, specifically the Iron Quadrangle and the Southern Espinhaço Range, has a unique occupation history due to mineral riches such as diamond and gold. Furthermore, it has significant ecological relevance, which has led to the declaration of the Espinhaço Range Biosphere Reserve by Unesco in 2005. To characterise and analyse the historical processes of environmental degradation of this region, the travel literature of foreign naturalists who travelled throughout the region in the 19th century was investigated. The research involved studying scripts produced from reading works, with a focus on the understanding of the landscape. Evidence of environmental degradation by gold and diamond extractivism is presented in several areas of the Estrada Real, characterised by the suppression of native vegetation by anthropic burning, change of river courses and use of mercury for mineral processing, in addition to a significant occurrence of invasive monotypic species, such as molasses grass and fern. From the analytical description in reports of travelling naturalists, the analysis of the reserve territory of the present study allows the recovery of part of a memory that binds human to nature as part of its environmental history.

Keywords: travellers’ accounts, mining, mercury, burning, molasses grass.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danielle Piuzana Mucida, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Graduada, mestre e doutora em Geologia Regional. Professora Associada II da UFVJM e docente da Licenciatura em Geografia da UFVJM e do Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal da UFVJM.
Bernardo Machado Gontijo, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor pelo CDS/UnB.  Professor Associado do Instituto de Geociências, UFMG e docente do Programa de Pós-Graduação em Geografia, IGC, UFMG.

Marcelino Santos de Morais, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Doutor em Geografia pela UFMG, Professor Adjunto do Curso de Geografia da  UFVJM.
Marcelo Fagundes, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Mestre e Doutor em Arqueologia pela Universidade de São Paulo. Docente do curso de Geografia da UFVJM.

Publicado
25-04-2019