O papel das cidades-gêmeas da região norte brasileira na articulação do comércio exterior

  • Leonardo Luiz Silveira da Silva Pontifícia Universidade Católica
  • Renato de Oliveira Marques Bhgeotecnologia consultoria
Palavras-chave: Cidades-gêmeas, Comércio Exterior, Região norte, Áreas de Livre Comércio

Resumo

Este artigo propõe dimensionar a força comercial dos oito municípios da região norte brasileira que abrigam cidades-gêmeas. Utilizando-se dos ricos dados disponíveis pelo ministério da economia brasileiro sobre exportação e importação em nível municipal, serão analisadas detidamente as cidades-gêmeas por meio de sua posição urbana, parceiros comerciais e participação ou não dos benefícios advindos dos termos do regime das Áreas de Livre Comércio (ALCs). Verifica-se que a posição lindeira é ao mesmo tempo um benefício e um desafio ao comércio, à medida que, se por um lado, o contato direto com os territórios estrangeiros facilita o intercâmbio, por outro, as fragilidades notórias quanto à integração às redes de transporte encarecem os fretes de mercadorias. Conclui-se também que o regime das ALCs favorece o desenvolvimento econômico das cidades-gêmeas que dele desfrutam, mas pouco colabora para o fomento do comércio exterior. O artigo atenta-se ainda para algumas particularidades regionais subjacentes, como o comércio informal praticado pelas migrações pendulares, que não entra nas estatísticas oficiais do comércio exterior. Aponta, outrossim, a oscilação cambial como um importante fator da orientação das relações econômicas internacionais protagonizadas pelas cidades-gêmeas.

 

Biografia do Autor

Leonardo Luiz Silveira da Silva, Pontifícia Universidade Católica
graduado em geografia (UFMG), especialista em gestão de políticas sociais (PUC-MG), mestre em relações internacionais (PUC-MG) e doutor em geografia (PUC-MG)
Renato de Oliveira Marques, Bhgeotecnologia consultoria
Geógrafo, mestre em Geografia pela PUC Minas - Tratamento da Informação Espacial
Publicado
17-12-2019